Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano VI

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano VI

Preciso de oração, tenho 50 anos e fui casada por 23 anos. Estou começando a minha separada. Voltei a estudar depois de 30 anos e e hoje estou no último ano da faculdade. Tive muita dificuldade de estudar, pois já estava 30 anos fora do mercado e confesso que sofri muito para aprender com a rapidez dessa juventude. Esse semestre é o último e precisso fazer um TCC para me formar. Despois que me separei, saí da minha cidade e vim para uma cidade menor. Porém não connheço ninguém. Larguei família e vim com minha filha com esperança de encontrar melhor qualidade de vida e segurança. Estou no último ano da faculdade, mas agora para me formar, tenho que fazer um TCC sobre importação e exportação, mas não consigo estágio, acredito que seja por causa da minha idade e minha falta de referência profissional. Tive um encontro com o orientador da faculdade e informei que não tinha conseguido um local para estagiar, pois não conheço ninguém na cidade. Tentei diversas empresas, bati em várias portas, enviei meu curriculo para várias empresas, mas não obtive resposta. Com isso, perguntei, se a faculdade poderia me ajudar  a encontrar um estágio já que é obrigatório o estágio. Ele virou para mim, na frente de todos, em voz alta e rude, e falou que eu estava reprovada e que eu não iria me formar. Gritou em tom ríspido qe disse que ele não poderia fazer nada e que a faculdade não tem obrigação de ajudar e que era para eu me virar. Mesmo assustada com a reação dele e com vontade de chorar, esperei ele acabar de falar e argumentei que no ano passado eu estava preocupada com o estágio, pois já procurava estágio e não conseguia e eu resolvi ligar para o MEC para me informar sobre estágios obrigatórios e fui informada que a faculdade deve indicar as empresas aos alunos e zelar pelo aluno. Quando ele ouviu o que disse, ele foi mais estúpido e grosseiro, me humilhou na frente de todos com suas palavras ásperas e desrespeitosas. Ele, em tom irônico, mandou o MEC entrar em contato com a faculdade e puní-la, pois ele não iria resolver nada. Fiquei chocada com a atitude do professor, principalmente que eu estava em um estabelecimento de ensino. Já sou uma senhora e foi horrível os gritos e a humilhação. Saí da sala e não consegui parar de chorar e fui embora... Estou arrasada, não tenho muito tempo para esperar, estou correndo contra o tempo. Peço oração para que conseguir vencer. Peço que o professor tenha mais consideração e respeito por todos os alunos, que o coração dele seja manso e humilde. Peço oração para eu conseguir um estágio e um bom emprego. Obrigada pelo desafabo, Viviane

Exibições: 204

Comentar

Você precisa ser um membro de Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano VI para adicionar comentários!

Entrar em Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano VI

Comentário de julio cesar de souza em 1 abril 2012 às 9:31

       TUDO BEM !!! BOM FINAL DE SEMANA PRA TI!!!

Comentário de viviane em 1 abril 2012 às 2:56

Desculpe Julio, não entendi direito..,

Comentário de julio cesar de souza em 1 abril 2012 às 1:40

     Desculpe-me a interrupção, fui pegar minha filha no teatro.

     Sou um tanto radical aos olhos de quem só vê flores, mas 

     só quem espetou-se nos espinhos da ditadura sabe que os 

     lobos de ontem se travestem de cordeiros hoje e continuam

     a espoliar nossa nação roubando os sonhos de quem não os

     conseguiu viver!!! Um país dígno para homens e MULHERES

     de bem. Vivo a dizer: "VOTEM NULO PARA MOSTRAR A ESSES

     CANALHAS QUE QUEM TEM O PODER É O POVO"

Comentário de viviane em 1 abril 2012 às 0:27

Sei meu amigo, vivi em época errada, minha família me educou no colégio Sion, no Rj, Parece dificil ententer, mas fui preparada para casar ou ser freira. Minha família não sabia que um dia eu ia me separar...mas aconteceu...e eu fiquei sem formação profissional. É muito triste essa sociedade que não dá oportunidade as pessoas que se esforçam e chegam lá no topo da pirâmide, mas na realidade essa pessoa não consegue nem fazer parte da pirâmede....Estou fora do mundo, estou fora da sociedade por ter me casado, criado fihos e me dedicado por 23 anos a minha vida a um casamento...Perdi minha juventude e minha vida e hoje só encontro portas fechadas pelo meu passado de ser mãe e esposa....

Comentário de julio cesar de souza em 1 abril 2012 às 0:05

       Caríssima ViViane!!! Olha, do fundo do meu coração vou te falar algo que

       pode parecer grosseiro mas não é. Nossa sociedade é muito hipócrita e a

       idade em muitos casos é um obstáculo, mas tenho um pouco de experiên-

       cia em treinamento e desenvolvimento de RH(recursos humanos) e posso

       apontar, de longe, qual seu maior problema, é só ter estudado, todos te-

       mos sapiência de que a educação em nosso país é uma "MERDA". Na inici-

       ativa pública a educação é só um "dreno" para as "robalheiras", reforma 

       educacional não passa de construções e aquisições que nunca serão apro-

       veitadas porque os vereadores, deputados(estaduais e federais), senadores,

       prefeitos, governadores e etc... fazem desta as sangrias das verbas e desvi-

       am tudo para seus bolsos e para os CAIXAS DOS PARTIDO(financiarem cam-

       panhas eleitorais milionárias). E na iniciativas privada, salvo raríssimas ins-

       tituições sérias, é só faturamento para seus "DONATÁRIOS" sem o pagamento

       de impostos. O QUE VALE MESMO É A EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL.

       Tenho filhos e uma filha(15 anos) eu lhe digo sempre: casamento não é reali-

       zação de vida é realização do coração, tão somente isto! Beijo amiga !!!

Comentário de viviane em 31 março 2012 às 23:39

Ao grupo,

Estou um pouco desapontada, soube através de uma amiga que a Hering está precisando de funcionários, ela veio me avisou e eu enviei o currículo, porém, devido a minha idade não fui selecionada.

Estou no último ano de Comércio Exterior, estudo na FURB em Blumenau e fiz faculdade de Direito no Rio na Gama filho. Porém não tenho experiência, por ter sido casada por 23 anos. Na minha vida a única experiência que tive foi estudar, cuidar de filho e do marido. E hoje, sozinha e em outro estado me encontro sozinha, sem condições de arrumar um emprego devido a minha idade. Isso é triste !

Tenho idade, mas espiritualmente sou jovem, alegre e super esforçada...não tenho culpa que depois de 23 anos de casada, me separei...nessa vida só quero uma oportunidade de vencer e seguir a minha vida...Obrigada, amigos....

Comentário de viviane em 19 março 2012 às 22:46

É verdade, já reparei isso. Às vezes, tenho que fingir que sou turista para ser melhor tratada.

Quando falo que vim morar aqui, eles mudam completamente o comportamento.

Obrigada!

Viviane.

 

Comentário de Oscar da Silva em 19 março 2012 às 22:39

Olá Viviane.

Estou de acordo com o Anderson e o Júlio.

Aliás, pedindo desculpas pela comparação, veja o caso da Geyse Arruda X Uniban. Ela processou a faculdade e ganhou a causa. Ela pleiteou R$ 1.000.000,00 e levou R$ 40.000,00; mas como ela mesmo disse: - Um milhão eu ganho trabalhando. O que vale é ter ganho a causa. E veja bem: - Ela foi insultada e desrespeitada por um bando de moleques desocupados e não por um representante do corpo docente da faculdade.

Quanto à um processo, eu sei qual a sua preocupação. Carioca recém chegada numa cidade sulista...

Perdoe-me, mas vou lhe perguntar: - vc nunca se sentiu excluída ou vítima de preconceito num clube, num bar, num restaurante, na própria faculdade? Vou lhe dar uma sugestão: - Finja que é turista argentina e depois me conte a reação de tal Jorge Freire Leal.

Comentário de viviane em 19 março 2012 às 16:54

Obrigada pela atenção.

Faço Curso Superior de Tecnológo em Comércio Exterio na FURB - Universidade Regional de Blumenau. Na cidade de Blumenau.

Nome do professor é Jorge Freire Leal.

Obrigada,

Viviane

Comentário de Anderson Nakasato Madalena em 19 março 2012 às 16:42

Sei que não é da minha competência opinar, mas acredito que você deveria realmente processar este seu professor sem educação. Sou totalmente contra a vingança, mas acredito que nesse caso, um processo serviria como forma de educar o tal do cidadão e prevenir que ele continue fazendo essas coisas.

Qual o curso que está fazendo? Estou muito longe mas acho que os que estão perto precisam dessa informação.

E vc ainda não disse o nome do professor....

Textile Industry

O Maior Portal de Informações Têxteis e do Vestuário do Brasil

© 2014   Criado por Textile Industry.

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço