Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Serra tira a fantasia: o negócio é fatiar e vender a Petrobras. Ela produz fio têxtil em Pernambuco! Imagine... (visão de um blog governista) E a sua visão amigo de Blog Têxtil?? Qual é??

 

chevon

A entrevista de José Serra ao “dono da lista do HSBC” no Brasil, Fern... é um strip-tease.

O vendedor da Vale – título que lhe foi concedido pelo próprio ex-presidente Fernando Henrique Cardoso – lista o que se tem de fazer com a maior empresa brasileira.

Vai falando meias-verdades, como a de dizer que a Petrobras está “produzindo fio têxtil”, vai circulando a presa, como um velho leão.

O “fio textil” é poliéster, derivado integral de petróleo, que é produzido em Suape, como parte da cadeia de valor gerada pela refinaria, junto com a resina PET, com a que se produz garrafas.

São plásticos, enfim, um dos frutos de maior valor da cadeia de refino de petróleo.

Depois, diz que a Petrobras “não tem que fabricar adubo”.

Parece que está falando de esterco, mas é, simplesmente, de um dos insumos mais importantes da imensa produção agropecuária brasileira: amônia, que é produzida a partir do gás extraído junto com o petróleo.

É o “N” da famosa fórmula NPK dos fertilizantes, que o Brasil, incrivelmente, importa às toneladas.

Depois, fala em vender as usinas termelétricas de eletricidade, que já foram das multis e que a Petrobras teve de assumir porque elas só queriam o negócio com os subsídios que lhes deu FHC na época do apagão de 2001, subsídios que, além disso, eram suportados por nossa petroleira.

A seguir, fala em vender a distribuição, os postos Petrobras.

Aqueles onde o dim-dim entra, sonante, chova ou faça sol.

E aí, finalmente, diz que a empresa deve se conservar na extração de petróleo, mas que este deve ser “aberto ao mercado”.

Como já é, deve-se ler isso como a entrega da parcela exclusiva, de 30%, das imensas jazidas do pré-sal.

Claro que, nos negócios da cadeia do refino de petróleo, a Petrobras pode comprar, vender, dividir, agir como age um empresa que busca concentrar recursos em suas prioridades.

Isso inclui, senador Serra, o tal “fio têxtil”.

É tão bom negócio que seus amigos da Chevron  o produzem em larga escala através da Chevron-Phillips, em oito países.

Assim como a Chevron produz adubo e está cheia de passivos ambientais pela forma terrível que o faz, antes como Texaco e agora  usando  o “codinome” de Ortho.

E, claro, a Chevron não vai abrir mão de seus mais de 8 mil postos de abastecimento só nos Estados Unidos…

Quer dizer, as receitas de Serra para a Petrobras são exatamente o contrário do que fazem seus amigos da Chevron…

Senador, mas o que é bom para os Estados Unidos não é bom para o Brasil?

FONTE: http://tijolaco.com.br/blog/?p=25037

Exibições: 601

Responder esta

Respostas a este tópico

É por isso que me dá preguiça. Esta visão que não se pode abrir mão da Petrobrás porque essa ou aquela multi vai assumir e roubar a riqueza do "povo" brasileiro. Uma falácia desprezível. A quem a Petrobrás tem favorecido nestes 60 anos? Aos sucessivos donos do poder, são os Sarneys, Renans, Lulas e agora, aos tão desejados técnicos concursados da estatal. Esses são os donos e fazem o que querem, do modo que mais lhes favorecer. 

Aí, para, para que eu quero descer. Essa "molambice" de nacionalismo tacanho. Temos o mais caro combustível do mundo, o país que não oferece nada ao contribuinte, a não ser o bolsa família , que na verdade não são contribuintes de verdade. Não há saúde, não há transporte, não há escolas (somente fábrica de diplomas). As cidades brasileira são puro caos. As pequenas não dão o conforto ao cidadão, falta tudo; as grandes, nem sossego para sair de casa ou voltar para casa, depois do trabalho. É de uma violência inacreditável. O cidadão vive assustado pelo bang-bang-bang de metralhadoras de bandidos e policiais (quase sinônimos, graças a raríssimas exceções).  Defender a estatização é de uma tolice, de uma burrice fenomenal. É querer posar de cidadão patriota. Patriotismo fundamentalista. Ahr, que preguiça!


excelente posicionamento José Carlos!!  todas as empresas que foram privatizadas já deram lucro no ano seguinte!!! e muito lucro!!!enquanto que em estatais, somente existe ""prejuízos"" e uma corja de vagabundos e incompetentes, e sem qualificação técnica, que acabam por roubar descaradamente!! por qual motivo devemos mantê-los??? privatizar até de graça, ainda é lucro para o governo ( e nossos bolsos...)

 
José Carlos Dias disse:

É por isso que me dá preguiça. Esta visão que não se pode abrir mão da Petrobrás porque essa ou aquela multi vai assumir e roubar a riqueza do "povo" brasileiro. Uma falácia desprezível. A quem a Petrobrás tem favorecido nestes 60 anos? Aos sucessivos donos do poder, são os Sarneys, Renans, Lulas e agora, aos tão desejados técnicos concursados da estatal. Esses são os donos e fazem o que querem, do modo que mais lhes favorecer. 

Aí, para, para que eu quero descer. Essa "molambice" de nacionalismo tacanho. Temos o mais caro combustível do mundo, o país que não oferece nada ao contribuinte, a não ser o bolsa família , que na verdade não são contribuintes de verdade. Não há saúde, não há transporte, não há escolas (somente fábrica de diplomas). As cidades brasileira são puro caos. As pequenas não dão o conforto ao cidadão, falta tudo; as grandes, nem sossego para sair de casa ou voltar para casa, depois do trabalho. É de uma violência inacreditável. O cidadão vive assustado pelo bang-bang-bang de metralhadoras de bandidos e policiais (quase sinônimos, graças a raríssimas exceções).  Defender a estatização é de uma tolice, de uma burrice fenomenal. É querer posar de cidadão patriota. Patriotismo fundamentalista. Ahr, que preguiça!

O petroleo nunca foi meu ou "nosso".
Sempre foi deles, os marajás da republica e seus muito bem remunerados e paparicados funcionários e sindicalistas.
Para mim, maus governates gerindo empresas importantes é tiro no pé.
Na Suécia talvez, no corrupto Brasil, é conversa para enganar povo crédulo ou burro.
Imaginem diversas empresas concorrendo no seto; que eficiencia e bom preço poderiamos desfrutar.
É isso aí, José Carlos. É no setor privado, no empreendedorismo dos cidadãos, é que está o progresso e a real geração de riqueza.

Alguem ai pode me mostrar 1Um) só kg de fio produzido em suape???
Nao estou falando de fio texturado e embalafo lá,mas sim polimerizado, estrudado, estirado, etcc
Nas dependencias da usina.
Privatizar já!

Bem, quem leu os posts sobre o assunto em 17 de novembro passado, onde é citado R$ 300 milhões de prejuízo por ano, deve compreender melhor o assunto.

Retirando toda emoção política e toda  pintura idealista  tratada no  post, e todo nacionalismo de defender uma cadeia produtiva pelo simples fato de ser brasileira...

pelo simples fato de ser racional não vejo motivo de manter a tal subsidiária....

Pois é meus colegas, os poucos que tiveram talvez coragem até o momento de comentar este assunto estão todos no mesmo sentido!
Montaram uma fábrica com tudo do bom e do melhor! Quem já esteve lá sabe do que estou falando!! É impressionante (metaforicamente é o Itaquerão das fábricas!!! Que tem mármores em todos os banheiros)! Assim! O que podia ser feito de melhor foi feito!!! E é claro muitos desvios de $$ ocorreram para isso
Agora o principal não foi feito e não será feito que é a fiacao!!! Apesar de todo o maquinário já estar lá esperando a montagem ainda depende de uma planta em Santos que não tem nem data para sair do papel
Assim a fábrica é nada mais do que uma grande texturizaçao que utiliza POY importado e não tem como competir com os fios importados
Entrou no mesmo barco de outras texturizações que sofrem para produzir aqui é onde algumas já ficaram 100% com fios texturizados importados e pararam suas fábricas
Com isso pergunto, como pode ser possível uma empresa entrar no mesmo negócio que vem sendo tomado por importadores e ainda vender fio muito mais barato? Então os que estavam no negócio nao sabiam fazer conta? Eram mal administrados???
Não! Quem compra Suape como eu apesar da minha baixíssima cota sabe que seu próprio pessoal sabe que a conta não fecha! Eles até chegam a brincar que a diferença quem paga é o povo!! Quem nunca ouviu isso deles? Que rodam no prejuízo!
E muito bem lembrado por um colega sobre o post que menciona prejuízo anual de 300 mi
Por isso não sou a favor do fechamento! Mas sim do direcionamento para empresas privadas afim de levar sim a Suape a girar com lucro! A terminar o seu projeto....
Resta saber se alguém assume a bronca!! Lembrem que no projeto inicial tinha se não me engano Vicinha, Polyenka, Hudtelfa entre outras e todas caíram fora...

Pois é...Talvez essa fábrica tivesse uma demanda técnica que indicaria sua montagem e financiamento; mas de algum modo o oportunismo se valeu dela. Basta dizer do envolvimento no caso da Petrobrás.

Esse caso mostra que não há uma política de desenvolvimento industrial têxtil no Brasil. Não há planejamentos nem planos diretores (contrapondo os chineses que fazem planos - depois "metemos o pau" neles).

Infelizmente essa fábrica só foi resultado do oportunismo político , assim como a Copa do Mundo.

E se a brincadeira for verdadeira, quem comprou da Suape se valeu do dinheiro do povo.

Estranho né? Como apedrejar a mão que nos afaga? 

O governo Dilma e Lula sempre disseram isso: "vocês não se beneficiaram...como agora criticam...?" ... e assim a indústria nacional perdeu sua força nos últimos 10 anos.

Baseado no artigo, o autor diz que a petrobrás fabrica poliéster que resultado do refino do petróleo. Isso é uma inverdade. O refino do petróleo gera os monômeros que devem ser polimerizados pelas indústrias ditas petroquímicas. Assim é com a poliamida e outros. A petrobrás não produz os plásticos. E se tem uma fiação têxtil em Suape, como comentado pelo J. J e pelo Hilário, então deve ser vendida imediatamente. É uma questão de posicionamento. Faça a petrobrás o que ela sabe fazer bem, extração, refino e distribuição de derivados de petróleo e combustíveis. Não gosto do Serra mas nesse caso concordo com ele. E, com todo o respeito, dane-se a Chevron, que não opera com o dinheiro público do meu país.

Eu tive lá no começo do projeto! Já está tudo lá
a Fiacao!!! Ainda "embalada".... E as texturizadoras... 64 sendo que se não me engano 32 em operação!
Um caso curioso é que quando lançaram as primeiras máquinas verificaram que o alicerce estava dimensionado de forma errada e tiveram que refazer gastando o triplo do orçamento previsto!
Enfim a fábrica é uma beleza como disse no comentário anterior! Não tem nenhum contato manual entre operador e fio! Tudo automatizado...
Existe um duto de inox de não sei quantos kilometros que vai até o mar pois seria onde os navios iriam despejar o Glicol para alimentar a polimerização e que está depende de uma planta de Santos que não esta mas em projeto de construção! Infelizmente não estou recordando o subproduto que seria feito lah para envio a Suape!
É um belo projeto! Uma excelente ideia mas que caiu em mãos erradas!!!
E a conta não fecha! Como você fecha o ano com prejuízos na casa de 300 mi e continua em funcionamento?

Quero lembrar que a Chevron é uma empresa PRIVADA e trabalha dentro das regras de mercado e leis trabalhistas , não uma "ESTATAL" ineficiente, que se move igual a um Hipopótamo na terra e ainda sujeita a corrupção.

E o Sr Torres não disse que a Chevron é empresa privada!

Não precisamos mais nos preocupar com a privatização da PeTrobrás. Parece que os PeTralhas já se convenceram de que é preciso vender parte da empresa. Ave... Gostaria de saber como os Srs. diretores do sindicato dos PeTroleiros vão se posicionar, agora? 

Responder à discussão

RSS

© 2020   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço