Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XI

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XI

SENAI CETIQT fortalece cadeia têxtil e de confecção nacional com MBI em Indústria 4.0

Curso pioneiro no Brasil ganha Edição Nordeste para pequenos, médios e grandes empresários. É o resultado do reconhecimento da região como área estratégica para transformação da indústria

Publicado em 18/03/2019 | Por Heloisa Tolipan

Há uma revolução poderosíssima em ascensão no mundo, no seu país e que chega até você, empresário e (ou) consumidor. Trata-se da Quarta Revolução Industrial, o tão aguardado momento de convergência em que as máquinas não apenas levantam dados, mas passam a tomar decisões. Ou seja: os sistemas ciber-físicos são capazes de comunicação entre si e com os seres humanos. Nesse contexto, que mais parece saído de um filme sci fi, o SENAI CETIQT desenvolveu, em 2017, a primeira Planta de Confecção 4.0 e, um ano depois, o pioneiro e inovador Master in Business Innovation (MBI) em Indústria Avançada: Confecção 4.0, que teve aula inaugural, encontros de imersão e de conclusão no Rio de Janeiro, quando 48 empresários e executivos de 32 empresas do setor têxtil e de confecção compartilharam ideias, conhecimentos, informações e, hoje, são capazes de elaborar projetos de implantação da Confecção 4.0, gerando processos industriais mais eficientes, produtivos e sustentáveis.

Leia mais – SENAI CETIQT apresenta os primeiros projetos no modelo de Confecção...

Só para você ter uma ideia, esses empresários e executivos desenvolveram oito projetos incríveis dentro dos conceitos da indústria 4.0. Entre eles, um body capaz de medir a temperatura do bebê e enviar informações sobre a curva térmica da criança para um aplicativo no celular de pais que estejam longe do filho. Na realidade, as criações significam as primeiras sementes da Quarta Revolução Industrial no setor têxtil e de confecção do Brasil. Por conta disso, o número de capacitados poderá dobrar com o MBI 2019 – e a tendência é aumentar sempre. Mas, caro leitor, o SENAI CETIQT resolveu propor uma integração nacional maior ainda em prol da implantação da Indústria 4.0 no país e viabilizará mais um marco na história da união entre ensino e mercado de trabalho: o MBI em Indústria Avançada: Confecção 4.0 também terá uma Edição Nordeste e as inscrições estão abertas.

– Vamos para o Nordeste diante de tantos pedidos de players da indústria têxtil que participaram do primeiro MBI, por conta do potencial da região e pela necessidade de se especializar a mão de obra executiva no próprio local – conta Melissa Silva, especialista em coordenação de Design de Moda do SENAI CETIQT, que também integrou a primeira turma de MBI em Indústria Avançada: Confecção 4.0.

Melissa Silva, especialista em coordenação de Design de Moda do SENAI CETIQT

Portanto, o Brasil como um todo terá acesso aos dois cursos e as mais diversas regiões contarão com a especialização em novas tecnologias, estratégias de Inovação e Posicionamento de Negócio, Produtos e Materiais, Processo Produtivo, Confecção 4.0 (Ciber-Físico) e Projeto e Análise de Viabilidade.

O MBI Edição Nordeste começa em 5 de abril, em Fortaleza. Basicamente será feito por EAD (Educação à Distância), com sete encontros presenciais. O curso terá duração de sete meses com carga total de 360 horas, sendo 288 horas de carga EAD. Ao longo desses meses, a carga horária presencial será de 72 horas. As imersões acontecerão entre 5 de abril e 19 de outubro em seis capitais nordestinas – Fortaleza (CE), João Pessoa (PB), Salvador (BA), Recife (PE), Maceió (AL) e Natal (RN) – e no Rio de Janeiro, sempre às sextas-feiras e aos sábados.

– Será um grande marco para a história dos 70 anos do SENAI CETIQT. No Rio de Janeiro, sempre recebemos estudantes e também profissionais já inseridos no mercado de trabalho do Brasil de Norte a Sul em busca de nossos cursos de graduação e pós-graduação. E, agora, vamos viabilizar o MBI em Indústria Avançada 4.0 para um público plural no Nordeste. Durante um mês e meio, eu percorri diversas cidades, visitando empresas, conhecendo e conversando com sindicatos. A receptividade foi inspiradora. Para os pequenos, médios e grandes empresários será uma experiência importante para o futuro da área têxtil e de confecção, na qual somos referência em educação e consultoria – diz Melissa.

As novidades da Indústria 4.0 estão batendo à porta e são vitais respostas e adaptações rápidas. Outro exemplo de novos tempos, que já contamos aqui no site HT, foi o SENAI CETIQT inaugurar, em dezembro passado, no Rio, o Fashion Lab e a Fábrica Modelo, ao lado da Planta de Confecção 4.0, a primeira do país. O conceito dos novos espaços é totalmente baseado nos três pilares que norteiam a instituição: tecnologia, inovação e educação para o hoje e o futuro. O empresário que enxerga mais longe, que vê adiante, não pode deixar o momento passar. Em seu périplo pelo Nordeste, Melissa Silva apresentou um panorama amplo sobre essa novíssima forma de produzir e consumir moda.

Inauguração do Fashion Lab e da Fábrica Modelo (Foto: Divulgação/Mônica Cardoso)

– Fiz diversas palestras sobre a Indústria 4.0. Ela tem vários pilares e um deles proporciona ao consumidor o empoderamento, a opção de ser ouvido: “Eu quero isso desse jeito e dessa cor”. É interação, é o consumidor demandando. O grande desafio da indústria é como transformar essa demanda individual, o desejo de cada um, em produção em massa – observa Melissa. – Chegar a essa solução, porém, compete à indústria. O Senai CETIQT fomenta uma linha de pensamento para que os industriais encontrem suas soluções. Nós oferecemos as ferramentas e as informações.Também proporcionamos a interação de pessoas a grandes, médias e pequenas empresas, ou seja, promovemos a conectividade. Mas cada empresa precisa detectar suas necessidades individualmente, pois a 4.0 depende do modelo de negócio de cada um.

O que isso quer dizer no dia a dia? Afinal, o que muda na vida das pessoas com o funcionamento pleno da Indústria 4.0? Um bom exemplo é o levantamento de dados sobre o consumidor – agora para tomar decisões, não mais para apenas enviar um e-mail marketing, por exemplo. Saber quantas vezes ele procurou a loja, o que experimentou no provador, o horário em que costuma frequentar etc pode ser uma ferramenta poderosa para interagir mais e melhor com o cliente.

Um exemplo fantástico de interação é o espelho virtual desenvolvido pelo SENAI CETIQT, no qual as pessoas podem se ver com roupas sem ter o trabalho de experimentar. Como? Basta apontar para um menu e escolher modelo, estampa, cor de fundo, o lugar onde quer a estampa, tamanho etc. Enquanto mostra uma prévia de como ficará o produto, o espelho é capaz de levantar dados sobre o consumidor que está “brincando” com ele e passá-los diretamente para a fábrica, compondo um perfil detalhado de seu público. Mais interativo impossível.

Robson Wanka, gerente de educação do SENAI CETIQT, simulando o uso da Planta da Confecção 4.0 (Foto: Divulgação)

Robson Wanka, gerente de educação do SENAI CETIQT, simulando o uso da Planta da Confecção 4.0 (Foto: Divulgação)

Tudo isso leva a uma questão recorrente: a Indústria 4.0 vai substituir o ser humano? Tomemos o exemplo do espelho. Tecnicamente, não precisaremos mais da ajuda de um funcionário para levar roupas até os clientes na cabine ou pegá-las de volta após eles terem experimentado.

– Na verdade, a Quarta Revolução Industrial aponta para novas opções de trabalho. Profissionais em posições tradicionais vão aprender a gerir máquinas, não vão mais apenas pegar uma peça em execução. A revolução está fazendo uma releitura das profissões. Esta revolução ocorre em um período em que os laços humanos estão sendo valorizados, a sustentabilidade, a união, as novas ideias – afirma a especialista em coordenação de Design de Moda do Senai CETIQT – Essa é a revolução mais silenciosa de todas. Ela acontece tão no dia a dia que você não percebe. Vivencia tecnologias sem se dar conta de que se trata de uma revolução. É muito diferente da terceira Revolução Industrial, a da automação, que foi muito notada. A máquina chegou com força total, todo mundo viu. Charlie Chaplin mostrou bem isso em “Tempos Modernos”.

O perfil do aluno do MBI em Indústria Avançada: Confecção 4.0 inclui pessoas de várias idades, mas exige que se tenha experiência de mercado e visão de inovação. Sem experiência não há como participar das turmas. É importante lembrar, também, que o curso não é voltado apenas para grandes empresários: pequenos e médios em especial devem participar e adquirir conhecimentos para lidar com a realidade que já está acontecendo.

– A indústria precisa se apressar e o Ensino à Distância hoje possui muita força. Muitas pessoas já estão optando por fazer cursos dessa forma e serão os profissionais do futuro – observa Melissa.

Além de ser fundamental para gestores entender os mecanismos da Indústria 4.0 é interessante para engenheiros têxteis, gerentes comerciais, responsáveis por qualidade nas empresas, gerentes de modelagem. O custo do MBI é de R$ 39 mil e pode ser pago em até 30 vezes e 50% de desconto no Primeiro Simpósio Brasileiro de Indústria Avançada: Têxtil e Confecção 4.0.

– Vale ressaltar que hospedagem em hotel e alimentação estão incluídas no pacote. O aluno só paga pelo transporte – adianta Melissa.

Pois é. O futuro é agora. Estamos diante de um admirável mundo novo – e a decisão já foi tomada: vamos embarcar nele com o pé direito.

SERVIÇO

MBI em Indústria Avançada: Confecção 4.0 – Edição Nordeste

Em 2017, o SENAI CETIQT inaugurou a 1ª Planta de Confecção 4.0 do Brasil e agora está empenhado em apoiar as indústrias no processo de modernização rumo à nova Revolução Industrial. Nesse contexto, nasceu o MBI em Indústria Avançada: Confecção 4.0, uma iniciativa para colocar em prática os conceitos da Indústria 4.0.

O MBI em Indústria Avançada: Confecção 4.0 é mais do que uma Pós-graduação, é também um movimento brasileiro organizado para reunir os representantes das grandes empresas do Setor Têxtil e de Confecção para discutirem, de forma colaborativa, estratégias para tornar a indústria brasileira ainda mais competitiva no Brasil e no mundo. A Edição Nordeste 2019 é resultado do reconhecimento da região como área estratégica para a transformação da indústria têxtil e de confecção nacional.

Programação da pós-graduação
A pós-graduação fornece conhecimentos para a construção do projeto para implantação de uma confecção 4.0, tais como: Estratégias de Inovação e Posicionamento de Negócio, Produtos e Materiais, Processo Produtivo, Confecção 4.0 e Projeto e Análise de Viabilidade.

Diferenciais

  • Curso pós-graduação EaD com duração de 7 meses
  • Hospedagem em hotel all inclusive
  • Aulas e Palestras de Inovação com grandes nomes dos setores
  • Ao final do curso o aluno terá elaborado um projeto de uma Confecção 4.0
  • Avaliação dos projetos será realizada por CEOs de empresas de confecção, vestuário e têxtil
  • Oportunidade de desenvolver networking com outros diretores/gerentes industriais do setor
  • Relacionamento contínuo com o SENAI, após a conclusão
  • Tutoria permanente ao longo do curso
  • Aula prática na 1ª Planta de Confecção 4.0 do Brasil
  • Visitas Internacionais opcionais: ITMA 2019 (Barcelona); TechTêxtil e TexProcess (Frankfurt)

Corpo docente
Todos os nossos professores são profissionais experientes e renomados das seguintes instituições de ensino e empresas: USP, UNICAMP, UFRJ, SENAI CETIQT, FIRJAN, CIMATEC, FIESC, FIESP, FESTO, KUKA, SIEMENS, IBM, MICROSOFT, dentre outras.

 https://heloisatolipan.com.br/moda/senai-cetiqt-fortalece-cadeia-te...

Para participar de nossa Rede Têxtil e do Vestuário - CLIQUE AQUI

Exibições: 308

Responder esta

Respostas a este tópico

  Programação da pós-graduação
A pós-graduação fornece conhecimentos para a construção do projeto para implantação de uma confecção 4.0, tais como: Estratégias de Inovação e Posicionamento de Negócio, Produtos e Materiais, Processo Produtivo, Confecção 4.0 e Projeto e Análise de Viabilidade.

Parabéns.

Responder à discussão

RSS

© 2019   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço