Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

A Suape Têxtil teve sua recuperação judicial, RJ, aprovada em março/2009
pela justiça do Cabo de Santo Agostinho, onde fica a matriz de três
unidades,sendo que duas são em Bragança Paulista - SP.
Lesou dezenas de empresas fornecedoras e centenas de funcionários com um calote de
mais de R$150.000.000,00, cento e cinquenta milhões de reais.

Na imprensa saiu a seguinte notícia, em 05/03/2009 - fonte Portal do Cabo
Título "Suape Têxtil se recupera"

"O juiz Rafael José de Menezes, da 2ª Vara Cível do Cabo, defendeu a recuperação judicial da Suape Têxtil. Segundo ele, a empresa deu ontem o
primeiro passo para escapar de uma falência, manter a produção da
fábrica, os empregos e o recolhimento de impostos. Menezes disse que a
indústria enfrentou dificuldades por conta da invasão dos produtos
importados da China, em um primeiro momento, e da alta do dólar mais
recentemente. Segundo ele, há onze anos, a Suape Têxtil entrou com um
pedido de concordata, transformado em recuperação judicial em 2007. “A
Lei de Recuperação Judicial é uma boa saída para negócios viáveis. Ela
salva a empresa e não os empresários”, argumenta o juiz.

O comerciante José Luiz Lindoso, que também fiscaliza a recuperação da Farmácia dos Pobres, foi nomeado por Rafael Menezes como administrador judicial da Suape Têxtil, que pertence ao grupo paulista
Corduroy. A companhia foi implantada na região de Suape, há 20 anos, com
incentivos fiscais, para produção de tecidos. Além da planta industrial
do Cabo, a empresa tem duas filiais em São Paulo, que, segundo o juiz
também enfrentam dificuldades. Mesmo com problemas financeiros, a
produção continua."



Voltando ao nosso assunto:
Após 5 meses de aprovada a RJ a Suape já tinha fechado todas as unidades (grande empresa recuperável!!!!!!) e
demitido mais de 1000 funcionários. Não pagou nenhuma verba
indenizatória e acumula débitos trabalhistas superiores a R$
12.000.000,00, doze milhões de reais,sendo que R$1.700.000,00 estão
dentro do processo de Recuperação Judicial.
Atualmente a Suape Têxtil está com cerca de 10 funcionários em um minúsculo escritório em
São Paulo, sem produzir nada a quase um ano e apesar de diversos pedidos
de falência, nada acontece. Não sei o quê a justiça está esperando !?!?

Agora vêm o mais insólito dos episódios:
Aparentemente se apoiando na "recuperação judicial" mesmo sem estar funcionando , a diretoria da
empresa está tentando vender as Unidades de Suape e Bragança, que valem
algumas dezenas de milhões, com intenção de pagar apenas aos bancos
estatais, BNDS e BNB, e o débito trabalhista que está incluso na RJ,
deixando todo o resto de fora, inclusive os débitos trabalhistas que
foram gerados após o deferimento da Recuperação Judicial, ou seja, sem
pagar as indenizações dos mais de 1000 funcionários que foram demitidos,
e cuja quantia soma mais R$10.000.000,00, dez milhões de reais, tudo
isso com anuência da "Justiça".
A Justiça do Trabalho do Cabo de Santo Agostinho, ao que parece, nada pode fazer, pois a empresa se
beneficia por estar em "recuperação judicial".

Todos os dados e valores mostrados são públicos e foram extraídos de reportagens
veiculadas na imprensa brasileira.

Exibições: 209

Comentar

Você precisa ser um membro de Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII para adicionar comentários!

Entrar em Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Comentário de Edson Machado da Silva em 25 fevereiro 2010 às 7:48
Pois é meu amigo Paulo Eduardo. Esta é a nossa lei, que favorece os ladrões, os corruptos, os "caras de pau".
O setor textil nacional, que era o 2° maior setor que empregava em 2005 porém, com a liberação indiscriminada dos produtos asiáticos,e com a nossa política governamental de valorização do real frente ao dóllar, se os produtos chineses já eram baratos, por sua mão-de-obra escrava, pelo descomprometimento com o meio ambiente, e concorrência predatória, agora ficaram quase que de graça. Se não bastasse isso, ainda temos as grandes importadoras que importam uma enormidade de conteiner e nacionalizam (no papel) somente 10% (os outros 90% chegam através de esquemas, de fraudes, de corrupções nos portos).
Eu não sei da história da Suape Textil enquanto empresa saudável, mas acredito que se não tomarem providências, as pequenas empresas do setor e, diga-se de passagem, as que mais empregam, sucumbirão em não menos que 2 ou 3 anos, assim como a Suape.

Cadê os nossos representantes do setor. Seria cômico se não fosse trágico recebermos 10, 15 boletos de entidades sindicais, no próximo mês, para pagarmos nossa contribuição sindical, coisa que somos obrigados, não tem como fugir disso (também é lei!!!). E cada um envia uma cartinha anexa dizendo que são nosso representantes no setor. Até parece que, quanto a carta, eles se reúnem e mandam fazer na mesma gráfica para baratear os custos, pois são idênticas.

Infelizmente é lamentável fazer paródia com os nossos problemas, mas não tem outro jeito. É como dizia um professor de economia na faculdade:- Edson, põe um negócio na sua cabeça. É e acabou, senão você não dorme à noite!

Abraços.

Edson Machado

Edson Machado

© 2020   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço