Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XV

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XV

SUSTEXMODA discute desafios econômicos da indústria têxtil no conceito ESG

O Congresso Internacional de Sustentabilidade em Têxtil e Moda (SUSTEXMODA) promoveu, na última semana, um bate-papo sobre os “Desafios Econômicos da Indústria Têxtil ​no conceito da ESG“. A conversa contou com a presença da diretora de comunicação da Denim City SP, Maria José Orione, e a participação especial da CEO do Guia JeansWear, Iolanda Wutzl.

Além disso, entre as mediadoras da conversa esteve a professora Francisca Dantas Mendes, que é Associada e pesquisadora da USP-EACH. A especialista possui pós-doutorado pela FAU/USP, doutorado e mestrado em Engenharia de Produção pela UNIP e graduação em Moda pela UAM. É palestrante, autora de três livros e inúmeros artigos publicados e apresentados. Realiza projetos socioambientais com pessoas em extrema vulnerabilidade social utilizando resíduos têxteis e roupas pós-consumo.

O conceito ESG (sigla em inglês para environmental, social, and corporate governance) se refere a critérios de análise sobre a sustentabilidade, o nível de governança corporativa e o impacto social de um determinado negócio. O tema, inclusive, foi abordado amplamente na última edição do Denim Meeting São Paulo, realizado na Denim City SP.

O Brasil é o quarto maior produtor e consumidor de denim no mundo, contando com a presença de parques industriais robustos que geram empregos e são sustentáveis, já que “são fiscalizados amplamente e sabem que o investimento traz retorno”. “Nós temos uma produção sustentável, por que 75% da fibra brasileira possui certificação socioambiental”, detalhou Maria José.

Até o fim da vida útil do produto, o jeans consome em média de oito a vinte mil litros de água, ou seja, o impacto industrial do denim é bem menor. O setor têxtil é o único do ocidente que vai da agro indústria até o consumidor final. Além disso, no Brasil, existe um estudo em desenvolvimento para utilização dos pesticidas biológicos que irão atacar apenas as pragas para qual foram desenvolvidas.

E pensando no consumidor final, Maria José Orione citou uma pesquisa realizada pela Fiesp/Ciesp sobre o comportamento de consumo das novas gerações. “A Geração Z e a Geração Alpha irão comprar com propósito, consequentemente, as empresas precisam passar a vender com propósito”, indicou.

“O consumidor é o único que tem poder na mão, se comprar mais concientemente, se abandonar o conceito fast fashion, principalmente quando fala sobre produzir roupa de baixa qualidade, que vai durar 3 meses para jogar fora e comprar outra. Produzir com qualidade, sair do circulo vicioso de preço e ir para o circulo vicioso de qualidade”, completou.

A mudança na indústria, vale destacar, não é exclusiva de apenas um ponto da cadeia. “Essa comunicação não é para os grandes, que estão muito preparados e são cases para o mundo, não só aqui no Brasil. Mas falamos que a mudança de mindset passa pelo consumidor, pelos pequenos produtores […] De repente, é uma união é de meio de comunicações, ONGs, a Denim City – que fala muito do denim, defende muito a sustentabilidade e veio para auxiliar a profissionalização do setor. Acho que é o momento de criar uma ação, fazer um barulho (sobre o assunto)”, afirmou Iolanda.

Confira a conversa na íntegra:

Fonte: Redação | Foto: Reprodução

https://guiajeanswear.com.br/noticias/sustexmoda-discute-desafios-e...

Para participar de nossa Rede Têxtil e do Vestuário - CLIQUE AQUI

Exibições: 22

Responder esta

© 2022   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço