Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XVI

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XVI

Uma malha produzida com 100% algodão reciclado, uma decoração feita com impressão 3D sobre substrato têxtil ou um fato de banho pensado para mulheres submetidas a uma mastectomia fazem parte dos finalistas desta edição.

José Morgado

O anúncio foi feito ontem, ao início da tarde, por António Braz Costa, diretor-geral do CITEVE, no espaço do iTechStyle no Modtissimo, em frente às amostras selecionadas num total de quase 90 propostas de tecidos, produtos e acessórios enviados pelas empresas.

Numa visita guiada pelos finalistas, José Morgado, diretor de engenharia e tecnologia do CITEVE e um dos jurados – juntamente com Fernando Pereira, do Departamento de Engenharia Química da FEUP, Hélder Carvalho, diretor do Departamento de Engenharia  Têxtil da Universidade do Minho, Carla Silva, do Departamento de Química e Biotecnologia do CITEVE, José Gonçalves, diretor de materiais inteligentes do CeNTI, e Pedro Guimarães, do Modatex –, explicou ao Portugal Têxtil os pontos fortes de cada um destes artigos.

«Temos uma série de critérios que têm de ser observados: criatividade, sustentabilidade e a tecnicidade. Em função destes parâmetros, cada membro do júri dá uma pontuação, no final reunimos e identificamos as amostras com maior pontuação», refere.


Coltec


RDD

Nos tecidos foram selecionadas amostras da A. Sampaio, da Joaps, da Coltec e da RDD. A primeira é uma mistura de poliéster reciclado com algodão orgânico que se destacou pela técnica usada na construção da malha. «É uma malha 3D que é uma imitação de devoré, um processo de estamparia agressivo em termos ambientais. Neste caso conseguimos esse efeito através do processo de tricotagem», destaca José Morgado.

Já na malha da Joaps «foi valorizado o facto de ter 98% de poliamida reciclada», indica o diretor de engenharia e tecnologia do CITEVE. «A poliamida reciclada já aparece em algumas composições, mas 98% é, de facto, inovador», acrescenta, salientando igualmente a qualidade da malha.


Brandbias


FLM

No caso da RDD, sustentabilidade e inovação andam de mãos dadas graças a uma malha com 100% algodão reciclado. «Não é fácil», assume José Morgado, dando conta que a nível laboratorial já se consegue ter este tipo de fio, porque se consegue «aproveitar também as fibras mais curtas», que «a nível industrial desaparecem. Por isso é que se torna difícil, com as máquinas atuais, fazer 100% reciclado».

Na Coltec, a amostra com 100% poliamida destacou-se pelo facto «de ter uma membrana produzida diretamente em cima da base de rede de poliamida – é um produto altamente técnico», resumiu José Morgado.

Nos produtos, os finalistas apurados foram produzidos pela Brandbias, pela FLM Têxteis, pela J. Caetano e pela Têxteis Penedo.

Uma camisola produzida com recurso a outras peças demarcou a Brandbias da concorrência, explica o diretor de engenharia e tecnologia do CITEVE. «É o conceito de upcyling – antes de se reciclar, é importante olhar para as peças e pensar se é possível fazer novas peças com outras de boa qualidade», afirma.

O casaco da J. Caetano foi selecionado pela sua tecnicidade. «É um produto muito técnico, com costuras coladas, cortes a laser e processos de impermeabilização», realça.

Um fato de banho com integração de copa pensado para mulheres submetidas a mastectomia valeu à FLM a seleção para os finalistas dos iTechStyle Awards. «É um produto técnico, muito valorizado por isso – é uma forma de diferenciação», sublinha.

Por último, a toalha para Spa produzida com Cork-a-Tex mereceu a distinção. «É uma aplicação diferente para o fio de cortiça», considera José Morgado.


Bordados Oliveira


Colibri – Luís Rodrigues & Teixeira

Já nos acessórios foram distinguidas a Bordados Oliveira, a YKK Portugal e duas amostras da Luís Rodrigues & Teixeira.

A Bordados Oliveira submeteu uma amostra produzida com impressão 3D sobre substrato têxtil. «É uma tecnologia nova, que também temos no CITEVE. É uma resina e conseguimos depositá-la com vários formatos e várias cores, simular vários desenhos. E tem uma definição fantástica», aponta o diretor de engenharia e tecnologia.

A utilização de múltiplas técnicas na amostra Colibri – com bordados e sublimados – e de materiais reciclados na amostra Bitcoins valeram a distinção da Luís Rodrigues & Teixeira, enquanto na YKK foi a impermeabilidade do fecho éclair que diferenciou a amostra.

Estes produtos finalistas juntam-se aos anunciados na edição de setembro de 2023 no Modtissimo. Os vencedores serão anunciados na próxima iTechStyle Summit, agendada para 20 a 22 de maio.

https://portugaltextil.com/quem-sao-os-finalistas-dos-itechstyle-aw...

Para participar de nossa Rede Têxtil e do Vestuário - CLIQUE AQUI

Exibições: 20

Responder esta

© 2024   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço