Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

A indústria têxtil sempre desempenhou um papel fundamental na vida humana e não há razão para acreditar que sua importância diminuirá nos próximos anos. Muito pelo contrário. Com uma população mundial que aumenta exponencialmente e com um crescimento rápido em seu consumo, especialmente nos países em desenvolvimento, surgiu uma nova gama de aplicabilidades para esse segmento e, acima de tudo, uma evolução, graças à tecnologia.

Mas, afinal, quais são as tendências tecnológicas que o futuro guarda para essa especialidade? O que o universo da confecção pode esperar para 2020? Entenda agora e surpreenda-se!


Business Intelligence

O Business Intelligence está relacionado à coleta, organização, análise, compartilhamento e monitoramento de informações para que a gestão do negócio seja otimizada e melhorada. Pensando nisso, essa será uma das principais tecnologias aplicadas, uma vez que os tomadores de decisões de diversas empresas compreenderam que é necessário realizar um relatório de análise técnica do mercado têxtil.

Nesses arquivos, serão encontrados: o padrão de concorrência da empresa, as vantagens e desvantagens dos produtos, as tendências de desenvolvimento da indústria, as características de layout industrial regional, as políticas macroeconômicas, os direcionadores de mercado, os desafios, a padronização, os modelos de implantação e a receita gerada.

Além disso, estará atrelada também uma pesquisa de mercado apresentando uma análise aprofundada dos segmentos, dos fabricantes, da previsão do mercado de têxteis, do cenário de concorrência e das oportunidades de crescimento.


Jeans Sustentável

Já ouviu falar em um jeans feito à base de algodão reaproveitado? Pois a Levi’s, uma das gigantes no assunto, uniu forças com a Evrnu para trazer um jeans ecológico ao mercado, o que pode se tornar uma das principais novidades em 2020 e, possivelmente, em toda a década que está por vir.

Nessa empreitada, as calças são feitas inteiramente de resíduos de algodão regenerados após o consumo, graças a uma técnica que reutiliza o lixo e, ainda assim, garante a qualidade e a resistência das peças.

Essa tecnologia é uma grande promessa e é um avanço empolgante, à medida que o uso de algodão regenerado é explorado para ajudar a reduzir significativamente o impacto no planeta, visto que esse método não apenas converte resíduos de consumo, como também usa 98% menos água do que produtos de algodão virgem, de acordo com dados da Evrnu.


Digitalização

A Texcare International, feira comercial mais importante do mundo para o segmento, já tem abordado a tendência de incluir a digitalização na indústria têxtil e de confecção, acreditando que “têxteis inteligentes se comunicam com máquinas inteligentes e se organizam”.

De fato, a digitalização já é difundida no setor, especialmente no que diz respeito aos processos logísticos. No entanto, o objetivo é que sejam apresentadas inúmeras inovações que vão um passo além e levam em conta as demandas de uma fábrica inteligente, o que inclui novos modelos de negócios; lojas e aplicativos on-line; e um processo de transformação digital que leva impactos até mesmo para os treinamentos profissionais.

Dessa maneira, a ideia é destacar o fluxo inteligente de dados no setor, atrelando diferentes tecnologias para melhorar a experiência tanto do produtor quanto do consumidor e, para isso, a utopia inclui até mesmo o uso de rádio frequência e da tecnologia de robôs.

 

Couro biofabricado

A Modern Meadow, uma plataforma de materiais de marca sem depender da agricultura animal, está cultivando couro, o que, basicamente, é trazer a ficção científica à realidade. Tudo isso por meio de uma tecnologia que também será revolucionária no mercado: a biofabricação.

Assim, a empresa consegue construir, com a biologia, um meio para criar materiais inspirados na natureza e desenvolver os elementos essenciais da vida: células, DNA e proteínas. Com isso, por meio do crescimento do colágeno, eles são capazes de produzir couro e modificá-lo para diferentes finalidades e bases de qualidade, controlando o produto desde o seu DNA até o momento em que se torna uma roupa.

Você acredita que essa moda pode ser expandida para outras confecções? Não deixe de dar sua opinião para a gente.


Tecnologia de Infusão

A tecnologia de aquecimento foi uma das principais tendências de 2017 no setor e promete se consolidar como uma tendência para 2020. Tudo isso porque a Emel + Aris criou casacos inteligentes compostos por um sistema de aquecimento leve que faz com que o calor emitido pelo infravermelho se espalhe pelo corpo e seja absorvido, garantindo conforto para o usuário.

E ainda tem mais. Essa tecnologia permite que os músculos sejam aquecidos e o adesivo de calor fica concentrado na região lombar, fazendo com que o infravermelho seja absorvido pelos rins para aumentar a circulação e proporcionar uma sensação de calor por todo o corpo. Ademais, ele também pode reduzir dores, aumentar a flexibilidade e estimular o colágeno.

Com essa estratégia já vigente no mercado, a probabilidade é de que muitas confecções comecem, sim, a implementar as roupas que se aquecem sozinhas em suas produções.


Plataforma Tecnológica

Há quem acredite que uma plataforma tecnológica será o futuro do segmento têxtil, transformando o segmento e agregando um valor econômico significativo, inclusive, pelas próximas décadas.

Para isso, o software desenvolverá roteiros tecnológicos estratégicos, identificará brechas tecnológicas e barreiras de marketing de todos os tipos, recomendará ações para preencher essas brechas e superar barreiras da maneira mais eficaz e rápida, encaminhará suas recomendações e promoverá ativamente ações conjuntas para alcançar o progresso necessário.

Ademais, esse processo de transformação incidirá na exploração da investigação, inovação e orientação do conhecimento em todas as funções de negócios e atividades do setor, incluindo todas as novas oportunidades de negócios possíveis para materiais, produtos e produção.


Fabricação

A fabricação de uma peça abrange, tradicionalmente, várias etapas principais de processamento que podem incluir a produção de fibras artificiais ou naturais, fiação, tecelagem, tricô, tingimento e acabamento. Envolve, ainda, dependendo da fibra ou uso final pretendido, várias operações intermediárias de processamento, incluindo lavagem e secagem.

Todos esses processos são conhecidos e industrialmente usado por décadas ou mesmo séculos, mas, ao longo desse tempo, uma série de avanços se deu em termos de produtividade.

Mais recentemente, uma gama de produtos altamente eficazes e tecnologias promissoras foram desenvolvidas, incluindo microencapsulações, plasma, laser, ultrassom, tratamentos ultravioletas, técnicas de pulverização, jato de tinta e até mesmo a nanotecnologia. Assim, todas elas se tornaram tendências certas para o próximo ano e muitas já estão sendo utilizadas no segmento.


Blockchain

O Blockchain é tido como um protocolo de confiança, sendo uma tecnologia de registro que visa criar, a partir de dados compartilhados, um índice global para todas as transações que ocorrem em um determinado mercado.Assim, implementando-o na indústria das confecções, ele irá garantir a segurança, a autenticidade e os padrões éticos do produto, especialmente porque os registros não podem ser alterados depois de adicionados ao software.Com isso, os consumidores podem ter certeza da procedência da sua peça, de qual material foi utilizado para fabricá-la, de quem fabricou, de quais eram as condições em que essas pessoas trabalhavam e até mesmo quantos foram pagos para realizar esse serviço.

Isso gera uma relação de transparência com o consumidor e ajuda a criar uma imagem positiva para a empresa, garantindo que seus valores e ideais estão expostos para o cliente.

Mas e você, o que acha dessas tecnologias que estão surgindo e que serão a nova febre no ano que vem? Gostaria de implementar alguma delas na sua companhia? Nós somos uma empresa desenvolvedora de softwares especializados no segmento da indústria têxtil, abrangendo todos os processos de venda e comercialização de confecção de roupas, com ênfase no processo produtivo.

https://www.organizatextil.com.br/2019/12/02/tendencias-tecnologica...

Para participar de nossa Rede Têxtil e do Vestuário - CLIQUE AQUI

Exibições: 403

Responder esta

Respostas a este tópico

Jeans ecológico é interessante.

Será que ele tem cor firme e não desbota quando for lavado em casa?

Toda água de casa tem DBO e DQO, sulfetos e sólidos em suspensão controlados?

Será que inventaram um forma de oxidar e reduzir o corante índigo diferente que não use oxidante e redutores agressivos ao meio ambiente?

Não basta mexer no tecido, penso eu, mesmo porque ainda não conheço algodão que tenha escala de produção que não use agrotóxico no plantio?

Esse negócio de jeans ecológico é pura jogada de marketing, ou não?

Responder à discussão

RSS

© 2020   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço