Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XVI

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XVI

Luiz barbosa da fonseca lima barbosa

Para: Julio Caetano

Cc: CLAUDIO FRANÇA, ABTT CC - Camilo, RENATO MAIA, Tiberio Sá Maia, Ricardo Keller, Moreira, ABTT CN - Carlito, Jose Roberto Ribeiro, valdemi abreu, Erivaldo Cavalcanti, adelmo@secv.com.br, Luiz Pereira60, ROMILDO LEITE, Jose Barbosa, heveraldodealmeida.heveraldo@facebook.com, Jose Carlos Dalles, JOSE IDELFONSO, EDGARD DORING, Oscar Ferreira, aderbalspeck@ibest.com.br, adolar klemke, Paris Amaral, WULPHIAN FANNING, CLEBER SANDES, Bruno Modesto Lima.

JULIO, VOCÊ É PUXA SACO DOS PRESIDENTES DA ABTT. EU DISSE QUE, A ABTT ESTARIA FORA PORQUE COMO ASSOCIAÇÃO NÃO DEVE SER SINDICATO DE CLASSE COMO VOCE E O INGO SCHYMURA SEMPRE DEFENDERAM, NEM TAMPOUCO A COOPETEXTIL DEVE SER REPRESENTADA ESTATUTARIAMENTE COM ENTIDADES DE CLASSE COMO A ABTT. A COOPETEXTIL PERTENCE AOS TÉCNICOS E PROFISSIONAIS TÊXTEIS QUE DESEJAREM SE ASSOCIAREM  INDIVIDUALMENTE. NÃO DEVERIA SER ASSOCIADA COM A ABTT, CUJOS ESTATUTOS DE AMBAS, NÃO COMBINAM NEM PERMITEM ; MAS, PODERIA E DEVERIA SER PARCEIRAS EM VARIAS ATIVIDADES ; MAIS DO QUE COM A ABIT, PATRONAL E QUE DEFENDEM DIREITOS DIFERENTES ; NÃO MISTURE ALHOS COM BUGALHOS ! EU SOU DO CONSELHO DA ABTT COMO VOCÊ É, MAS NÃO COMUNGO DE SEUS IDEIAIS ATUAIS QUE NÃO LHE RESPEITA COMO MEMBRO DO CONSELHO, QUE ALIÁS, NUNCA FOI OUVIDO NEM RESPEITADO COMO TAL. VOCÊ É QUEM FICA PUXANDO O SACO DO REINALDO ROZATTI, EX PRESIDENTE E PRESIDENTE DE FATO ATUAL DA ABTT, QUEM COLOCOU UM POSTE NA PRESIDENCIA DE DIREITO NA ABTT ATUALMENTE, PARA CONTINUAR MANDANDO E FAZENDO BESTEIRA A FRENTE DA ABTT, FINGINDO QUE ESTÁ TUDO BEM ! A FCEM ESTÁ RICA E CHEIA DE CLIENTES, GRAÇAS À ABTT, E ESTA POBRE COMO SEMPRE, MEDINGANDO OS ESPAÇOS GRATUITOS DAS FEIRAS DA FCEM, PARA REALIZAREM OS FRACASSADOS CONGRESSOS NACIONAIS QUE JÁ FORAM EXCELENTES ; CADÊ O CONTRATO DA ABTT COM A FCEM QUE NUNCA FOI APRESENTADO AO CONSELHO OU A QUALQUER TÉCNICO ASSOCIADO DA ABTT. EU JÁ PEDI E NUNCA FUI ATENDIDO. VOU PEDIR NOVAMENTE COM REGISTRO EM CARTÓRIO. CONTINUO AFIRMANDO, VAMOS VER... ??? BARBOSA.

Date: Fri, 31 Jan 2014 23:31:38 -0200 From: juliocaetano@abtt.org.br To: luizbarbosalima@hotmail.com CC: ludierirepresentacoes@gmail.com; aghatex@terra.com.br;

: Boletim N. 502 PREZADOS, quando o Luiz Barbosa lançou a feliz ideia de fundar a COOPETÊXTIL, fui um dos honrados convidados a participar. O Luiz Barbosa é ex Presidente e é Membro do Conselho Consultivo e de Ética da ABTT. Antes, a ABTT fez uma tentativa de organizar algo semelhante, sem sucesso, com o nome de “SERVIÇOS”. Imediatamente perguntei ao Barbosa, onde estaria a ABTT neste novo projeto? Recebi a resposta que a ABTT estaria fora. Imediatamente respondi que assim, eu também estaria fora. Até hoje não entendo, depois de ser fundada a ABTT em 1962, alguns desistirem de lutar por seu engrandecimento e optarem por organizar ações independentes. A união faz a força. Nunca participei, embota sempre tenha incentivado e apoiado a iniciativa. Há testemunhas, dentro da própria COOPETÊXTIL. Quando a COOPETÊXTIL recebeu do Reinaldo, Presidente da ABTT, autorização de organizar o Seminário da ABTT em Caruaru-PE, patrocinado pela FCEM, fui contra; fui voto vencido; participei; infelizmente, foi um desastre para a ABTT. Se o Luiz Barbosa e a COOPETÊXTIL desejam colaborar na formação do Profissional da Cadeia Têxtil, não deve ser somente apresentando críticas, mas participando dos debates nos locais e momentos apropriados e adequados. Com certeza tem muito a colaborar. Cordiais Saudações Associativas Julio Caetano Em 31.01.2014 22:34, luiz barbosa da fonseca lima barbosa escreveu:

EU NÃO DOU PARABENS PORRA NENHUMA...ESSA DIVULGAÇÃO NÃO É O QUE O TÉCNICO TÊXTIL ESPERA, NEM NENHUMA PRESTAÇÃO DE SERVIÇO QUE A ABTT TEM QUE FAZER. PORQUE NÃO SE PREOCUPA COM A FORMAÇÃO TECNOLÓGICA PARA O TECNICO TÊXTIL ATENDER A OUTRAS ATIVIDADES TÊXTEIS, QUE NÃO SEJA APENAS : FABRICAR FIO ; TECIDO DE TELA E BRIM ; BENEFICIAMENTO DE MALHA E CHITA ESTAMPADA ?

ESSA ABTT VAI MUDAR ! ENGRAÇADO ! PUBLICA EM SEU BOLETIM PROPAGANDA ENGANOSA DAS ESCOLAS DO SENAI SEM CORPO DOCENTE E NEM DECENTEMENTE QUALIFICADO, MAS, NÃO ÁPOIA NENHUMA ATIVIDADE REAL QUE EXISTE, QUE EMPREGA TÉCNICOS TÊXTEIS, MECÂNICOS ESPECIALIZADOS TÊXTEIS E OUTROS COLEGAS DESEMPREGADOS E QUE SE PROPÕE A FAZER TREINAMENTO NO PRÓPRIO LOCAL DE TRABALHO, ISTO É, NAS EMPRESAS EM QUALQUER REGIÃO DO PAÍS. ESTOU FALANDO DA COOPETÊXTIL, QUE É SACANEADA E DESPRESTIGIADA PELA DIREÇÃO DA ABTT DE SÃO PAULO, QUE QUER SE ETERNIZAR NO PODER, ACABANDO COM OS DESPRESTIGIADOS NUCLEOS REGIONAIS E OS NOSSO CONGRESSOS NACIONAIS. VAMOS VER ... ESTÁ PARECENDO O PT ! BARBOSA.

---

Date: Thu, 30 Jan 2014 10:37:54 -0200 From: juliocaetano@abtt.org.br To: presidencia@abtt.org.br; jrg@osite.com.br; luizbarbosalima@hotmail.com; secretaria@abtt.org.br; cborelli@fei.edu.br; reinaldo@abtt.org.br; cadpolonia@yahoo.com.br; r.haydu@revistatextil.com.br Subject: Boletim N. 502 Parabéns pela divulgação. É Prestação de Serviços que os Profissionais necessitam/esperam da ABTT. CSA JC -------- Mensagem original --------

Assunto: Boletim N. 502

Data: 30.01.2014 09:38

De: ABTT - Associação Brasileira de Técnicos Têxteis <abtt@abtt.org.br>

Para: <juliocaetano@abtt.org.br>

ABTT Associação Brasileira de Técnicos Têxteis Fundada em 02/11/1962 www.abtt.org.br abtt@abtt.org.br

Exibições: 969

Comentar

Você precisa ser um membro de Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XVI para adicionar comentários!

Entrar em Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XVI

Comentário de Carlos Roberto Araújo Daniel em 3 fevereiro 2014 às 22:19

é realmente triste acompanhar o que vem acontecendo, lamento! Problemas para indústria têxtil já basta o que estamos vendo em termos de concorrência desleal com os asiáticos e o governo sem mexer uma palha, companheiros que  defendem e lutam pela indústria têxtil, e em particular pela ABTT,  sabemos o quanto Barbosa e  Júlio representam para a categoria, não podemos é concordar que por divergências de opiniões venhamos tornar a ABTT mais fraca do que vem se tornando nos últimos anos. todos que como eu, participamos dela ainda do tempo de ETIQT, sabemos o quanto isto é maléfico. Barbosa e Júlio vamos  direcionar este debate com a mesma maturidade e competência que vocês têm no campo têxtil. Todos podemos sair ganhando, não com este direcionamento que está se apresentando.

Comentário de Romildo de Paula Leite em 3 fevereiro 2014 às 19:19

Prezados Srs. Bom Dia,

 

Fico muito triste em ver membros de duas Instituições respeitadas no mercado Têxtil, tratando de um assunto tão importante  muitas vezes  nos e-mails abaixo com rusgas pessoais, principalmente copiando um numero enorme de pessoas.

 

Sugiro aos Srs. que marquem uma reunião com os diretores de cada Instituição discutam o assunto a nível das  Diretorias são tomem as decisões e depois divulguem a seus Associados, isto mostrará a maturidade, importância e respeito que as duas instituições merecem.

 

João Carlos Lebre

Vice Presidente - ABTT

Comentário de Romildo de Paula Leite em 3 fevereiro 2014 às 19:15

Colegas,

 

Sensatas as palavras do França.

 

Porque, realmente foi notável o afastamento da ABTT desse belo movimento que se constituiu fundação da Coopetêxtil.

 

Tenho me erguntado se não está ocorrendo a mesma indiferença com relação a tentativa da criação do Museu Têxtil a que se lançou com tanta ênfase o ardoroso colega Elízio Perez junto aos diretores da nossa associação?

 

Afinal uma associação de classe como o é a ABTT só se justifica pelo desprendimento dedicado aos seus confederados sócios para os tornar mais fortes individual e coletivamente.

 

Logo no início da vida da nossa associação, quando foi necessário ativar o núcleo paulista, debatemos com os colegas Teodomiro e Geraldo que faziam parte do grupo dos verdadeiros criadores da ABTT se não desejaríamos uma associação para se transformar futuramente em sindicato como foi a finalidade de muitas desçe país de  declarados totalitaristas??? Recebemos deles uma formidável negativa. Essa posição inicial caiu como uma promessa de que lutaríamos pela associação de classe e jamais pelo sindicalismo, o que nos motivou demais, na vontade em soerguer o Núcleo de São Paulo, com os meus colegas da Escola Têxtil de São Paulo.

 

E qual a diferença entre Associações de Classe e Sindicatos.

 

Antes das definições cabe-nos fazer uma observação pessoal, entre parênteses.

 

Associação consegue sua força pela união fraternal dos membros. Uma associação Tudo pode, em benefício dos membros, graças aos estatutos. Fora deles coisa nenhuma. Uma associação cresce na medida exata que a classe adquire valor, com sua ajuda.

Enquanto o sindicato impõe sua força pela autoridade (paternalista) dos diretores que dispõe (pela legislação). Fecha os parênteses depressinha

 

Agora, (vamos as definições):

 

As associações possuem cunho técnico-científico, com o objetivo de ajuda aos profissionais, estudantes e também aos correlacionados com suas atividades. Proporcionando-lhes cursos, palestras, congressos e jornadas, encontros, simpósios e demais eventos científicos. Cuida de reciclar os conhecimentos técnicos, tendo como objetivo atualizá-los diante de uma sociedade que exige cada vez mais qualidade, especialização, excelência e competência. Também oferecem apoio ao profissional.

 

A ABTT Teve grande valor para nós, nesse aspecto. Os técnicos têxteis foram brindados com excelentes oportunidades de emprego, graças a força que nos deram os diretores centrais e alguns dos núcleos estaduais. Atuações que se refletiram com enorme ímpeto em estados  de núcleos pacatos.

 

Já os sindicatos lutam pela melhoria das condições de trabalho, da remuneração dos profissionais, das relações entre proprietários de empresas privadas, públicas e colaboradores, e à defesa da classe, entre outras atividades. Verificam jornada ideal de trabalho do profissional, piso salarial, acordos anuais, fazendo prevalecer todos os direitos trabalhistas garantidos pela CLT.

 

Os TT por suas peculiaridades não necessitaram desse apoio sindical pois a associação em muitos casos renderam a simpatia dos patrões que souberam atender nossos reclamos profissionais.

 

Na verdade e de fato as associações conquistam apoio dos setores industriais e da própria classe profissional

Enquanto o sindicato têm a força de coerção do estado.

 

Uma vez que estamos no campo das definições vamos tratar também da COOPETEXTIL:

 

Entidade especializada que exerce atividades por atos cooperativos, na prestação de serviços para obterem em comum melhores resultados. Visando aproximar os técnicos têxteis fora de suas atividades com o mercado de trabalho carente de especialistas, especificamente dessa área têxtil.

 

Ótimo campo para ABTT atuar junto às Escolas Têxteis – Senai – etc. : Tomar conhecimento do porque faltam especialistas no mercado de trabalho.
Outra, muito interessante. Por que os técnicos se encontram fora de atividade, quando ainda fazem sucessos

 

Em todo caso, uma Coopetextil dentro de ABTT teria que nascer num congresso que se executa a cada dois anos. Se aprovado por estatutos.

 

Nunca em uma conversa dentro do Bar do Dimas onde se saboreia uma peixada (sardinha em lata) regada a barrriguda (cerveja preta em garrafa buchuda de litro) bem suada (estupidamente gelada).

 

 

Grande abraço,

tibério

 

Comentário de Romildo de Paula Leite em 2 fevereiro 2014 às 19:35

Caro Edgard

 

Sempre admirei seu espirito contemporisador e creio  que na "questão" LBxJCHB a ótica da sua  abordagem deveria ser reavaliada...Não temos aqui a simples diferença de "pontos de vista" mas algo além, que o Barbosa, externa com profunda indignação...Você lembra daquela noite que eu queria levar ele, você, a Norminha e outros que não me lembro no GALERY e quando o porteiro

 nos proibiu o Barbosa retrucou "Paulo, porque você quer entrar num lugar que só tem Viado, Corno e Puta? Isso para que todos os sócios que estavam entrando no recinto e membros da Classe Media Alta Paulistana, ouvissem a bom som o que o Barbosa destemidamente dizia. A risadaria foi geral e nós fomos embora e deixamos o porteiro com o queixo caido.

 

A indignação do Barbosa JAMAIS será compreendida por aqueles que estão felizes no seus empregos ou satisfeitos com sua Aposentadorias,(como mostram os comentarios na matéria exposta no link http://textileindustry.ning.com/profiles/blogs/abtt-x-coopet-xtil xg_source=msg_mes_network

 

Para outros como você, que também idealiza um novo MODELO ACADÊMICO para a FORMAÇÃO TEXTIL, não só dos essencialmente Formandos do CETIQT e outras Escolas Têxteis, mas, como eu, prega uma FORMAÇÃO AMPLA para as outras de Curriculos STEM, sabe que o que está ai é revoltante.

 

A própria ASME (American Society of Mechanical Engineers) reconhece e adota a existencia de uma DIVISÃO TEXTIL dentro do seu Organograma e eu pessoalmente chamo de no minimo estranho o fato de nenhuma entidade de Engenharia Brasileira entre as muitas existentes, se preocuparem em adotar esses conhecimentos para que seus profissionais possam desempenhar CORRETAMENTE suas RESPONSABILIDADES.

 

Na Televisão vemos todos os dias o Paulo Skaf fazer propaganda do SENAI dizendo "se a industria precisa de pedreiros, o SENAI forma PEDREIROS..." e assim passa sua mensagem SUBLIMINARMENTE para os "delinquentes" com eu e você, (e também o Barbosa) em querer que mudar esse "status"... Como o Skaff finge ignorar que os "pedreiros" que ele forma  jamais teriam lugar nas CONSTRUÇÕES TEXTEIS que são erguidas em DUBAI ou mesmo em Taiwan ou Singapura.

 

Em outras palavras, o SKAF deixa claro que o SENAI atende aquilo que a industria pede...  é só... Não leva em conta que a função da Escola, além de atender a necessidade de mão de obra da industria, também deve ter a preocupação de AMPLIAR OS HORIZONTES dos seus formandos, para que ele tenha a chance da ESCOLHA e ampliação das suas OPORTUNIDADES, que correspondem às reais necessidades do PAIS.

 

Se a industria precisa de um técnico ou engenheiro para "fazer fio" ela assim o terá... Da mesma maneira se for para "fazer tecido ou roupas, etc"... Abrir horizontes, mostrando as APLICAÇÕES que aquele mesmo fio ou derivados, e ainda tecidos e derivados tem em vários processos e instalações... NEM PENSAR...AS ESCOLAS NÃO FAZEM ISSO NO BRASIL... NEM NENHUMA ASSOCIAÇÃO AQUI INSTALADA...

 

Nas minhas andanças já verifiquei que as outras formaturas STEM, são tão primarias quanto apenas a serviço do preenchimento de uma vaga para atendimento da Legislação.

 

Pensar como solucionar um problema qualquer dentro da empresa onde trabalham... SÓ SE TROCAR TODO O EQUIPA|MENTO VELHO POR NOVOS, (o BNDS e o FGTS está ai para garantir o tranco, mesmo sem seus verdadeiros donos saberem desse fato) 

 

Veja o exemplo anexo do que constatei em CSN quando lá estive e modifiquei esse raciocinio... Esse trabalho me trouxe mais ódio do que agradecimento, mas hoje pode exemplificar o que qualquer profissional têxtil pode fazer em beneficio da industria EM GERAL... Esse é apenas um pequeno exemplo do que fizemos lá, sem falar do que ja foi feito para a PETROBRAS e outros grandes.

 

O proprio Barbosa juntamente com o Grande TIBERIO realizaram um grande trabalho "FORA" das atribuições deles, quando um problema de abertura de CALA em determinados teares sob a responsabilidade deles teria que fabricar certos tecidos cuja lançadeira teria que ser aumentada e a CALA atual não tinha abertura para tal...

 

A genialidade deles em MODIFICAR o perfil do CAMO e assim ajustar a nova abertura de CALA, realizou um trabalho que nenhuma formação STEM seria capaz de realizar, com a urgencia e rapidez que eles realizaram...

 

Você mesmo caro ED, se preocupou em melhorar a eficiencia de determinadas estufas em uma empresa que você trabalhava, visto que a eficiencia das mesmas não lhe atendia...E certamento pelo que lhe conheço, já realizou muitos outros trabalhos que sua genialidade lhe propiciou fazer... A ESCOLA e a ABTT deveria agradecer e ELOGIAR ambos pelo serviços prestados à CIENCIA TÊXTIL BRASILEIRA.

 

Não conheço as histórias de outros que certamente o Barbosa e você pode relatar em CENTENAS ou talvez MILHARES, as quais poderiam ser relatadas em NEWSLETERS, como ocorre normalmente com outras ASSOCIAÇÕES que se proocupam com o ASSOCIADO e não apenas com a INDUSTRIA da qual se originou.

 

Posso citar que pertenço a uma ASSOCIAÇÃO JAPONESA que me envia seus NEWS LETTERS atraves de uma sun asociada que trabalha em con junto e presta serviço à industria de vários paises, via o prestigio da ASSOCIAÇÃO da qual se originou.

 

No caso da ABTT, me parece que o ESTATUTO da mesma EMPERRA seu funcionamente (talvez propositalmente) e por isso tudo se torna tão dificil.

 

Enfin, concordo com você ED na afirmativa que tudo pode ser solucionado na PAZ e HARMONIA, mas é preciso que não haja a "X" como contenda e sim como VITÓRIA com diz a própria "TIFERETH".

 

Para os que provavelmente não entendam o que é TIFERETH... O REYNALDO (ex Presidente) sabera dizer o que significa.

 

A COOPETEXTIL poderia ser realmente o BRSAÇO DIREITO da ABTT na solução de problemas (INUMEROS) como os citados, tanto na industria têxtil quanto em qualquer outra industria, caso a ABTT ou ABIT não estivesses fechadas em seus ESTATUTOS que incompreensivelmente se apresentam da maneira que as propagandas do SKAF anunciam com suas mensagens subliminares inseridas.

 

Abr.

 

PV

 


 

 

Em 1 de fevereiro de 2014 19:33, EDGARD DORING a href="mailto:eedoring@hotmail.com" target="_blank">eedoring@hotmail.com> escreveu:


Meus  queridos  e  estimados  amigos  JULIO  e  LUIZ BARBOSA.  É  ridículo  a  picuínha  entre  estes dois  colegas  septagenarios  como  eu,  por  questões  políticas da  ABTT e da  COOPETEXTIL.   Conheço  os  os  dois  amigos,  Júlio desde  os  primeros  dias  na  ETIQT,  e  Maceió  desde o  tempo  em  que era  médio volante  no  2° time  do  CAETÉS, ( na  época  eu  era  o  lateral esquerdo do  time  principal,  aliás  muito  bom  a  bessa, bom  pacas  -  melhor  só  o  saudoso  Nilton Santos.)
Ambos  são  imbuídos  dos  mais  nobres ideais,  cada  um  à  sua  maneira  e   opiniões  divergentes.ft  Como  considero  "opinião" igual a  uma  bunda,  cada  um  tem  a  sua, as  vêzes  artificial,  grande, pequena,  feia, bonita, dificilmente  igual  a  outra,  e  por  considerar  como uma  bunda, reservo-me  ao  direito  de  não  dar a  minha.
Vi  no  decorrer  destas  5  décadas o empenho  dos  colegas na  divulgação e  manutenção  da  ABTT, chegando  inclusive  à  sua  Presidência. ... 

.
Edgard D.

Comentário de Textile Industry em 2 fevereiro 2014 às 10:29

jose claudio frança [ludierirepresentacoes@gmail.com]

Creio que a abtt e Coopetextil são coisas distintas estatutariamente  e por razões mais  objetivas.

 

Tenho acompanhado as atividades da Coopetextil e realmente   emprega os profissionais cooperados e até  demais pessoas  do ramo com outras funções , as  atividades dos profissionais têxteis principalmente os técnicos têxteis na entidade é real , atendendo as necessidades das empresas têxteis   , a Coopetextil presta serviço direto em atendimento as  fabricas através dos mesmos , emprega de fato os mesmos nas fcas. que prestam serviço e até nas  fcas. que ainda não foram atendidas.

 

Porém  acho muito deselegante quanto a abtt não    ter apoiado e continuar a não apoiar  a Coopetextil ,  apoiar a  Fundação  tudo bem    ,,   mais é completamente sem ÉTICA, não fazer o mesmo com a Coopetextil , não há  respeito e nem considerações que se deve a um técnico têxtil   que preside a Coopetextil ,que faz parte da abtt a 52 anos , mas  não é  só fazer parte ,é ser mesmo  um abnegado e dedicado   ,   realizador de várias  atividades na abtt  como  vários CNTTs, vários eventos,regionais, ,  ex. presidente da abtt e ocupou várias posições na diretoria , atualmente faz parte do conselho de ética que é presidido pelo  recente ex. presidente Reinaldo Rozzati..   .

Quando a Coopetextil foi RECONHECIDA  e registrada no SEBRAE , girou divulgação através da internet  , e o Brasil inteiro retornou com mensagens parabenizando pelo realizado pela Coopetextil e a abtt não teceu um linha se quer , realmente é lamentável  o descaso.

 

abraço a todos.

Comentário de Romildo de Paula Leite em 2 fevereiro 2014 às 10:16

  Dona Francisca , sou Técnico Têxtil formado pela ETIQT ( CETIQT)  e trabalhei 40 anos na indústria têxtil , existem muitas coisa erradas no nosso meio fabril.

Comentário de Romildo de Paula Leite em 2 fevereiro 2014 às 10:10

 Dona Francisca a verdade tem que ser dita , doa a quem doer.

Comentário de Romildo de Paula Leite em 2 fevereiro 2014 às 9:43

ESSA ABTT VAI MUDAR ! ENGRAÇADO ! PUBLICA EM SEU BOLETIM PROPAGANDA ENGANOSA DAS ESCOLAS DO SENAI SEM CORPO DOCENTE E NEM DECENTEMENTE QUALIFICADO.

Comentário de Hiroshi Yamamoto em 2 fevereiro 2014 às 8:32

nao me parece ser comentarios para estar sendo publicado ...

Comentário de Hiroshi Yamamoto em 2 fevereiro 2014 às 8:31

O q esta havendo !?

© 2023   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço