Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

A retomada de indústria de fios e tecidos Cotton King em Cuiabá pode injetar na economia local R$ 100 milhões e gerar cerca de 150 empregos

A retomada de indústria de fios e tecidos Cotton King em Cuiabá pode injetar na economia local R$ 100 milhões e gerar cerca de 150 empregos diretos. A fábrica, atualmente desativada, fica no Distrito Industrial de Cuiabá e o valor investido seria para reformar e reequipar a indústria com novas máquinas que poderá voltar a atuar na capital, fortalecendo o mercado de algodão, considerando que Mato Grosso é o maior produtor de algodão do Brasil e a indústria têxtil no Estado.

O governador de Mato Grosso, Silval Barbosa, esteve esta semana em São Paulo negociando a retomada da indústria e ofereceu incentivos fiscais para que os empresários se estabeleçam em Mato Grosso.

Hoje, o setor da indústria têxtil e confecções é um dos que mais crescem no Estado. Segundo dados Sindicato das Indústrias do Vestuário e Mato Grosso (Sinvest-MT), em dois anos o segmento de confecções cresceu cerca de 60% no Estado, passando de 300 para 500 empresas em 2012.

O número de empregos gerados pelo setor quase que dobrou em dois anos, pulando de 2.300 em 2009 para cerca de 4 mil empregos este ano. Cuiabá Várzea Grande e Rondonópolis são onde estão a maior concentração dessas empresas.

De acordo com o presidente do Sinvest, Sérgio Antunes, a medidas que o governo do Estado vem tomando nos últimos anos tem deixado o setor mais confiante. “Acredito que tudo que for feito com o intuito de investir e motivar o setor em Mato Grosso é bem-vindo”, diz ele a respeito da possível retomada de operações da Cotton.

Ainda, segundo o presidente do Sinvest, em contraste ao crescimento existem inúmeros problemas que impedem que o setor avance ainda mais. A falta de mão de obra, a grande carga tributária e a distância dos principais distribuidores para o Estado, são as principais dificuldades. “Apesar da industria têxtil e confecções ter crescido nos últimos anos, a dificuldade para mão de obra no Estado, tributos e distância, ainda são as mesmas”, esclarece.

Conforme Antunes, em Mato Grosso existem de 4 a 5 indústrias têxtil e cerca de 500 confecções. “Só elas são responsável por aproximadamente 4 mil empregos no Estado, fora a mão de obra terceirizada”, explica. De acordo com ele, todo e qualquer investimento que o governo sinalize para a região é sempre bem-vindo. “O setor de confecção é um forte gerador de empregos com pouco investimento. Estado precisa investir”,
conclui.

Fonte:|http://sis.sebrae-sc.com.br/sis/setor/noticia/visualizar?idNoticia=...

Exibições: 1335

Responder esta

Respostas a este tópico

Seria interessante o senhor governador de MT, verificar com esta empresa e seus gestores, antes de conceder beneficios fiscais, como serão pagas as verbas rescisórias de aproximadamente 300 trabalhadores que não receberam seus direitos. E as verbas rescisorias de mais de 300 trabalhadores que ficaram a ver navios, como é que ficam senhor governador?

Responder à discussão

RSS

© 2020   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço