Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

Empréstimos do BNDES somam R$ 28,5 bilhões no 1º bimestre

Segundo o banco, resultado foi impulsionado pelo setor de infraestrutura, que recebeu R$ 9,8 bilhões

Infraestrutura ficou ficou com 35% das liberações do BNDES, seguida pela indústria (30%), comércio e serviços (18%) e agropecuária (4%)

Infraestrutura ficou ficou com 35% das liberações do BNDES, seguida pela indústria (30%), comércio e serviços (18%) e agropecuária (4%) (Vanderlei Almeida/AFP)

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) desembolsou, em empréstimos já aprovados, 28,5 bilhões de reais nos dois primeiros meses do ano, alta de 35% ante janeiro e fevereiro do ano passado, informou nesta quinta-feira a instituição de fomento. Segundo nota enviada à imprensa, o resultado foi impulsionado pelo setor de infraestrutura, com liberações de 9,8 bilhões de reais, 82% acima do desempenho do primeiro bimestre de 2013.

"O bom desempenho reflete, em grande parte, os desembolsos aos segmentos de transportes (logística), relacionados às concessões de aeroportos, rodovias e investimentos em metrô, principalmente", diz a nota do BNDES. O setor de infraestrutura ficou com 35% das liberações totais no período. 

Para a indústria, foram liberados 8,5 bilhões de reais, alta de 25% em relação a janeiro e fevereiro de 2013. O setor industrial recebeu 30% do total liberado pelo BNDES, que destacou os segmentos de química e petroquímica e material de transporte. O setor de comércio e serviços recebeu 6,919 bilhões de reais em financiamentos nos dois primeiros meses do ano, alta de 18% ante igual período de 2013. Já a agropecuária teve desembolsos de 3,174 bilhões de reais, avanço de 4% na mesma base de comparação.

A nota do BNDES destacou ainda o recuo nos valores de consultas, enquadramentos e aprovações, fases anteriores à contração dos empréstimos e, portanto, à liberação dos recursos. Com 20,8 bilhões de reais, as aprovações foram 18% menores; as consultas somaram 17,7 bilhões de reais, 21% menos; e os enquadramentos, com 26,8 bilhões de reais, diminuíram 4%. Esse recuo pode indicar moderação no crescimento dos desembolsos a partir de agora.

O BNDES destacou ainda a expansão de 38,2% nas liberações da linha BNDES Finame, com desembolsos de 14,1 bilhões de reais na linha automática, com repasse indireto, para a aquisição de bens de capital. "Em função do aumento nas taxas de juros do Programa BNDES de Sustentação do Investimento (BNDES PSI), em janeiro deste ano, houve uma forte demanda por recursos no final do ano passado, que influenciou positivamente os desembolsos do início de 2014", diz a nota do banco de fomento.

No corte por porte de empresas, as empresas classificadas como micro, pequenas e médias (com faturamento até R$ 90 milhões) receberam 11,5 bilhões de reais no primeiro bimestre, com 165,8 mil operações. Essas empresas responderam por 41% das liberações totais do BNDES nos dois primeiros meses do ano.

(com Estadão Conteúdo)

Exibições: 75

Comentar

Você precisa ser um membro de Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII para adicionar comentários!

Entrar em Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

© 2021   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço