Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

10 Práticas para as franquias se protegerem da crise

10 práticas para as franquias se protegerem da crise

O setor de franquias brasileiro conseguiu dar boas respostas aos desafios impostos pela pandemia de coronavírus, segundo estudo publicado na revista Global Business and Organizational Excellence. A publicação destaca que a crise acerta em cheio os países emergentes, onde as franquias têm peso importante na economia: o Brasil está entre os cinco principais países do mundo em número de marcas de franquias, segundo dados da pesquisa World Franchise Council.

E justamente por atuarem em diversos setores, como serviços, varejo, turismo e food service, as franchising sofrem com os efeitos diversos em cada um deles. O artigo é assinado por Vanessa Bretas, especialista em franquias, e Ilan Alon, professor da Universidade de Agder, na Noruega.

“Em um contexto de incertezas, as práticas adotadas pelas redes de franquias brasileiras foram uma boa resposta em um primeiro momento”, diz Vanessa, especialista no setor e pesquisadora na Universidade de Agder e ESPM. “As empresas fizeram ajustes na operação, incorporaram novas tecnologias e utilizaram características do próprio sistema de franquias, como comunicação eficiente, para conseguir flexibilidade nas negociações.”

O estudo levou em consideração uma série de relatórios de entidades setoriais e comerciais, principalmente dos mercados emergentes. No caso do Brasil, a análise também considerou a participação de franqueadores, franqueados e webinars promovidos pela Associação Brasileira de Franchising (ABF), onde foram discutidos temas relacionados às medidas tomadas no cenário da pandemia, bem como os planos para a retomada das atividades.

Veja a síntese das melhores práticas destacadas pelos autores para as empresas enfrentarem os desafios gerados durante a pandemia de coronavírus:

10 boas práticas para se proteger durante a crise

1. Crie um comitê multidisciplinar de crises

Vários franqueadores criaram comitês multidisciplinares de crise, que incluíam vários franqueados diferentes para discutir alternativas, estabelecer medidas necessárias e criar estratégias. Ter esses comitês acelerou a velocidade nas decisões.

2. Avalie o orçamento e cortar despesas não essenciais

Uma avaliação completa do orçamento da empresa é crucial. A principal preocupação dos franqueadores e franqueados, considerando todas as as áreas de negócios, foi preservar seu fluxo de caixa, reduzir as despesas e manter pelo menos parte de sua receita. Os contratos não essenciais e temporários foram revisados ​​ou cancelados. Medidas relacionadas a funcionários, como redução de salário e suspensão de contratos de trabalho, foram amplamente adotadas.

3. Compreenda os pacotes de medidas para emergência  

As empresas de franquia também precisaram do reforço de emergência do governo, como linhas de crédito para pagar os salários dos funcionários e cobrir custos fixos. Para conseguir isso, franqueadores e franqueados precisam entender exatamente quais pacotes de ajuda estão disponíveis e como se candidatar a eles.

4. Conecte-se com associações setoriais relevantes

Associações comerciais e setoriais desempenham um papel importante na comunicação das necessidades das empresas com o governo e outras entidades públicas. Eles também podem ajudar na negociação com outros pares, como bancos e outras associações.

5. Tente renegociar contratos para reduzir perdas

As empresas podem negociar com fornecedores e proprietários para evitar algumas perdas no orçamento, seja ao reduzir taxas, oferecer descontos no aluguel ou adiar pagamentos.

6. Faça adaptações no modelo de negócio

Para se adaptar às mudança, as franquias precisam modificar seu modelo de negócio. Adotar novas tecnologias, operar com ‘dark kitchens’ – cozinhas sem atendimento físico com foco nas entregas – ou fazer campanhas de vendas futuras, como comprar vouchers agora e só pegar o produto, ou usar o serviço, quando o período de isolamento acabar.

7. Desenvolva uma relação franqueador-franqueado

Os franqueadores precisam ajudar os franqueados a encontrar respostas financeiras apropriadas para a crise. A abertura de novos canais de comunicação com os times, como webinars, podcasts e reuniões on-line, é uma maneira de conseguir isso. A flexibilidade no pagamento de taxas também ajudará a reduzir a pressão imediata sobre os franqueados.

8. Comunicação e transparência com os funcionários

A comunicação e a transparência com os funcionários são essenciais. Franqueadores e franqueados precisam ajudar as equipes na adaptação dos novos modos de trabalho, principalmente a o fornecer informações sobre o que está acontecendo com os negócios e sobre saúde e bem-estar.

9. Melhore a comunicação com os clientes

Franqueadores e franqueados devem adaptar e intensificar sua comunicação com os clientes. O uso de ferramentas digitais é uma das apostas para melhorar o relacionamento.

10. Tudo pode mudar: reavalie regularmente as estratégias

Quando o assunto é coronavírus, ainda há muita indefinição. Ou seja, novos cenários surgem diariamente. Portanto, é essencial que as estratégias de negócios sejam revisadas periodicamente para levar em conta as mudanças nas circunstâncias do dia a dia.

Fonte: E-Investidor

http://sbvc.com.br/10-praticas-franquias-crise/

Para participar de nossa Rede Têxtil e do Vestuário - CLIQUE AQUI

Exibições: 19

Comentar

Você precisa ser um membro de Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII para adicionar comentários!

Entrar em Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

© 2020   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço