Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano VI

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano VI

Por: Eduardo Reina
Com que calça eu vou ...?

Estou com 51 anos, já vivenciei e fui adepto de várias modas, e em alguns casos a moda foi e voltou depois de alguns anos.

Participei da era Hippie, onde os cabelos longos e mau cuidados eram uma grande moda (pode não aparentar mas já tive cabelos longos) os trajes da decada de 70 mais pareciam um guarda roupa de Escola de Samba, tinha cores e formas pra todos os gostos, acredito que eramos julgados pela sociedade, entretanto como era a tal moda, nem estávamos preocupados, eramos da geração sexo e rock and roll, liberdade a toda prova ou libertinagem disfarçada, não sei bem ao certo, porém, outras modas chegaram com uma força arrebatadora, dentre elas a calça "boca de sino" grande sucesso!, os sapatos carrapetas ,o fascinio do discobrimento dos jeans, quem não tivesse uma jaqueta Lee, Levis ou Staroup, não tinha nada a declarar era como se não participasse do encantador desfile de moda da vida. E assim caminhava a juventude, sempre a procura de uma identidade menos formal e mais provocativa possível.

Durante os anos 80, com a grande influência que a televisão causava, pois era a nossa única revolução em matéria de mídia, através das novelas, seriados e dos filmes importados ,começamos a vivenciar a era da "brilhantina" que nada mais era que a "vó do tal gel" tão usado e abusado por nosso adolecentes, as roupas eram coloridissímas, surgiu a novela DANCING DAYS, explosão da dupla Jonh Travolta e Olivia Newton John em filme, vieram as DISCOTECAS, ambientes musicais enlouquecedores, comparados as tais casas de BALADAS de hoje e era nessa revolução de modos e modas que nossa geração chegou ao fim do século XX, e iniciou-se o século XXI, pra ser síncero nossa juventude era muito mais "esperta", vivia melhor, curtia muito mais, as brigas eram resolvidas na mão, não existiam as armas que hoje vemos aos montes e de tantas formas, na verdade existiam porém não eram utilizadas, pois tudo era resolvido no mano a mano ou na conversa, e tudo era resolvido mesmo !!, não se tirava a vida de ninguém por meros desentendimentos, mas onde quero chegar é na informação que me chegou as ouvidos, da tal moda das calças "frouxas" de hoje, onde nossos rapazes, fazem questão de deixarem a mostra suas "cuecas", o tal cofrinho , e em alguns casos, trapos velhos e sem a menor higiene, não sei se estou ficando velho ,ou se os jovens não tem novas idéias ,mais simpáticas ou no mínimo mais apresentáveis.

Mas o que me remeteu a escrever foi uma informação verdadeira ou não (ainda vou investigar) de que essa moda,da calça mostrando os fundilhos, surgiu nos presídios Americanos ,agora pasmem diante da explicação: o que chegou aos meus ouvidos é que os detentos que se interessavam em ter relações sexuais com os colegas do presídio ,no caso em questão homens com homens,encontraram uma maneira de expor o desejo através dessa calças caídas ,pois de outra forma seriam perseguidos pelos guardas que não aceitavam esse tipo de comportamento,então todo aquele que usasse tal calça estaria de uma maneira sutil (será ??) interessado em manter uma espécie de namoro, ou que estaria dessa forma simbolizando e ao mesmo tempo mostrando uma parte do que teria a oferecer. Pode? será que a moda mudou tanto ? ou na verdade a moda é para esse determinado fim?? que julgue quem quiser eu só tenho uma coisa a declarar,essas calças nunca me causaram uma boa impressão,mas cada um que cuide do seu cada um....

Da próxima vez que comprar uma calça veja na etiqueta o número ,e faça a sua aposta...o jogo já vai começar.

Fonte:|atibaia.com.br|

Exibições: 5

Tags: ..é, ?, Calça, Essa, Moda, Modo, ou

Comentar

Você precisa ser um membro de Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano VI para adicionar comentários!

Entrar em Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano VI

Textile Industry

O Maior Portal de Informações Têxteis e do Vestuário do Brasil

© 2014   Criado por Textile Industry.

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço