Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XV

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XV

O abrandamento da procura devido à escalada dos preços e à preferência mais económica por fibras sintéticas estão a permitir aumentar os stocks das fiações de algodão. Uma situação que se deverá manter nos próximos tempos, apesar do crescimento da economia mundial e da produção da matéria-prima nos principais países produtores.

Reposição de algodão

 O consumo mundial de algodão deverá cair 3% na actual época devido a um abrandamento na procura e a continuação da mudança para fibras sintéticas – mas deverá subir no próximo ano segundo os dados mais recentes de um grupo inter-governamental.

Apesar do crescimento económico mundial, o International Cotton Advisory Committee (ICAC) estima o consumo mundial nas 24,5 toneladas em 2010/2011. Segundo este grupo, a procura por parte das fiações abrandou no segundo semestre desta época, com as empresas a serem apanhadas, por um lado, entre os elevados preços do algodão e as dificuldades de acesso ao crédito e, por outro, pelo declínio dos preços do fio de algodão. Os stocks de fio de algodão também se estão a acumular em muitas fiações.

Entretanto, os preços das fibras sintéticas mantiveram-se bastante mais baixos do que o algodão, encorajando as fiações a mudarem de matérias-prima.

Para o futuro, o uso de algodão nas fiações deverá aumentar 3%, para 25,2 milhões de toneladas, em 2011/2012. Isto será impulsionado por um crescimento projectado da economia mundial e pelo aumento da produção, mas moderado pelos elevados preços do algodão e a concorrência das fibras sintéticas.

No geral, a produção mundial de algodão deverá crescer até 11%, para 27,4 milhões de toneladas, em 2011/2012, dinamizada pelos elevados preços da matéria-prima que os agricultores receberam no ano anterior. A produção irá crescer nos principais países produtores, com a excepção dos EUA.

A produção e consumo mais elevados deverão aumentar o comércio mundial de algodão em 5%, para 8,2 milhões de toneladas, em 2011/2012, segundo o ICAC.

As importações da China deverão crescer 24%, para 3,3 milhões de toneladas, assumindo a retoma no uso do algodão e uma reposição de stocks de níveis historicamente baixos. O aumento nas exportações será impulsionado pelo Brasil e pela Austrália, enquanto as exportações dos EUA podem baixar devido a uma redução nos stocks disponíveis para exportação.

Os preços no Cotlook A Index mostram uma média de 1,64 dólares por libra em 2010/2011, 112% mais elevada do que na época anterior. E embora a média da época deva «cair significativamente» em 2011/2012, irá provavelmente manter-se acima da média de 0,60 dólares por libra da última década.

Fonte:|http://www.portugaltextil.com/tabid/63/xmmid/407/xmid/39766/xmview/...

Exibições: 50

Responder esta

© 2022   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço