Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano VI

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano VI

Autor: Roberto DaMatta

Roberto DaMatta_Instituto Millenium

Um fantasma ronda o Brasil: o fantasma da falta de educação e da baixaria. Juízes do Supremo, parlamentares, ministros, altos empresários e governadores – perderam o senso luso-brasileiro e ameaçam um bate-boca generalizado. Alguns tentam conjurar essas brigas anti-aristocráticas que pegam mal porque revelam muito do que não pode ser mostrado.

Aqui se faz um apelo aos leitores. Sejam sinceros e tirem a honestidade da zona cinzenta dos pecados e dos malfeitos. Façam o contrário dos diplomatas e dos populistas: proclamem o que pensam e sentem. Seremos todos acusados de intrigantes e boquirrotos pela direita (a dona da bola e, por isso mesmo, corrompida), pela esquerda (revolucionária, é claro, mas no poder e com vastos limites) e pelo centro que sempre foi o berço do nosso moralismo que diz que vai mas não vai antes de saber pra onde a coisa está indo e, por isso mesmo emudece porque a sinceridade que iguala é o maior pecado de um sistema desigual.

Critique abertamente e não se esconda no anonimato. Seja grosso com os pulhas que roubam o nosso dinheiro e discorde. Não escolha a pusilanimidade dominante.

- II -

Contrariando frontalmente a visão geral do escândalo que cobre o nosso país de egrégios gregos gregários – de Deltas a Demóstenes – envolvendo governantes e governados, eu afirmo que quando o bate-boca ocorre nas altas esferas temos um sinal de lucidez, de democracia e de progresso. No contexto da hipocrisia nacional uma discussão entre ministros do Supremo, é algo revolucionário.

Quando o bate-boca ocorre nas altas esferas temos um sinal de lucidez, de democracia e de progresso.

Todo tribunal é feito de conflitos, denuncias e busca da verdade. Exceto no Brasil onde ainda se tem o direito de mentir e se é obrigado a engolir choro. São os conflitos verbais que deixam surgir a Verdade com sua nudez transparente e escandalosa.

Chega de botar a poeira debaixo do tapete em nome de uma ética aristocrática. Vivemos um momento no qual o igualitarismo rompe nossas portas e, como um hóspede imprevisto e não convidado, demanda – acima de tudo – um mínimo de sinceridade. E a sinceridade só surge quando nos entregamos a forças maiores do que nós. Como foi o caso do ministro do Supremo que, criticado pelo colega, reagiu numa veemente e histórica entrevista.

Esse manifesto discorda da opinião segundo qual o Supremo fica menor quando seus membros discordam. Pois o seu autor está absolutamente seguro ao dizer que quanto mais os agentes públicos ficarem putos uns com os outros, mais democracia igualitária cairá, como chuva de verão, sobre todos nós.

O imprevisto é o centro da vida democrática. E o imprevisto maior do Brasil no qual vivemos é a descoberta do papel do estado não como fulcro de igualdade de oportunidades, mas como uma fonte de aristocracia e de enriquecimento ilícito. Só a baixaria pode liquidar a perversão de combinar até mesmo as discórdias. Temos que reformar a nossa boa educação de senhores de engenho que leva à mentira e ao agrado do governante para pegar o contrato sem discutir mérito ou eficiência. Mesmo – pasmem – quando isso pode existir.O bate-boca no Supremo, não diminui a Corte magistral. Muito pelo contrário, ele torna essa corte mais honrada e democrática. O Brasil precisa ser desmascarado e posto a nu para si mesmo. É hora de ver o fantasma.

- III -

Democracia é partejada por igualdade (todos podem falar, mesmo errado) e individualismo (todos tem o direito de querer) – esses valores que produzem conflito. O conflito revela o lado vivo do Supremo Tribunal Federal. Ele mostra que os nossos super-magistrados são humanos e suscetíveis de raiva, ressentimento e vingança. Por isso a discussão não é só mais do que bem-vinda: ela é fundamental.

- IV -

Sem opinião não há sinceridade. A medida da honestidade jaz no que realmente pensamos de algum assunto ou pessoa. É, pois, imperioso acabar com as luvas de pelica. Discutir não é ser mal-educado, é afirmar que – finalmente! – podemos concordar em discordar. O Brasil precisa ver as suas meias furadas.

- V -

Acabemos com a frescura dos lenços de seda – sejamos igualitários. Olhemos os fatos que estão nas manchetes e enxerguemos o que dizem. O bom-mocismo nacional é uma simpatia e uma gracinha como dizem os grã-finos, mas é também o modo de obter altos faturamentos não só em obras, mas em projetos do governo. Essa coisa personalizada e com dono mas sempre isenta, sempre ausente, sempre vendo o debate como uma baixaria e, por isso, sempre inocente porque não se mete ou é responsável por coisa alguma!

Irrompamos respeitosamente com dona mamãe. Ela diz: seja paciente com o tio Fulano ou com o Dr. Sicrano. Eu vos digo: sejam mal-educados e profiram o que pensam. O Brasil precisa de bate-boca – esse cerne da oposição! Mande o professor às favas, denuncie o prefeito, o senador, o empresário, o chefe e o presidente – caso eles sejam mentirosos, incompetentes e desonestos.

- VI -

Desvende o Brasil. Seja um mal-educado dizendo o que pensa. Só assim realizaremos a nossa tão atrasada revolução igualitária obrigando que esta CPI promova um desmascaramento geral. Rezemos para que todos botem a boca no mundo e sejam sinceros. Se isso ocorrer, faremos o inusitado: não vamos certamente acabar com a corrupção mas iremos ferir de morte esta republica que aristocratiza seus altos funcionários e torna milionários os seus sócios. Mal-educados do mundo, uni-vos!

Fonte:http://www.imil.org.br

Exibições: 74

Comentar

Você precisa ser um membro de Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano VI para adicionar comentários!

Entrar em Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano VI

Comentário de julio cesar de souza em 29 abril 2012 às 12:13

UMA VOTAÇÃO EXPRESSIVA, NÃO PRECISA SER UNÂNIME, MAS

SE ATINGIRMOS OS MESMOS NÚMEROS DOS VOTOS VÁLIDOS

SERÁ UM VEXAME(PARA OS POLÍTICOS) E EXPRESSARÁ O REPÚDIO

DO POVO PELAS ATITUDES VERGONHOSAS DE NOSSOS "CONGRES-

SISTAS". O MUNDO VERÁ QUE NÃO SOMOS CONIVENTES POR OMIS-

SÃO. AS ELEIÇÕES DE 2012 SERÃO DE FUNDAMENTAL IMPORTÂN-

CIA, POIS MESMO NÃO ATINGINDO DIRETAMENTE O CONGRESSO

NACIONAL ATINGIREMOS AS BASES, QUE ESTÃO NOS MUNICÍPIOS

ONDE TODO VOTO, REALMENTE, ACONTECE.

   " O VOTO NULO É DEMOCRÁTICO ESTÁ NA CÉDULA ELEITORAL"

Comentário de julio cesar de souza em 29 abril 2012 às 12:01

ADALBERTO, SEM TELHADO DE VIDRO E DEPENDENDO DA

MELHORIA NO DESEMPENHO DA ECONOMIA INTERNA E DA

QUALIDADE DE VIDA, SÓ NOS RESTA DIZER, "BASTA!!!"


E O NOSSO BASTA TERÁ DE SER PARA TODO O MUNDO(GLOBO

TERRESTRE) VER. E A FORMA MAIS DEMOCRÁTICA É NO VOTO,

ESTÁ LÁ NA CÉDULA ELEITORAL, "NULO".


 

Comentário de adalberto oliveira martins filho em 29 abril 2012 às 1:40

ANTONIO FERRE    o coceito de democracia e sua definição é isto mesmo!!!! mas isto nao acontece!!! veja que nao há respeito ao $$$ publico!!!!  aos eleitores que deram crédito e acreditaram em uma boa gestão....furtos e desvios de empreiteiras, de politicos...etc..etc.... .....inclusive de ONG'S que o governo ""ajuda"""a manter....dentre outros abusos!!!!

A partir do momento que são violados os direitos de um povo por um governo que nada vale,  isto significa que nao estão lhe respeitando!!!!Portanto vc tem o direito de se manifestar e  repudiar de todas as formas possiveis, inclusive xingando.....é seu direito!!! nao vamos em nome da famosa toleranica ser coniventes!!!! é cômodo!!!  é omissão!!! e omissão é o pior dos crimes!!!!Roberto da Matta que é autor do texto acima está corretissimo!!!  veja que se temos tantas desgraças em uma administração, nao adianta apenas culpar esta administração.....mas sim o povo, pois o mesmo segue simplesmente OMISSO!!!!!! Deveriamos ir até as ultimas consequencias para mudar a historia deste país!!!!mas nada fazemos em torno dos ""principios democraticos""...caramba......e o que fazemos???assistimos tudo passivamente, aceitando tudo que nos é imposto!!!  veja o caso específico da industria textil !!!!! estamos aqui nos debatendo, p-orem NÓS nada fazemos de mais radical!!!!!!!!somente pelo fato de nao haver uma união o qual nos levaria a um  envolvimento comprometimento sério, onde pudessemos ""contar""" com sindicatos de trabalhadores....já seria uma enorme revolução!!!!Atualmente temos umas merdas de direginetes sindicais da classe trabalhadora, que são uns toupeiras!!!! nao tem consciencia do que realmente vai acontecer!!! nao sabem projetar  e visualizar uma situação futura!!! por isto que estamos nesta merda......o Brasil somente vai mudar , se nós mudarmos, nós o POVO!!!!!qdo deixarmos de ser cordeiros e nos levantar .....ah...este país muda da agua para o vinho!!!!!

Comentário de adalberto oliveira martins filho em 29 abril 2012 às 1:22

JULIO   estamos livres em expressão e opiniões!!!!  grite, lute, meta a boca....mas nao pare!!!!  o maximo que acontece é o promotor de chamar e ""puni-lo"" com algumas cestas básicas para entidades!!!  NADA MAIS!!!! se alie a jornalistas que ""topam"' colocar em mídia...compre briga.....que vais ter um bom grupo te apoiando!!!faça denuncia escrita para promotoria, faça barulho.....e OFENDA A QUEM PISAR NO TOMATE....SOMENTE NAO TENHA NTELHADO DE VIDRO!!!

TFA/ADALBERTO

Comentário de julio cesar de souza em 27 abril 2012 às 14:40

VEJO QUE O VOTO NULO SERVIRIA A CAUSA DO POVO

EXPONDO NOSSA INSATISFAÇÃO PARA A OPINIÃO PÚ-

BLICA POIS UMA GRANDE E RETUMBANTE VOTAÇÃO

NESTA OPÇÃO CHAMARIA A ATENÇÃO DA MÍDIA NA-

CIONAL E INTERNACIONAL.

Comentário de julio cesar de souza em 27 abril 2012 às 14:36

MAS COMO PODEREMOS NOS EXPRESSAR ABERTAMENTE

SE A CENSURA DOS PODEROSOS AINDA É VIGOROSA E

POTENTE COM O RESPALDO DE LEIS QUE NOS COÍBEM???

PASSEI UM BOM TEMPO TENTANDO ARREBANHAR ADÉPTOS

AO MOVIMENTO DE REPÚDIO A POUCA VERGONHA CONGRES-

SITA VIA OPÇÃO ELEITORAL COM O VOTO NULO E FUI AMEAÇA-

DO COM UMA LEI DO T.R.E. QUE PROÍBE APOLOGIA AO VOTO

NULO MESMO SENDO ESTE UMA OPÇÃO LEGAL NO ESCRUTÍNIO.

OS ABUSOS E ABSURDOS CONGRESSISTAS ESTÃO BLINDADOS

POR LEIS QUE ELES FIZERAM PARA PROTEGER-SE DAS MANIFES-

TAÇÕES PÚBLICAS DE REPÚDIO.


Comentário de Antonio Silverio Paculdino Ferre em 27 abril 2012 às 12:16

Para combater a corrupção vale pegar em armas. Porém nunca precisaremos desrespeitar ninguem. Lutamos sempre pela educação em todos os níveis. Segue coceito de Democracia .

" Forma racional de convivencia, a democracia supõe que ninguem é dono da verdade; baseia-se no principio de que o consenso resulta do dialogo travado segundo os moldes da argumentação e da arte de persuadir; funda-se em que, não havendo consenso, a decisão se toma por maioria; assenta-se na boa fé e cortesia entre os interlocutores; exige, como regra elementar, o respeito ao adversário; prega a moderação ea tolerancia entre as parcialidades".

Textile Industry

O Maior Portal de Informações Têxteis e do Vestuário do Brasil

© 2014   Criado por Textile Industry.

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço