Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano IX

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano IX

Site de vendas Online reúne marcas regionais de moda

Vitrine Outlet comercializa peças de empresas familiares ou pequenos fornecedores mantendo estoque próprio.

Pequenos fornecedores de moda têm dificuldade para ampliar o alcance das vendas fora de sua região e investir em um canal estruturado de comércio eletrônico. Pensando nesse mercado, o casal de empresários baianos Igor Janiel Souza Brito e Tinely de Oliveira Carvalho criaram em 2015 a startup Vitrine Outlet que comercializa produtos de pequenas marcas e empresas familiares.

Diferentemente dos marketplaces que reúnem diversas grifes e o consumidor é encaminhado para a loja de cada marca, no Vitrine Outlet todo o estoque pertence ao site que administra as vendas e envia o produto ao cliente a partir de um centro de distribuição próprio. Brito pesquisou fabricantes nacionais em todas as regiões do país, identificando fábricas e estilistas com produção criativa e que geravam peças novas toda a semana. "Fomos a campo em busca da pequena empresa familiar que faz moda de qualidade, mas tem canais restritos de venda e pouca exposição nacional”, afirma Brito.

PAGAMENTO ANTECIPADO
O Vitrine Outlet escolhe as peças e compra lotes dos fabricantes pagando pelo estoque de uma só vez, sem que aquele fornecedor tenha que esperar pela venda no site para receber. O estoque é reunido em um centro de distribuição em Irecê, na Bahia, sede da startup. Com o crescimento do volume de vendas – o site faturou R$ 4 milhões em 2016 – o Vitrine Outlet planeja inaugurar um novo centro de distribuição na capital paulista no segundo semestre.

O sucesso do site, segundo Brito, se deu pela oferta variada de peças com qualidade e preço justo. Um dos requisitos para ser um fornecedor do Vitrine Outlet é ter agilidade na produção. “Se um produto tem boa venda no site, encomendamos mais peças e a fábrica tem que ter flexibilidade para atender a esse pedido”, diz Brito.

INFORMAÇÕES DE VENDA
O Vitrine Outlet gera diariamente dados de vendas que apontam, além dos produtos mais procurados, tendências no gosto do consumidor. Essas informações, segundo Brito, alimentam o departamento criativo dos fornecedores para que desenvolvam coleções de acordo com seu público. “Independentemente das estações, o site vende peças atemporais o ano inteiro e tem novos produtos toda a semana”, afirma. A produção de fotos é feita em um estúdio próprio na Bahia, e em um parceiro, em São Paulo.



Para compor as 80 marcas que participam da Vitrine Virtual, o empresário pesquisou e contratou fornecedores em diversos pólos de moda. “Fizemos um trabalho de desbravar algumas regiões que têm marcas locais de qualidade com pouco alcance de vendas”, afirma. O site oferece, por exemplo, peças de malharia e tricô de Monte Sião, em Minas Gerais, comercializando produtos de 12 marcas; linha fitness e lingerie de Nova Friburgo (RJ); malharia de fábricas de Santa Catarina, e moda feminina de diversos fornecedores do Bom Retiro. “Estamos com outras 40 marcas em fase de prospecção e análise, com a meta de reunir 200 grifes até o final do ano”, diz Brito.

ESTRATÉGIA DE DIVULGAÇÃO
Para gerar tráfego no site e atrair consumidores, o Vitrine Virtual trabalha com e-mail marketing e redes sociais como Facebook, com mais de 900 mil fãs, o Instagram com 40 mil, e o Pinterest, além de um blog de consultoria de moda. Mensalmente o site recebe 1 milhão de visitas e desde sua criação já atendeu 150 mil clientes. “Como temos novos produtos semanalmente, existe sempre novos conteúdos que são curtidos pelos fãs nas redes sociais”, diz Brito. A escolha das peças é feita por especialistas em moda e influenciadores que, ao divulgarem as marcas, geram mais tráfego para o site.

DOBRAR FATURAMENTO
Um dos planos para este ano, de acordo com Brito, é ampliar o leque de produtos com a oferta de acessórios – bijuterias e semi jóias – e no ano que vem entrar com calçados. Outro projeto é integrar um marketplace de moda com a marca Vitrine Virtual. “Estamos analisando opções como Dafiti, Kanui, Zattini e Mercado Livre para ampliar nosso escopo de vendas”, diz Brito. Com os novos produtos e marcas, a meta para 2017, segundo o empresário, é mais do que dobrar o faturamento comparado ao ano passado e chegar a R$ 10 milhões.

Com sede e centro de distribuição em Irecê, cidade próxima à Chapada Diamantina, na Bahia, o Vitrine Virtual tem uma equipe de 13 pessoas. A empresa inaugurou neste semestre um novo escritório para acomodar mais funcionários e com o novo centro de distribuição, em São Paulo, deverá contar com 40 colaboradores até o final do ano.

Ana Luiza Mahlmeister

http://gbljeans.com.br/noticia/7561.htm

Para participar de nossa Rede Têxtil e do Vestuário - CLIQUE AQUI

Exibições: 21

Comentar

Você precisa ser um membro de Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano IX para adicionar comentários!

Entrar em Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano IX

Textile Industry

O Maior Portal de Informações Têxteis e do Vestuário do Brasil

Eventos

© 2017   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço