Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Cabine de empresa francesa desembarca em Brasília para criar ternos sob medida a um preço mais baixo que as alfaiatarias tradicionais.

Um costume produzido em uma alfaiataria demora alguns meses para ficar pronto. No primeiro encontro, o alfaiate avalia o pedido do cliente, depois agenda visitas para tirar medidas, fazer ajustes e, no final, ainda dar os últimos retoques.

Pensando em diminuir essas etapas sem perder a qualidade da produção, uma empresa resolveu investir na tecnologia 3D para criar ternos personalizados – tendo Brasília como sua primeira experiência na América Latina.

O protagonista de toda essa produção é a cabine Symcad Body Scanner da empresa francesa Telmat. O aparelho é bastante moderno, mas foi inventado há mais de 20 anos com o propósito de criar uniformes militares de qualidade e de maneira rápida.

Percebendo que a invenção poderia servir para outras finalidades a empresa francesa que criou a cabine decidiu se unir com uma empresa tailandesa que produz os ternos — gerida por um franco tailandês especialista em terno chamado Chris Saksa — e o modelo Nathan Fitamant, que criou a marca “Nicolas Fitamant” presente em Paris, Nova York, Bangkok e agora Brasília.

Todo o processo é muito simples. O cliente vem à loja e monta toda a ideia do terno de sua preferência através de um aplicativo que possibilita personalizar desde o paletó e a calça até a camisa e o colete. “Você escolhe o caimento, que pode ir do extra-slim ao tradicional, até a lapela o forro, os bolsos, e as iniciais bordadas dentro do paletó. Sem falar que para camisas o cliente também tem uma variedade de opções”, explica o responsável pela divulgação do projeto na América Latina Assen Lapeyre de Cabanes.

Depois disso é hora de entrar na cabine. A máquina consegue em impressionantes 1,5 segundos tirar mais de 200 medidas do corpo. Tudo que o cliente precisa fazer é entrar de cueca, se posicionar com dois pequenos canos na lateral do corpo e esperar a impressão do avatar personalizado em tamanho real que será enviado para a Tailândia.

Lá começa a produção do terno em um manequim de isopor com as medidas exatas do cliente. “Pode haver 6 milímetros de margem de erro que acontece por causa da respiração na hora do mapeamento, mas é tão pequeno que não infere em praticamente nada”, explica Assen. O terno chega para o cliente em aproximadamente um mês, caso não haja atraso na alfândega.

Giovana Bembom/Metrópoles

Os preços, contudo, variam de acordo com as escolhas do cliente e podem ir de R$ 3.300, até ao mais caro que chega a R$ 5.000 — preço bem menor do que o oferecido em uma alfaiataria ou loja tradicional. Além disso, os preços das camisas personalizadas começam em R$280. Para Assen, a ideia funciona porque um terno sob medida requer uma expertise muito complexa. “Tem alfaiates que são superconhecidos e tem uma cartela de clientes gigantesca, mas que não fazem mais terno porque é muito trabalhoso e eles acabam ficando na produção de camisas. Um terno não é apenas forma, é dinâmica. Tem uma serie de proporções que precisam ser respeitadas”.

http://www.metropoles.com/vida-e-estilo/moda/tecnologia-3d-permite-...

Para participar de nossa Rede Têxtil e do Vestuário - CLIQUE AQUI

Exibições: 475

Responder esta

Respostas a este tópico

Em Brasília, provavelmente o custo será bem alto!

Responder à discussão

RSS

© 2020   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço