Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XVI

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XVI

Analistas de varejo analisaram os impactos do início da operação da plataforma que terá de superar quem já está estabelecido e a taxação de importados.

Quem deveria temer mais a Temu? O Goldman tem um palpite

Depois de meses de espera, a Temu chegou. A plataforma de varejo on-line do grupo chinês Pinduoduo (PDD) é especializada em vender de (quase) tudo um pouco a preços baixíssimos e, com capacidade impressionante de atrair clientes nos países em que já opera, traz consigo o potencial de abalar as estruturas do varejo nacional e mesmo das outras plataformas de ecommerce que já estão bem estabelecidas por aqui, como AliExpress, Shopee e Mercado Livre.

O lançamento foi inicialmente anunciado apenas para usuários pré-registrados, mas uma campanha de marketing mais abrangente deve acontecer em breve. Em relatórios desta quinta-feira, 6, equipes de research se debruçaram para entender os impactos dessa chegada.

“A Temu chega com ambição e o respaldo de um gigante do e-commerce. Com uma política agressiva de aquisição de clientes, a empresa tem o potencial de crescer rapidamente, especialmente considerando o apetite dos brasileiros por produtos baratos de plataformas internacionais”, escrevem Irma Sgarz, Felipe Rached e Gustavo Fratini, do Goldman Sachs. Além dos marketplaces horizontais, o varejo físico de produtos mais baratos deve ser afetado.

No México, por exemplo, a Temu se tornou líder em usuários ativos mensais (MAU, na sigla em inglês) apenas seis meses após o lançamento. São 19 milhões MAUs, enquanto o Mercado Livre, líder em vendas brutas, tem 15 milhões e a Amazon, 5 milhões.

A equipe do Goldman analisou algumas ofertas iniciais e encontrou tempos de entrega variando entre 15 a 40 dias, com um pedido mínimo de R$65 (aproximadamente US$13). As entregas são feitas pelos Correios e incluem frete grátis, com um bônus de R$10 em crédito caso haja atraso. Mas a companhia também já negocia com empresas de logística, de acordo com o banco.

A gama de produtos é vasta, indo de itens de vestuário a pequenos eletrônicos, com preços que variam de R$5 (US$1) para um par de meias a R$900 (US$180) para um monitor de computador.

No entanto, a maior parte das ofertas é de R$ 20 a R$ 50 e ainda não há grandes itens eletrônicos como smartphones ou notebooks à venda. No Mercado Livre, o tíquete médio é de R$ 140 e na Shopee, de R$ 60.

 

Para atrair mais consumidores, a Temu oferece descontos de até 14% em compras de R$250 (US$50) ou mais, aceitando várias formas de pagamento, incluindo Pix e parcelamento em até seis vezes sem juros. Esse “poder de fogo” na atração de clientes deve ser um desafio para a concorrência.

O Mercado Livre, embora continue a crescer no Brasil, pode ver um aumento nos custos de aquisição de clientes devido à entrada agressiva da Temu. A plataforma de origem argentina tem, inclusive, feitos investimentos cada vez maiores no país para preservar sua liderança de mercado. Vai investir cerca de R$ 23 bilhões esse ano e está abrindo novos centros de distribuição e contratando mais funcionários, para se posicionar para a batalha pelos clientes.

Além do teste de enfrentar uma concorrência de varejistas estabelecidos, a Temu chega justamente quando o Senado aprovar a taxação de import..., além dos 17% de ICMS a que já estavam sujeitas, atendendo a um pleito do varejo nacional. Como houve alterações no texto originalmente aprovado na Câmara, o texto volta para análise dos deputados antes de seguir para sanção presidencial.

A Temu, cuja estreia estava prevista para os primeiros meses deste ano, conseguiu em maio a inclusão no “Remessa Conforme”, que reduz impostos de importação para as compras até US$ 50 e permite um processo alfandegário mais rápido.

Listada na Nasdaq, a PDD tem um valor de mercado de US$ 190 bilhões, e embora a ação tenha recuado pouco mais de 5% nesta última semana, acumula alta 92% em 12 meses.

Fonte: Exame

https://sbvc.com.br/quem-deveria-temer-mais-a-temu-o-goldman-tem-um...

Para participar de nossa Rede Têxtil e do Vestuário - CLIQUE AQUI

No México, por exemplo, a Temu se tornou líder em usuários ativos mensais (MAU, na sigla em inglês) apenas seis meses após o lançamento. São 19 milhões MAUs, enquanto o Mercado Livre, líder em vendas brutas, tem 15 milhões e a Amazon, 5 milhões.

A equipe do Goldman analisou algumas ofertas iniciais e encontrou tempos de entrega variando entre 15 a 40 dias, com um pedido mínimo de R$65 (aproximadamente US$13). As entregas são feitas pelos Correios e incluem frete grátis, com um bônus de R$10 em crédito caso haja atraso. Mas a companhia também já negocia com empresas de logística, de acordo com o banco.

A gama de produtos é vasta, indo de itens de vestuário a pequenos eletrônicos, com preços que variam de R$5 (US$1) para um par de meias a R$900 (US$180) para um monitor de computador.

No entanto, a maior parte das ofertas é de R$ 20 a R$ 50 e ainda não há grandes itens eletrônicos como smartphones ou notebooks à venda. No Mercado Livre, o tíquete médio é de R$ 140 e na Shopee, de R$ 60.

 

Para atrair mais consumidores, a Temu oferece descontos de até 14% em compras de R$250 (US$50) ou mais, aceitando várias formas de pagamento, incluindo Pix e parcelamento em até seis vezes sem juros. Esse “poder de fogo” na atração de clientes deve ser um desafio para a concorrência.

O Mercado Livre, embora continue a crescer no Brasil, pode ver um aumento nos custos de aquisição de clientes devido à entrada agressiva da Temu. A plataforma de origem argentina tem, inclusive, feitos investimentos cada vez maiores no país para preservar sua liderança de mercado. Vai investir cerca de R$ 23 bilhões esse ano e está abrindo novos centros de distribuição e contratando mais funcionários, para se posicionar para a batalha pelos clientes.

Além do teste de enfrentar uma concorrência de varejistas estabelecidos, a Temu chega justamente quando o Senado aprovar a taxação de import..., além dos 17% de ICMS a que já estavam sujeitas, atendendo a um pleito do varejo nacional. Como houve alterações no texto originalmente aprovado na Câmara, o texto volta para análise dos deputados antes de seguir para sanção presidencial.

A Temu, cuja estreia estava prevista para os primeiros meses deste ano, conseguiu em maio a inclusão no “Remessa Conforme”, que reduz impostos de importação para as compras até US$ 50 e permite um processo alfandegário mais rápido.

Listada na Nasdaq, a PDD tem um valor de mercado de US$ 190 bilhões, e embora a ação tenha recuado pouco mais de 5% nesta última semana, acumula alta 92% em 12 meses.

Fonte: Exame

Para participar de nossa Rede Têxtil e do Vestuário - CLIQUE AQUI

Exibições: 24

Responder esta

© 2024   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço