Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XVI

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XVI

Algodão - Oferta Mundial Deverá Manter-se Inferior à Procura

Fonte:|portugaltextil.com|

O excesso de procura levou o preço do algodão para níveis recorde, um relatório recente aponta que a oferta mundial deverá manter-se inferior à procura e a Índia deu sinal de que pretende manter os seus actuais limites sobre as exportações ao nível dos 5,5 milhões de fardos.

dummy
Algodão bate recorde

O impacto combinado do excesso de procura e das restrições indianas sobre as exportações de algodão tem ajudado a impulsionar para novos recordes os preços da fibra, que chegaram a superar os 2 dólares por libra em Março na ICE Futures nos EUA.

O aumento nos preços parece ser suportado por dados do Departamento de Agricultura dos EUA (USDA), que reduziu a sua estimativa de produção mundial em 205 mil fardos, passando dos 115,5 para os 115,3 milhões de fardos, com base numa colheita provavelmente menor no Uzbequistão. Entretanto, o consumo mundial deverá permanecer em torno dos 116,6 milhões de fardos.

Os agricultores de algodão do mundo estão a planear aumentar a sementeira para a colheita de 2011/12, incluindo um aumento de 9,8% na área cultivada na China, o principal produtor, consumidor e importador de algodão do mundo, e um aumento de 14% na área cultivada nos EUA, o maior exportador de algodão do mundo.

Mas a elevada procura mundial deverá continuar a pressionar o aprovisionamento e os preços. Com efeito, em 2010/11, a procura de algodão é 36,3% superior à de 1995/96, de acordo com a Cotton Incorporated, impulsionada principalmente pelo crescimento económico nos mercados emergentes.

Na sua análise económica mensal de Fevereiro, a Cotton Incorporated salienta que embora significativamente maior do que nos últimos três anos de colheita, a área de cultivo prevista nos EUA em 2011/12 é inferior aos níveis históricos. Os recentes aumentos nos preços do algodão têm sido largamente acompanhados por movimentos nos preços do milho e da soja, observa, sendo o algodão a colheita mais afectada pela recessão.

No entanto, no início de Março, a principal bolsa norte-americana de troca de algodão introduziu uma nova regra que torna mais difícil negociar grandes quantidades da fibra, como resultado dos receios de que o aumento nos preços do algodão fossem impulsionados por especuladores nos mercados mundiais.

A situação da oferta de algodão não tem sido ajudada pela decisão da Índia de limitar as exportações dos seus produtores. O país, que é o segundo maior produtor e exportador de algodão do mundo, introduziu uma proibição à exportação de algodão cru em Abril do ano passado, numa tentativa de travar a subida nos preços e nas exportações. As expedições retomaram no dia 1 de Novembro do ano passado, mas foi imposto o limite de 5,5 milhões de fardos para a actual temporada de algodão, que vai de Outubro a Setembro. As últimas indicações são de que o governo indiano não deverá permitir fazer entregas adicionais. No final de Janeiro, o ministro indiano dos têxteis, Dayanidhi Maran, afirmou que «nem um único fardo» a mais para além dos 5,5 milhões já aprovados para as exportações seria enviado e que o governo indiano «iria desenvolver todos os esforços para proteger a indústria nacional».

Exibições: 111

Comentar

Você precisa ser um membro de Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XVI para adicionar comentários!

Entrar em Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XVI

Comentário de luis carlos em 16 março 2011 às 7:20
pena que aqui nao e assim

© 2023   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço