Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

Pandemia reduz participação feminina entre donos de negócio para 33,6%

Menos 1,3 milhão de proprietárias

Do 3º tri de 2019 para o 3º de 2020


Mulher vende produtos artesanais em banca no Rio de Janeiro, antes da pandemiaRaphael Lima/ PMRJ - 4.dez.2014


As mulheres ganhavam espaço no empreendedorismo brasileiro, mas a pandemia interrompeu esse processo. De abril a maio de 2019, 34,5% de todos os negócios tinham mulheres como proprietárias. No mesmo período de 2020, o percentual caiu pela 1ª vez em 4 anos e ficou em 33,6%.

Em números absolutos, cerca de 1,3 milhão de brasileiras deixaram de ter um negócio próprio entre o 3º trimestre de 2019 e o 3º de 2020. Os dados constam em estudo do Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) divulgado na 5ª feira (14.mar.2021). Eis a íntegra (1.003 KB).

O infográfico abaixo apresenta a evolução tanto do número quanto do percentual de mulheres com negócios próprios. Passe o cursos do mouse para visualizar os valores:



O Estado onde as mulheres têm mais espaço é o Sergipe: comandam 39% dos negócios. Já Rôndonia tem o menor percentual: 25%.

No recorte regional, há proporcionalmente mais mulheres empreendendo no Sudeste (43%). Tanto no Norte como no Centro-Oeste, apenas 8% dos empreendimentos são de mulheres.

Roraima é o Estado com menos mulheres donas de empreendimentos: 16.105. A maior concentração de empreendedoras está em São Paulo, com quase 2 milhões de mulheres chefiando negócios. Representa 23% do total.

Reprodução/Sebrae – 4.mar.2021

PERFIL DA MULHER EMPREENDEDORA

As mulheres que possuem um empreendimento próprio são mais educadas e mais jovens que os homens do mesmo segmento; mas ganham menos e têm menos empregados. Em 49% dos casos, elas também são as chefes de suas famílias.

Leia alguns dos destaques da pesquisa:

  • 61% das mulheres com negócio próprio ganham até 1 salário mínimo, enquanto homens são 46%. Apenas 5% ganham mais de 5 salários mínimos. No caso dos homens, 8% deles estão na faixa mais alta de renda;
  • 51% das empreendedoras se identificam como brancas e 47% como negras. Já a maioria dos homens (52%) se declararam negros;
  • 29% das mulheres têm Ensino Superior, contra 18% dos homens;
  • 27% delas têm de 35 a 44 anos. São 25% dos homens nessa faixa etária;
  • Apenas 13% das empreendedoras têm empregados, contra 16% dos homens. Entre aquelas com funcionários, 75% das mulheres tem no máximo 5 empregados.

TIPO DE NEGÓCIO

Metade das empreendedoras estão no setor de serviços. Apenas 1% trabalha no ramo de construção.

Entre as mulheres que empreendem nos serviços, a maior parte trabalha com alojamento ou alimentação (25%). Em seguida estão negócios relacionados à educação onde elas são 16%. Apenas 6% dos homens dos servições estão no ramo educacional.

MULHERES SÃO MAIS CAUTELOSAS

As empreendedoras, embora ganhem menos, tem as contas mais organizadas: 35% afirmaram que não possuem dívidas, contra 30% dos homens. A maioria das mulheres (51%) afirmam que não procuraram empréstimo para empresa desde o início da crise, enquanto 54% dos homens recorreram a esse recurso.

VALQUIRIA HOMERO

https://www.poder360.com.br/economia/pandemia-reduz-participacao-fe...

Para participar de nossa Rede Têxtil e do Vestuário - CLIQUE AQUI

Exibições: 16

Comentar

Você precisa ser um membro de Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII para adicionar comentários!

Entrar em Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

© 2021   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço