Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIV

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIV

EIS OS VERSOS DO DIA DE HOJE, ESCRITOS, HÁ MUITOS ANOS, PELO "SUBVERSIVO" CASTRO ALVES :

Vejam como o poeta tinha algo de profeta:

"Existe um povo que a bandeira empresta
P'ra cobrir tanta infâmia e cobardia!...
E deixa-a transformar-se nessa festa,
Em manto impuro de bancante fria!...
Meu Deus! Meu Deus ! mas que bandeira é esta,
que impudente na gávea tripudia ?!...
Silêncio!... Musa chora, chora tanto
Que o pavilhão se lave no teu pranto...

Auriverde pendão de minha terra,
Que a brisa do Brasil beija e balança,
Estandarte que a luz do sol encerra
E as promessas divinas da esperança...
Tu, que da liberdade após a guerra
Foste hasteado dos heróis na lança,
Antes te houvessem roto na batalha,
Que servires a um povo de mortalha!..."


Cada vez que leio os versos do Castro Alves, me emociono.Aos 17 anos, já era um grande poeta e era portador de uma cultura incrível, para a sua tenra idade.Pena que se foi tão cedo. Admirarei eternamente esse grande poeta.

Exibições: 69

Comentar

Você precisa ser um membro de Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIV para adicionar comentários!

Entrar em Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIV

© 2022   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço