Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano IX

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano IX

Startup Modellagio desenvolveu solução de baixo custo que permite capturar o molde em papel usando um aplicativo no celular e armazenar o arquivo na nuvem.

Uma pesquisa entre 33 mil confecções brasileiras aponta que 90% da modelagem ainda é feita em papel. A preocupação em evitar o desperdício de tecido incentivou jovens empreendedores da startup Modellagio a lançar um aplicativo que permite a digitalização do molde e o armazenamento dos arquivos em nuvem. A solução captura o molde feito em papel por meio de um aplicativo no celular, o Drappi.

Outro software, baixado no notebook, faz a gradação daquele modelo para os vários tamanhos. O app é gratuito e o sistema CAD que vai no desktop é de baixo custo voltado para as pequenas empresas. “Nosso público alvo são 8 mil pequenas confecções que não têm acesso a um sistema digital de modelagem que geralmente é muito caro”, diz a diretora executiva da Modellagio, Tamara Larissa Terlin.

O Drappi é gratuito (sendo baixado a partir da Google Store, digitaliza o molde e o envia para a nuvem. “Só esse recurso já é um grande avanço para as confecções que podem levar para as nuvens todos os moldes que estão cortados em papel e que podem se perder”, explica Tamara. Na sequência, o profissional pode entrar no Sistema CAD Modellagio e baixar de sua área nas nuvens seus moldes e aí fazer graduações, encaixes e modificar as peças. Segundo a diretora, ter suas modelagens guardadas na nuvem oferece a todos a oportunidade de nunca mais perder um modelo e ter acesso remoto às coleções onde quer que estejam.

A idéia da Modellagio surgiu no Paraná em 2014, quando a aluna de moda Tamara foi indicada pelo Senai/PR para ajudar pequenas e médias confecções a digitalizarem suas coleções de moldes. A demanda cresceu tanto que foi difícil dar conta do trabalho. Esse desafio motivou Tamara a pedir ajuda ao especialista em tecnologia Alberto Azevedo, conhecido como Alby, concretizando o plano de criar um software gratuito que pudesse ajudar alunos e professores de moda e também pequenas e médias confecções.



Com esse propósito, Tamara e Alby foram chamados para fazer um programa de aceleração de statups no projeto NAVE, da Universidade Estácio no Rio de Janeiro. A partir daí receberam diversos convites: foram aceitos pelo Founder Institute, Startup Farm, Sesi Senai Inovação e o Ashoka ChangeMakers/Fundação C&A.  A solução foi desenvolvida com apoio do Senai Cetiq, do Rio de Janeiro, e ganhou o terceiro lugar no Lab Inovação na Cadeia da Moda, iniciativa do Social Good Brasil em parceria com o Instituto C&A.

Um dos objetivos da solução, segundo Tamara, é baratear a criação e a produção da peça para que a marca não tenha que economizar na mão de obra. Além do app no celular e o sistema CAD no desktop, a Modellagio está formando um marketplace para conectar profissionais de criação e modelagem para que as pequenas e médias confecções possam buscar profissionais nessa rede.

Cada usuário monta seu perfil, como nas redes sociais, e o modelista pode gerir sua conta e disponibilizar suas criações para venda. “Sabemos que dentro das confecções existe falta de mão de obra para modelagem no desenvolvimento de coleções, por isso a idéia dessa ponte, atendendo a demanda”, explica Tamara.

O Drappi continua em testes. “Toda nossa plataforma está na fase de criação de recursos e interfaces que serão testadas com os profissionais do Senai Cetiqt e liberados ao público apenas depois de tudo validado”, afirma a diretora. Um grupo de acionistas foi escolhido para participar dessa etapa e o lançamento do produto final deve acontecer em alguns meses.

Para crescer Tamara aposta em parcerias. “Queremos criar pequenos birôs de criação de protótipos ou pequenas coleções usando a tecnologia para criar toda a cadeia de moda em um único lugar”, explica. A intenção é montar um sistema integrado, imprimindo, cortando, costurando e usando tecidos do Banco de Tecidos para desenvolver a coleção. “Pretendemos fazer isso em São Paulo, no Malha no Rio de Janeiro e no Impact Hub em Florianópolis (SC), usando voluntários dos projetos que participaram do Lab Inovação na Cadeia da Moda.

Outro projeto, em parceria com o Viver de Costura, de Minas Gerais, é criar uma coleção de um nome famoso do mundo da moda junto com uma grande marca, como a C&A, construída com o sistema CAD da Modellagio e tecido do Banco de Tecidos. “Seria uma coleção limitada e à venda numa loja específica da C&A e disparar isso na mídia para testar a força de nossas iniciativas junto ao público”, completa Tamara.

http://gbljeans.com.br/noticias_view.php?cod_noticia=7436

Para participar de nossa Rede Têxtil e do Vestuário - CLIQUE AQUI

Exibições: 4992

Comentar

Você precisa ser um membro de Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano IX para adicionar comentários!

Entrar em Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano IX

Comentário de Romildo de Paula Leite em 20 março 2017 às 10:56

   “Sabemos que dentro das confecções existe falta de mão de obra para modelagem no desenvolvimento de coleções, por isso a idéia dessa ponte, atendendo a demanda”.

Comentário de Romildo de Paula Leite em 11 março 2017 às 7:30

  O Drappi continua em testes. “Toda nossa plataforma está na fase de criação de recursos e interfaces que serão testadas com os profissionais do Senai Cetiqt.

Comentário de Romildo de Paula Leite em 10 março 2017 às 8:22

   “Queremos criar pequenos birôs de criação de protótipos ou pequenas coleções usando a tecnologia para criar toda a cadeia de moda em um único lugar”.

Comentário de Romildo de Paula Leite em 9 março 2017 às 15:54

  . A solução captura o molde feito em papel por meio de um aplicativo no celular, o Drappi.

© 2017   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço