Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

No setor de confecções, de acordo com o Sindicato da Indústria do Vestuário de Maringá (Sindivest), o efeito das importações da China ainda não provocou demissões e o fechamento de empresas na região, mas isto pode ser apenas uma questão de tempo. "Grandes marcas, como a Nike, a Adidas e a Puma, já estão fazendo as roupas na China. Até onde vai isto? No Brasil, este movimento está começando agora", avalia o presidente do Sindivest, Cássio Almeida.

Tecidos e zíperes, por exemplo, já são importados pelas empresas de Maringá em grandes quantidades. "Acredito que passamos por uma morte lenta e precisamos de apoio para evitar o problema. No meu caso, por exemplo, em que tenho três marcas, se continuar como está vou ficar com apenas uma marca, importar o produto pronto e por a etiqueta em cima", diz.

Rafael Silva

Produtos esportivos em vitrine de Maringá; grandes marcas produzem confecções na China

Almeida considera que se isto realmente acontecer com ele e outros empresários, a região vai sentir duas consequências graves. A primeira é um grande número de demissões na indústria do vestuário. "Poderemos, num futuro próximo, criar uma situação em que tudo pode ficar na mão deles, que vão colocar o preço que quiserem. Vamos sofrer com a desindustrialização e ficar refém deles", considera.

Para Almeida, a maior dificuldade dos empresários brasileiros é a alta carga tributária e, principalmente, uma lei trabalhista rígida e onerosa para o empresário. "Nossa lei trabalhista é arcaica. O Brasil precisa rever conceitos, porque estamos atrasados."

O consultor Rodrigo Giraldelli faz uma conta simples, mas bem clara sobre o baixo custo de produção chinês. "A China tem 1,4 bilhão de habitantes. Metade ainda mora na zona rural, onde a maioria vive em condições de subsistência. Dessa forma, podemos dizer que há cerca de 350 milhões de pessoas que querem trocar o campo pela cidade", diz.

DESIGUAL


US$ 200
Valor dos mais altos salários
pagos aos operários chineses,
de acordo com Giraldelli

R$ 461,9 mil
Valores de zíperes e partes
de zíperes importados só este
ano por empresas de Maringá

Na cidade, a maioria destes chineses vai aceitar um emprego de operário, com salários de no máximo US$ 200. De acordo com o consultor, um dos motivos para os baixos valores s e a grande variação é que ainda não existem sindicatos e é muito pequeno o número de advogados que se arriscam a defender trabalhadores.

Em relação às condições de trabalho, Giraldelli diz que conheceu dois extremos na China. "Há fábricas que oferecem condições desumanas, com iluminação fraca, o local tem mau cheiro e os trabalhadores não recebem nenhum equipamento de proteção individual. Por outro lado, há fábricas com padrão de primeiro mundo, que são muito limpas, organizadas, os empregados têm uniformes e boas condições de trabalho", relata.

Fonte:|http://digital.odiario.com/cidades/noticia/559528/industria-naciona...

Exibições: 465

Responder esta

Respostas a este tópico

     Já estamos na maõs dêles  a muito tempo.

Acho que o mundo todo.

Responder à discussão

RSS

© 2020   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço