Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano VI

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano VI

COMPETÊNCIAS REQUERIDAS PELA CADEIA TÊXTIL NA FORMAÇÃO PROFISSIONAL: Na visão dos egressos do curso técnico têxtil e de vestuário/confecção

Venho novamente enviar a todos os membros do TEXTILE INDUSTRY a solicitação que faço abaixo, em virtude de alguns colegas TÉCNICO EM VESTUÁRIO E CONFECÇÃO terem manifestado o interesse em participar.

Sendo assim, reitero que gostaria de ouvir a opinião de todos a respeito do projeto que estou propondo desenvolver junto ao CEFET-MG no Mestrado em Educação Tecnológica, visando identificar as competências necessárias para o desempenho eficaz do profissional com formação TÉCNICO TÊXTIL/VESTUÁRIO E CONFECÇÃO, e sugerir uma readequação na grade curricular, se necessário, visando aperfeiçoar os conteúdos às atuais inferências de flexibilidade imposta pelo mercado, a partir das propostas dos profissionais ativos no mercado, e portanto capacitados a serem formadores de opinião e das características requeridas para ter a empregabilidade.

Aguardo opiniões....

Abraços

pré-projeto CEFET 2011.doc

Exibições: 55

Tags: Competências, Empregabilidade, Formação, Mercado, Profissional, Técnico, Têxtil

Comentar

Você precisa ser um membro de Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano VI para adicionar comentários!

Entrar em Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano VI

Comentário de jose luiz santos maia em 23 novembro 2010 às 16:11
Braga concordo plenamente com sua iniciativa,realmente estamos precisando desse estudo pois só assim encontraremos soluções praticas, para resolver este problema de qualificação da mão dê obra tecnica têxtil.
Parabéns .
Comentário de Mario Eudo de Castro Lima em 21 novembro 2010 às 15:23
Caro José Braga, é muito válida a sua iniciativa, terá toda minha cooperação se assim o desejar. Tenho sido muito crítico nos últimos anos em relação a qualidade da mão de obra oferecida no setor têxtil no Brasil. Para um setor que já foi o maior empregador do mercado brasileiro e é reconhecido no mercado internacional por sua criatividade e qualidade de produtos deveria ter uma política para o setor melhor direcionada. Atualmente estamos importando mão de obra devido a baixa qualificação do que há disponível no mercado. Isso tem que mudar.
Comentário de Otacilio Marinho Júnior em 2 novembro 2010 às 16:34
José Braga, como o conheço pessoalmente, sabendo de sua índole,quero te parabenizar pela iniciativa, e que todos nos da cadeia de fabricação, possamos te auxiliar nesta iniciativa ,pois com um mundo globalizado necessitamos de profissionais
mais adequados a cadeia de fabricação, principalmente os cursos técnicos, que alguns eram de 2 anos a 3 anos, hoje não passa de 1ano, e alguns técnicos que saem não sabem nem o que é uma fabrica, hoje o encarregado de um setor tem que fazer relatorios, fazer planilhas, saber computação, fazer custos, e toda parafernalha que as empresa necessitam, se peguntar a um técnico recém formado o que é chek-list, eles
mem sabem o que é isto.Uma formação melhor terá uma reciprocidade maior dentro de uma empresa, com profissionais mais qualificados.Boa sorte em seu projeto.
Comentário de André Miranda em 2 novembro 2010 às 10:28
Sua iniciativa é muito boa precisamos melhorar nosso desempenho nas empresas e vejo que nesse projeto vai ser bom para os alunos e empresas. O que precisamos nas empresas também que os líderes sejam servidores e que passam conhecimentos para os que estão nas empresas já trabalhando e que venham trabalhar como estagiários. Os líderes devem passar todo e qualquer conhecimento para servir melhor os nossos colegas. Talvez a única coisa que passamos sem tirar da gente é o conhecimento, quanto mais passa mais se aprende. Boa sorte no seu projeto, pois você está pensando em servir.
Comentário de Maria Adelina Pereira em 1 novembro 2010 às 8:52
José Braga, parabéns pela proposta de investigação sobre as competências necessárias ao técnico têxtil , pois realmente muita coisa mudou nessa globalização e a necessidade de conhecer bem mais que os cálculos de pinhão de titulagem ou de batidas, pick up, ou mesmo do gauge nos obrigam a adequar cursos, deve-se lembrar que muitos colegas técnicos têxteis agora nem estão perto da produção mas devem desenvolver produtos, pois há empresas aqui com plantas no exterior, terceirizadas e na área de cofecção até próprias, sendo assim a adequação das competências é sobrevivência. Atenciosamente Adelina
Comentário de Ingo Joachim Schymura em 31 outubro 2010 às 13:28
Prezado José Braga Perriard
Muito louvável a iniciativa. Outrossim, tendo em vista a solicitação de "opiniões a respeito", sugiro, com a devida vênia, que visite o site
www.cetiqt.senai.br
Certamente, alguns dos itens abaixo, em especial "CPA -Comissão Própria de Avaliação", permitirão abalizar se justificado o pretendido projeto.

ITEM/CPA do Site sugerido

Pós Graduação
- Presencial
- a Distância

Graduação
- Cursos
- Portaria Normativa nº 40
- Guia Acadêmico

Profissional

Cursos de Extensão
- Acadêmica
- Comunitária
- a Distância

CPA
Comissão Própria de Avaliação

NAE
Núcleo de Apoio Educacional


Sistema Acadêmico
Usuário
Senha


CPA - COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO

Contexto | Princípios | Objetivos | Comissão | O que e quem
Resultados | Legislação e Normas | Contato
1. Contexto da Avaliação Institucional

O Sistema Nacional de Avaliação de Educação Superior – SINAES – tem por finalidade o aperfeiçoamento da qualidade de educação superior, a orientação da expansão de sua oferta, o aumento permanente da sua eficácia institucional e efetividade acadêmica e social, e principalmente, a promoção do aprofundamento dos compromissos e responsabilidades sociais das IES (instituições de educação superior), por meio da valorização de sua missão pública, da promoção dos valores democráticos, do respeito à diferença e à diversidade, da afirmação da autonomia e da identidade institucional.

O SINAES promove a avaliação das instituições de educação superior, de cursos de graduação e de desempenho acadêmico de seus estudantes sob a coordenação e supervisão da Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior (CONAES) e instituiu um novo modelo de avaliação institucional que visa a conhecer a realidade global da IES por meio de uma avaliação interna seguida de uma avaliação externa.

Realizada pelo INEP, a Avaliação Institucional tem por objetivo verificar as condições gerais de funcionamento das instituições de educação superior. Apóia-se na análise de todas as informações relativas à instituição e na verificação, in loco, realizada por uma comissão de avaliadores. Nesta visita, a comissão compara os resultados apresentados no relatório de avaliação interna e a realidade observada, entrevistando alunos, funcionários e professores para conhecer melhor a IES sob avaliação.

O Plano de Avaliação Institucional da Faculdade SENAI/CETIQT abrange o escopo de atuação da instituição, nos âmbitos do ensino, pesquisa e extensão, através de um esforço conjunto que envolve administradores, professores, funcionários e alunos, bem como colaboradores externos.

A avaliação das instituições de educação superior tem por objetivo identificar o perfil e o significado da atuação de cada IES, pautando-se pelos princípios do respeito à identidade e à diversidade das instituições, bem como pela realização de auto-avaliação e de avaliação externa. A auto-avaliação constitui uma das etapas do processo avaliativo e será coordenada pela Comissão Própria de Avaliação Institucional (CPA).

As informações apuradas pela Avaliação Institucional subsidiam o Ministério da Educação nas decisões sobre credenciamento e recredenciamento das instituições de educação superior, bem como a autorização, o reconhecimento e a renovação do reconhecimento de cursos de graduação.
Comentário de Luiz Roberto Saraiva em 31 outubro 2010 às 11:53
Caro colega,José Braga.Gostaria muito de cooperar,pore´m minha formação é Técnico em Confecção do Vestuário pelo Senai/Cetiqt e Bacharelando em Administração de Empreasa.Minha vivência é nos meu douze anos é na parte industrial das empresas.Como o enfoque da sua tese aborda muito fiação,teelagem e química não consigo enchergar de como lhe ajudar.Entretanto a carência que vejo nestes anos é enorme que daria para descrever bastante coisa.
Luiz Roberto(e-mail:lrsaraiva@bol.com.br

Textile Industry

O Maior Portal de Informações Têxteis e do Vestuário do Brasil

© 2014   Criado por Textile Industry.

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço