Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XV

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XV

 

 

O Ceará é, hoje, um dos principais pólos industriais de moda do país. Ele é responsável por lançar, todos os anos, super talentos no mercado local e nacional, principalmente pelos grandes investimentos do Dragão Fashion Brasil, o maior evento de moda autoral do país. Cláudio Silveira, produtor executivo e criativo do evento, reforça a importância de investir nos novos talentos do Brasil, razão essa de existir um espaço de desfiles dedicados à estes profissionais e estudantes, que muitas vezes não saíram nem da faculdade ainda. 

    

Um espaço do evento é dedicado para desfiles de novos talentos da capital e do país. São diversos desfiles de designers e novas marcas que estão se lançando no mercado e são apostas interessantes. Muitos ainda são estudantes. @Reprodução

Por outro lado, uma verdadeia autoridade da moda internacional, a diretora da Vogue Americana, Anna Wintour, revelou mais uma vez o seu lado extremamente crítico - e, convenhamos, fazendo jus ao personagem de "Diabo Veste Prada" inspirado em sua personalidade. Segundo o portal Dazed, em uma palestra de moda na Central Saint Martins, uma das principais escolas de moda do mundo, Anna desencorajou os alunos de Moda a lançarem a sua marca logo após saírem da faculdade e deu-lhes uma lição de realidade de mercado. "Pessoalmente eu aconselharia a pensar com bastante cuidado antes de começar o seu negócio próprio, e consideraria ainda a possibilidade de trabalhar para um designer ou uma marca que você admira antes", afirmou. 

TRABALHE PARA ALGUÉM ANTES DE COMEÇAR O SEU NEGÓCIO

Para ela, começar a trabalhar primeiro para alguém, seja um designer ou até em um restaurante, até fazer o seu negócio em seu tempo certo, é a verdadeira realidade do mercado. E dá dicas de vendas: "a verdadeira situtação é que 80% do que se vende nas lojas hoje são coleções de meia temporada: resort e preview de inverno. Então, quando você estiver pronto, não ignore-os, porque vai ser algo que vai te ajudar a pagar as contas", completa. 

    

NÃO GASTE MILHARES EM UM DESFILE

Quando o assunto é passarela, Wintour se adiantou: "Por favor, me escutem quando digo: uma apresentação de marca interessante e criativa é tão efetiva quanto um desfile de moda. Eu vejo pessoas pagando milhares e milhares de dólares para desfiles, o que eu simplesmente não acho necessário. Uma apresentação nos dá a oportunidade de conhecer a fundo o empresário, ao invés de apenas ir sentar em uma sala escura e esperar para você começar, depois ter que correr para o outro desfile, sem ter tempo nem para dizer um 'oi'". A conversa, o tête-a-tête, acaba contando muito mais do que um desfile que, segundo ela, pode até dar visibilidade, mas pouco retorno.

NÃO SEJA TÍMIDO OU FECHADO

Wintour, hoje em dia, pode ser aquela figura fechada, que chega nos eventos com os seus óculos escuros, sua marca registrada, e não troca uma palavra com quase ninguém. Mas ela aconselha aos novos designers exatamente o contrário. Estrelismo e antipatia não vai levar ninguém a lugar algum, pelo menos no começo. "Como você se apresenta publicamente é muito importante. No mundo de hoje você tem que interagir. Você não pode ser alguém difícil, tímido que não consegue falar olhando nos olhos das pessoas; você tem que saber se apresentar. Você tem que saber como falar sobre sua visão, foco e sobre o que você acredita", afirma. Mas cuidado! Não seja um "exibicionista de redes sociais". Wintour pode ter sido pioneira em colocar uma hashtag na capa da Vogue (#Worldmosttalkedaboutcouple), mas ela foi rápida em aconselhar que não se deve comparar likes de Instagram ou seguidores no Twitter, como sucesso consistente ou sustentável. "É possivel, no mundo que vivemos hoje, ser instantaneamente famoso, seja no Instagram ou em qualquer outra plataforma social, mas isso não necessariamente significa que você vá ser financeiramente bem-sucedido à longo prazo". É preciso muita atenção no cenário digital. 

Um último conselho de Wintour foi de que, para um negócio ser bem-sucedido, uma parceria é fundamental. "Eu pessoalmente não vi muitos designers bem-sucedidos que conseguiram administrar tudo sozinhos", diz. Compartilhar ideias, discutir negócios e ter alguém para se apoiar é fundamental. 

E você, o que acha, profissa? A visibilidade de um desfile em um evento de grande porte acaba sendo mais importante do que a bagagem de experiências que se ganha trabalhando com outros designers por um período? Queremos saber a sua opinião!

Matéria: Lorena Bezerra

Fonte: DazedDigital

http://www.profissaomoda.com.br/materias/2014/07/anna-wintour-desen...

Exibições: 2184

Responder esta

Respostas a este tópico

Sábias palavras e conselhos de Wintour, genialidade e frescor são importantes porque a moda respira o "novo", mas o amadurecimento vem como tempo e muito trabalho, ter alguém investindo ($$$) em seu potencial é importante, veja a história dos grandes criadores seguiram estes passos... Pode haver outros caminhos e se houver boa sorte!... Apenas cuidado com o abismo das vaidades, lembra a história do cantor de uma música só?... SUCESSO!

Um último conselho de Wintour foi de que, para um negócio ser bem-sucedido, uma parceria é fundamental. "Eu pessoalmente não vi muitos designers bem-sucedidos que conseguiram administrar tudo sozinhos", diz. Compartilhar ideias, discutir negócios e ter alguém para se apoiar é fundamental.

"Como você se apresenta publicamente é muito importante. No mundo de hoje você tem que interagir. Você não pode ser alguém difícil, tímido que não consegue falar olhando nos olhos das pessoas.

Desculpe,

O título "....desencoraja estudantes de moda" não está adequado ao conteúdo.

"País de Alice" só existe na cabeça de muitos que ingressam em cursos de moda achando que farão um desenho e terão as luzes da ribalta. O que ela fez foi somente apresentar um pouco da realidade. E olhe que ela não falou a estudantes brasileiros....

Muitos ingressam na carreira de moda porque pensam ser criativos e que a excentricidade, o choque estético são suficientes para fazer sucesso. Alguns acreditam que os elogios de parentes e amigos são a aprovação de sua genialidade e garantia que essas opiniões representam o mercado que vão enfrentar. Ou ainda acham que não é preciso ganhar dinheiro, ou pior, não compreendem porque lhe oferecem apenas o salário de estágio no primeiro emprego, penalizando aquele que o entrevista como "míope", que não enxerga seu talento. Muitos não tem a compreensão que suas carreiras devem ser construídas como a de qualquer outro profissional.

Lógico que isso não é comportamento exclusivo na moda. No futebol, qual garoto que não quer o sucesso do Neymar?  Mas estrelato não é para todos; porém parece que para muitos estudantes de moda o fato é inverso.

Vários estilistas brasileiros tem se manifestado sobre esse assunto. A mais recente, que li, foi a Glória Coelho em entrevista ao jornal Valor Econômico de 30 de maio de 2014.

Falar da realidade vivida não é desencorajar estudantes, é dever dos profissionais do setor, pois assim alunos saberão sua real necessidade de preparação; e  também professores e instituições desenvolverão melhor seu papel.

 

 

Concordo planamente com o texto da  Anna Wintour, as vez a ansiedade de iniciar um negocio faz muito mal principalmente para um formando,deve existir uma pesquisa profunda nas ideias apresentadas, si informar com quem já, esta no campos dos seus ideais e ser objetivo, e ter certeza, você vai ter que levar a serio, porque você vai ter de olhar no fundo do olho de cada um e falar o que você quer, é você que vai ter que vender seu peixe tem que estar na ponta si não ninguém vai te ver.

A visibilidade de um desfile em um evento de grande porte acaba sendo mais importante do que a bagagem de experiências que se ganha trabalhando com outros designers por um período? Queremos saber a sua opinião!

Concordo quando o aleixo diz que o titulo nao condiz com o texto, o que a anna esta mostrando e a pura realidade e acredito que ela foi muito sutil, a realidade e bem pior principalmente nos dias atuais, onde os valores estao mudando, onde as pessoas estao questionando a peca que estao comprando, desde a materia prima ate a mao de obra que esta usando, claro que em relacao ao brasil, isto muda um pouco, so precisa ter bastante dinheiro, ou ter os amigos certos na imprensa, esta fabrica qualquer coisa desde uma marca ate um presidente da republica ( lembram do color e das falas de brizola), entao hoje nos temos ai estilistas nas semanas de moda copiando estilistas internacionais, um vexame, mas ele tem o dinheiro e a midia que precisa.

Parabens ao texto, a anna e ao dragao fashion, que dar espaco aos novos talentos, o senhor paulo borges devia seguir o exemplo, ao inves de gastar dinheiro dos patrocinadores que termina em dinheiro ndo governo federal, ou seja o nosso, ele devia, ao inves de trazer a paris hilton, promover os talentos que temos no brasil, talvez assim as semanas de moda do seu grupo se tornasse mais interessantes

Sem sombra de duvidas!   trabalhar com grandes nomes ajuda mas não resolve seu problema, e como iniciante ou não tem ser simplesmente criativo!...experiência digamos mais experiência em que si não consegue, sair da  ensimesma coisas ele não consegue ultrapassar a barreira do possível para sobrevier neste mundo esquisito que é o ramo da moda, que só quem esta lá para saber o que si passa na cabeça de um profissional da moda.

  E fazendo jus ao personagem de "Diabo Veste Prada" inspirado em sua personalidade.

Excelente artigo.

Responder à discussão

RSS

© 2022   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço