Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIV

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIV

Sem tratar esgoto, indústrias operam com licença vencida em Americana-Setor têxtil

Empresas do setor têxtil não tiveram documentação renovada pela Cetesb.
Elas enviam efluentes diretamente para estação; MP questiona situação.

Com documentação vencida desde julho, 37 indústrias do setor têxtil operam sem licença em Americana (SP). As empresas não tiveram a documentação renovada pela Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) após recomendação do Ministério Público (MP). O motivo é que elas enviam efluentes sem tratamento para a estação de esgoto Carioba, que não tem capacidade para atender toda a demanda.

"As empresas hoje, todas que operam com efluentes industriais, estão operando irregularmente porque não poderiam lançar esse tratamento em rede sem fazer um tratamento completo, ou, em alguns casos, pelo menos o pré-tratamento", disse o promotor Grupo de Atuação Especial do Meio Ambiente (Gaema) Ivan Carneiro.

Rio Quilombo em Americana (Foto: Reprodução / EPTV)Esgoto sem tratamento é lançado diretamente no
Rio Quilombo (Foto: Reprodução / EPTV)

Acordo
Na década de 80, as empresas do setor têxtil ajudaram a construir a Carioba e ganharam, por lei, o direito de mandar todo o esgoto sem tratamento para lá. Contudo, desde então a estação não aumentou enquanto a quantidade de efluentes, sim. Pelas regras, se a estrutura não tivesse capacidade de tratar os resíduos, as indústrias deveriam parar de enviá-los.

Atualmente, cerca de 60% dos resíduos que chegam na Carioba são industriais. A incapacidade de tratar todo o esgoto, mais a poluição que já vem de Hortolândia e Sumaré, têm consequência diretas ao Rio Quilombo, que leva mau cheiro e sujeira por onde passa em Americana. "Eu passo aqui tampando o nariz", disse a diarista Geanete Alves.

Indústrias respondem
Segundo o presidente do sindicato das indústrias, Dilézio Ciamarro, as empresas não tem espaço ou recursos para tratar os efluentes. "A eficiência com esta estação que o Dae (Departamento de Água e Esgoto de Americana) implementou não foi atingida e agora está sendo construída uma nova para adequar aos artigos e atender a Cetesb", disse ele.

O promotor questiona as informações do sindicato. "Havia condições de as empresas já terem resolvido, especialmente 13 delas entre as 37, que são de grande porte possuem espaço para tratamento próprio. O Ministério Público não pode aceitar que o meio ambiente continue a pagar essa conta", afirmou Carneiro.

Cetesb e Dae
EPTV, afiliada da TV Globo, procurou o Dae de Americana, para saber o que vai ser feito, mas não teve retorno. A Cetesb também não respondeu se as indústrias vão ser multadas por despejar os resíduos sem as licenças.

http://g1.globo.com/sp/campinas-regiao/noticia/2015/10/sem-tratar-e...

Exibições: 324

Responder esta

Respostas a este tópico

Com essa paradeira, vai sobrar estação de tratamento, que foi construida pelas industrias. Agora, se mudar a Assembleia Legislativa para lá, com certeza, terão que aumentar em muito!

Responder à discussão

RSS

© 2022   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço