Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Fabricante que pretende ampliar a linha Microfinish, de essências encapsuladas, que começou com perfume de frutas, tem projeto para construção de mais uma unidade até o final do ano.

A Química Intensa (QI) está testando novas fragrâncias para sua linha Microfinish de essências encapsuladas para aplicação por lavanderias nos processos de beneficiamento. Depois do aroma de frutas, que combina com as cores do tingimento, agora a empresa trabalha os amadeirados, com os quais amplia a oferta atendendo demandas dos clientes que buscam criar uma identidade da marca.

Feitas com um tipo de polímero sintético que possui alta resistência química e a altas temperaturas, as microcápsulas da QI se rompem por atrito. O produto resiste a temperaturas de até 140 graus e mantém a peça perfumada por de oito a dez lavagens domésticas, informa Vicente Campilongo Junior, diretor comercial da empresa. A aplicação pode ser feita por spray ou pelo processo de esgotamento.



Especializada no desenvolvimento de resinas e produtos químicos auxiliares para o setor têxtil, a QI tem como carro-chefe a linha de resinas para produzir o efeito 3D nas peças de jeans, que são aplicadas diretamente no secador, permitindo o uso mais racional e reduzindo custos, diz Campilongo Junior.

Empresa em expansão
A Química Intensa foi criada há quatro anos por profissionais da área química e de lavanderia. E, a partir deste ano, está abrindo mercados no exterior. Desde 2012 exporta para o Paraguai e agora avança incluindo Colômbia e Costa Rica no portfólio. Instalada em área de 800 metros quadrados em Santana do Parnaíba, no interior de São Paulo, a empresa contará até o final do ano com uma nova unidade de igual tamanho e com um Centro de Treinamento e Desenvolvimento de Processos para Lavanderia, conta o diretor.

A parte de produção vai para o novo prédio, ao lado do atual, e os serviços de laboratório, que estão sendo ampliados, e os de pilotagem permanecerão nas instalações atuais, informa Campilongo Junior, acrescentando que grandes tecelagens serão parceiras da empresa no centro de treinamento, onde serão feitos os desenvolvimentos com tecidos dessas fábricas. Ele avalia que a expansão dará suporte para a empresa dobrar a capacidade de atendimento ao cliente final, sem informar o valor do investimento no novo prédio, nem o volume de produção.

 http://www.gbljeans.com.br/noticias_view.php?cod_noticia=5529

Exibições: 261

Comentar

Você precisa ser um membro de Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII para adicionar comentários!

Entrar em Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

© 2020   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço