Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

China Acusada de Comercializar Produtos Falsificados

Segundo foi divulgado pela polícia italiana, já foram apreendidos este ano 52 milhões de produtos falsificados, cifrados em centenas de milhões de euros, incluindo: bilhetes de comboio, telemóveis e detergentes, sendo grande parte destes produtos provenientes da China.
 

dummy
China acusada de contrafação

 A divisão da polícia fiscal italiana de combate à fraude, revelou que 97 membros de grupos criminosos organizados, 41% deles italianos, foram presos durante os primeiros sete meses de 2012, em ligação a produtos falsificados. A declaração referiu que 35 operações de fiscalização diárias ajudaram a privar a economia paralela de cerca de 2 milhões de euros de receitas ilícitas por dia.

A declaração refere que foram fabricados na China 2 milhões de bilhetes de comboio falsificados no valor de 14 euros cada um para a viagem da estação Termini ao aeroporto de Fiumicino, em Roma, junto com 100.000 preservativos e 1 milhão de brinquedos de contrafação.

Em Fiumicino, as autoridades desmantelaram uma quadrilha que importava, através de vários portos do norte da Europa, óculos Ray Ban falsificados, bem como sapatilhas Nike e Adidas. Segundo a polícia, foram presos sete chineses que viviam em Roma.

No porto siciliano de Palermo, as autoridades apreenderam 9.000 caixas de detergente de marca que continham um pó completamente ineficaz. Na cidade de Salo, no norte do país, a polícia confiscou smartphones falsos das marcas: Apple, HTC e Nokia, que foram vendidos através da Internet.

Em Veneza, foi descoberto um esquema clássico de distribuição de relógios falsos das marcas: Rolex, Patek Philippe e Cartier, no auge da época turística. Sapatos desportivos falsificados da marca Hogan, produzidos em fábricas ilegais estavam a ser exportados de Nápoles e do porto de Caserta.

A polícia de Florença obteve «resultados impressionantes» no combate a gangues ítalo-chineses de falsificação, disse o comunicado. Identificaram 155 operadores ilegais que realizaram cerca de 242.000 transferências ilegais usando 58 pseudónimos.

Desde 2010, a mesma operação levou à descoberta de transferências de dinheiro para a China no montante de 4,5 mil milhões de euros, à implicação de 581 suspeitos, incluindo 24 que foram presos, e à apreensão de 207 empresas, 283 propriedades e 471 automóveis.

Exibições: 350

Comentar

Você precisa ser um membro de Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII para adicionar comentários!

Entrar em Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Comentário de Alexandre Baptista Alves em 29 setembro 2012 às 18:15

NOSSA................. NÃO ACREDITO QUE A CHINA FAZ PRODUTOS FALSIFICADOS

TAMBÉM NÃO ACREDITO QUE PAÍSES COMPREM ESSES PRODUTOS.

TOMARA QUE TENHA ALGUÉM DA ABIT, SINDITEXTIL, SINDITEC LENDO ESSA REPORTAGEM

POIS DEPOIS DESSE FURO DE REPORTAGEM TENHO CERTEZA QUE VÃO DEIXAR DE BABAR OVO PARA OS POLÍTICOS QUE DIRIGEM O PAIS E TOMAR ALGUMAS ATITUDES.

HÁ ISSO SE NÃO QUISEREM VIRAR POLÍTICOS TAMBEM

© 2020   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço