Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

Neste momento de alta do Algodão vale a pena analizar a possibilidade de utilizar fios OE, se o artigo final assim o permitir, enquanto crù o tecido produzido com fios OE possuem um toque inferior aos tecidos produzidos com fio anel, mas hoje consegue-se eliminar essas diferenças no processo de acabamento.

 

Neste período de alta dos preços do algodão reforça a necessidade de estarmos sempre buscando a redução dos custos e melhoria contínua dos processos/quebrar paradigmas:

 

Anel cardado  x OE cardado, conceitos e aplicações

Pesquisado na revista textilia n. 48 de abril/maio e junho de 2003.

 

Características consagradas.

 

Não se discutem mais, pois foram amplamente dissecadas durante anos, tornando-se fatos comprovados técnica e economicamente, e contra fatos não gastaremos argumentos.

 

a)      Volume do fio

Para os mesmo títulos , o fio Open-End tem mais volume que o fio de anel, permitindo que  os tecidos de malha sejam mais leves com o mesmo fator de cobertura, produzindo mais metros de tecido por quilo de fio.

 

b)      Permeabilidade do fio

Devido a menor densidade dos fios Open-End, eles são mais permeáveis, portanto, tem mais capacidade de transportar mais umidade, eventualmente pode-se gastar menos corante para obter a mesma intensidade de cor.

 

c)      Ruptura em trabalho

Num mesmo processo de tecelagem plana ou de malha, o fio Open-End têm tendência a romper menos, deve-se principalmenteque uma bobina de fio Open-End, tem no mínimo 10 vezes menos emendas que uma com fio anel, diminuindo custos operacionais.

 

d)      Toque

Em artigos crus o toque dos fios anel é mais suave. Nos artigos acabados, esta diferença podem ser eliminadas, dependendo dos objetivos e da características do produto final.

 

e)       Títulos de fios

Consegue-se fazer títulos de anel mais finos do que Open-End

 

f)      Resistências dos fios

O fio de anel possui maior resistência em função da paralelização das fibras. Portanto o fio anel é mais indicado em relação ao Open-End para artigos Técnicos em que a alta resistência do fio é fator determinante na qualidade e viabilização do produto (para artigos de malha a flexibilidade é mais importante do que a resistência do fio).

 

g)      Encolhimento do artigo final

Não se pode afirmar que fios Open-End produzam artigos com menor encolhimento, pois o encolhimento depende também do tipo de construção do teciso, mas pode-se dizer, que este encolhimento , é mais equilibrado que o fio  anel nas mesmas condições de qualidade de fio,construção de tecido e acabamento final.

 

h)        Regularidade do e massa do fio (CVm)

Os fios de anel, em relação aos fios Open-End, em alguns casos, levam ligeira vantagem na uniformidade da massa do fio.

 

i)        Regularidade do diâmetro do fio (CVd)

A variação de diâmetro do fio Open-End é menor que os fios fabricados em anel.

 

j)      Quantidade de pontos grossos e finos

A quantidade maior de pontos finos e grossos  confere um aspecto visual rajado. Os fios Open-End possuem uma quantidade menor de pontos finos e grossos,a escolha por um ou pelo outro dependo do aspecto final esperado.

 

k) Pilosidade do fio (H)

 

Esta característica é mais importante pois indica, de maneira clara, a tendência, mais ou menos, para a formação de pilling nos tecidos. Sabe-se que o pilling, não é fenômeno surgido apenas das características dos fios, mas também da estrutura do tecido e do acabamento final. Entretanto, no que se refere à característica do fio, a pilosidade tem importância significativa. Pelos valores reais de pilosidade (H), percebe-se que os fios fabricados no Sistema Open-End tem menor valor de pilosidade, pois o fio Open-End é menos piloso (fibras soutas) do que os fios de anel.

 

l)     Tenacidade

Este item mostra que o fio Open-End tem tenacidade (resistência)  suficiente para trabalhar nos tecidos normais de tecelagem plana e tecelagem de malha, mas não suficientes altas para artigos especiais, como linhas de costura,  cordas de segurança, etc.

 

m)      Alongamento a ruptura

Percebe-se que há diferença nas médias de alongamentos, porém peuqenas. Se considerarmos o CV% os valores praticamente são os mesmos.

 

Conclusão:   O autor pretendeu neste artigo mostrar que ambos os fios possuem seu espaço no mercado, caberá ao cliente determinar quais características são importantes, pretende desmistificar alguns pré-conceitos ainda existentes.

 

Exibições: 3983

Comentar

Você precisa ser um membro de Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII para adicionar comentários!

Entrar em Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

Comentário de Aline Marques Assis em 6 dezembro 2013 às 13:00

Silvio, estamos pesquisando na fiação o que pode afetar diretamente a pilosidade do fio anel, você tem alguma informação a respeito?

Comentário de Silvio da Silva em 3 março 2011 às 8:24

 

 

Caro amigo, é essa minha intenção, que as pessoas realizem testes antes de apenas afirmar o que aprendemos no CETIQT na época (87), sobre ofio OE, na verdade entrou no mercado com a proposta de aproveitar as fibras curstas e fazer um fio razoável, mas esta tecnologia evoluiu, as empresas estão usando fibras melhores nesse processo.

Como vcê está?

Voltasse para a Indústria ou continuas só investindo no mercado Financeiro?

 

Abs

 

Silvio

Comentário de Delmo do Couto Almeida Junior em 3 março 2011 às 8:18

Silvio

Também participo da opinião de que existem sim diferenças, mas que estas por vezes não se apresentam com muita disparidade podendo realmente confundir o avaliador dependendo do acabamento.

Também já fiz muitos testes neste sentido e observei que temos ainda um certo estigma do fio de rotor.

É claro que temos que saber em que produto e mercado colocar fio de rotor, afinal, não vamos usar este fio para produtos mais nobres.

Sds. Delmo Almeida

Comentário de Silvio da Silva em 2 março 2011 às 21:29

Lendo alguns comentários gostaria de baseado no Comentário do Erivaldo reforçar, não estavamos discutindo se há diverença ou não nos fios de anel e Open-End, com certeza existe, caso contrário um deles já teria desaparecido, o que estavamos provocando é uma análise da real necessidade do fio ser anel, dependendo do artigo conseguimos a substituição.

 

Abs

 

Silvio

Comentário de Silvio da Silva em 28 fevereiro 2011 às 11:06

OK,

 

Grato Luiz

Comentário de António Manuel Miranda em 28 fevereiro 2011 às 10:55

Silvio,

Este é  meu e-mail: globalwayrfid@gmail.com

Abraços
A.Miranda

Comentário de Luiz Gustavo Moreira em 28 fevereiro 2011 às 10:53
Caro, com mais tempo vou ler este artigo muito obrigado
Comentário de Silvio da Silva em 28 fevereiro 2011 às 10:30

Com certeza Luiz, este é o objetivo, não ser o dono da verdade, mas contribuir com nossas experiências, aproveitei em função disso para postar um artigo que escrevi em 2004:" A Tecnologia Têxtil a serviço da Moda" ali faço algumas considerações que considero necessárias na hora de optarmos por uma tecnologia ou material.

 

Aguardo comentários.

 

Abs

 

Silvio

Comentário de Luiz Gustavo Moreira em 28 fevereiro 2011 às 10:03
caros , estou muito contente pois esta troca de experiências nos faz crescer
Comentário de Silvio da Silva em 28 fevereiro 2011 às 10:02

Antônio, vamos conversando possues um E-Mail em que eu possa organizar essa esperiência?

 

Abs.

 

Silvio

© 2021   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço