Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano IX

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano IX

jeanswear alcançou um novo patamar. Prova disso, é a infinidade de marcas - de fast fashions a grifes de luxo que vem revolucionando o mercado, inserindo o denim em novas categorias: fashion, esportiva e luxo. Já faz algum tempo que a gente vem comentando sobre isso, mas chegou a tal ponto, que não vimos nenhuma peça "básica" nas passarelas da última edição da São Paulo Fashion Week. E, a gente se pergunta mais uma vez: Qual o papel do denim a partir de agora? Quais serão os seus consumidores? O que querem? O que procuram na hora de escolher uma peça? Qual o papel do jeans a partir de agora



É claro, que não estamos falando aqui que a skinny - a modelagem mais vendida no Brasil - vai se extinguir, porém ela vai dar espaço sim à outros shapes, muito mais inovadores e repletos de detalhes nunca antes pensados. Ou então, poderemos encontrar (e, já encontramos) o jeans em novos segmentos como o setor calçadista ou na moda praia, como apresentado no desfile da Triya.

Tudo isso, é possível graças a união e tecnologia que passa por toda a cadeia têxtil, lavanderias, aviamentos, designers, entre outros, que a cada estação trazem novidades que agregam conforto, toque macio, novas tramas, cores e aspectos. Selecionamos aqui o melhor do jeanswear apresentando durante a SPFWN44 com lançamentos para o Verão 2018, mas que, seguramente, podem ser usadas em qualquer estação, por qualquer público e gênero. Destacamos aqui os shapes dos anos 80 e 90 com foco nas peças oversized (calças e jaquetas) e retas, ora com a cintura mais alta, ora no estilo clochard. 

Muito mais do que se trabalhar diferentes processos em lavanderia, as marcas resolveram investir nos fits, tecidos leves e fluídos e nos detalhes que transformam e revelam novas peças, como as faixas e o próprio denim, no tom fluo ou tiras laterais (2Denim), a riqueza dos bordados que formam lindos desenhos no delavê(Apt03), estampas localizadas e super criativas e a malha denim (LAB) ou as aplicações super coloridas, com um quê tropical em flores, folhagens e insetos (PatBo).

É claro, que a questão da alfaiataria não pode ficar de fora e, aqui foi lindamente reproduzida pela Animale no denim bruto, limpo, macio e com brilho das fibras nobres que enaltecem ainda mais o azul. As modelagens chamam atenção pelo estilo cropped e as barras ganham discretos desfiados. A moda festa repleta de tecidos nobres, fluídos e bordados também junta-se ao jeanswear totalmente rebelde na marca de Samuel Cirnansck, onde o estilo grunge e punk podem ser vistos em silks grafitados e um lindo trabalho em lavanderia com muitos efeitos destroyer, bordados florais e mais uma vez o tecido no raw, super clean.

As modelagens podem ser híbridas, arquitetônicas, com vazados, franjas, recortes, volumes, babados, onde uma saia ou uma jaqueta nunca serão simplesmente uma peça comum, elas se movem, se transformam, se reinventam em novas proporções. Os macacões continuam em alta em propostas, ora utilitárias em denims pesados, ora mais fluídos e em tons claros. Em relação aos tops, as jaquetas, que já fazem sucesso agora, prometem chamar ainda mais atenção nas próximas temporadas, onde entram desde a tradicional trucker ao modelo larguinho, alongado, com transpasses, golas abertas, recortes. Os coletes seguem as mesmas tendências. As assimetrias são muito importantes, tanto nas barras de calças ou tops, quanto nos punhos.

Jeitão street ou sportswear também dá as caras na estação, porém vem mesclados à outras referências que permeiam o mundo da moda com toques românticos, femininos ou mais clássicos. O jeitão low profile e despojado de algumas marcas vem traduzidos em jeans e sarjas em shapes confortáveis, com poucas interferências e visual moderninho como nas marcas Reserva e Atelier Sissa onde as calças cropped e o shortinho ganham tons claros e médios em tecidos super leves. Outra grande tendência que segue firme e forte é o militarismo - não foi uma aposta de todas as marcas, porém surgiu em algumas delas, com elementos diferenciados ou estampas camufladas. 

A mistura de lavagens e aplicações de estrelas também chamam atenção na moda descolada de Juliana Jabour. Os resinados ou com aspecto nylon surgem nas marcas Lino Villaventura e À La Garçonne. A marca ainda uniu o jeitão vintage ao romantismo de modelos fluídos e com estampas florais. 

Como podemos observar, o denim nunca mais será o mesmo e abrange uma variedade enorme de estilos seguindo a moda atual, super democrática, onde cada vez mais entram novidades para diferentes estilos e públicos..

Fonte | Assinatura: VANESSA DE CASTRO | FOTOS: AGÊNCIA FOTOSITE

http://www.guiajeanswear.com.br/noticias/7364/qual-o-papel-do-jeans...

Para participar de nossa Rede Têxtil e do Vestuário - CLIQUE AQUI

Exibições: 245

Responder esta

Respostas a este tópico

AINDA BEM, POIS O JEANS É REALMENTE O TECIDO MAIS DEMOCRÁTICO E POPULAR DO MUNDO, ASSIM PARA NOS É BOM, AINDA Q O BRASIL POSSUI MUITAS FÁBRICAS E COM MERCADO DISPONÍVEL.

Responder à discussão

RSS

© 2017   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço