Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

O GBLjeans revela que marcas que aplicam informação de moda às suas coleções têm conseguido ampliar as vendas, como Carlota Rio, Kauê Modas Plus Size, Sara Nika e Valença Jeans
A reviravolta em curso na moda plus size brasileira abriu espaço considerável para modelos moderninhos em jeans. E marcas que investiram nesse filão revelam que as vendas crescem de maneira consistente, conforme constatou o portal GBLjeans. Na 3ª edição da Fashion Weekend Plus Size, quatro marcas de jeans lançaram o inverno 2012 e vêem a procura aumentar por parte do consumidor final que se interessa por modelos mais incrementados e modelagens ajustadas ao corpo.
Sob a óptica das marcas consultadas, nos últimos anos, a moda plus size tem se fortalecido. "A gordinha quer estar na moda”, afirma Sylvia di Carlo, diretora de estilo da Carlota Rio, marca que há quase 30 anos faz moda feminina para tamanhos grandes.
A adesão às tendências vem fazendo com que a moda plus size arrisque com o jeans moderno e valorize o visual jovem para esse público, como faz a Sara Nika, que está há cinco anos no mercado, atendendo mulheres de 18 a 25 anos de idade, que ainda encontram poucas opções no mercado. “As vendas vêm crescendo muito. A procura é muito grande, principalmente após a participação no Fashion Weekend”, relata Vanessa Monteiro, estilista da marca jovem. Devido ao aumento da procura, a marca avalia iniciar trabalho no varejo, com loja em shopping.
Com o mergulho no universo fashion, o mundo dos negócios nesse segmento vem se movimentando cada vez mais. Pela segunda vez, o Fashion Weekend Plus Size realizou uma feira de negócios em paralelo aos desfiles, evento que, segundo os organizadores, fez com que circulassem cerca de 2 mil visitantes, classificados como lojistas e confeccionistas interessados no segmento.
“Fizemos ótimos contatos que permitirão a entrada da marca em novas praças, como Rio Grande do Sul e São Paulo”, diz Márcia Chican, diretora de estilo da Kauê Modas Plus Size, sobre a participação no evento. Segundo ela, o crescimento do segmento é refletido no aumento de marcas que incluem a moda plus size no portfólio. “O mercado vem crescendo do tamanho 48 ao 54”, observa.
"Antigamente, no começo da marca, a procura era grande pelos tamanhos 38 e 40. Hoje, isso mudou para as numerações entre o 40 e o 48”, observa Sueli Bertolin, proprietária da Valença Jeans, que começou a aumentar a numeração do jeans há quinze anos.
Adaptações nas modelagens
A direções de moda plus size apontam para modelagens mais ajustadas ao corpo, visando delinear melhor a silhueta. Para obter a satisfação desse público, alguns detalhes no corte devem receber atenção redobrada para que o jeans se adapte ao corpo nos tamanhos grandes.
De acordo com Kauê Modas, Carlota Rio e Sara Nika, o principal item de uma calça plus size é ter o cós alto ou, pelo menos, médio. “Até o tamanho 46, o cós tem quatro centímetros de altura. Do 48 ao 54, aumenta para seis centímetros”, revela Sylvia, diretora de estilo da Carlota Rio. Para Vanessa, estilista da paulista Sara Nika, o cós e o zíper devem ser altos, como na coleção de inverno, que ficam em oito centímetros, cada um. “Tentamos deixar a calça com um visual de calça menor, então, quando a cliente olha, não vê aquela calça enorme, como de costume”, revela ela.
Como ditam as tendências do segmento, para produzir as skinnies, bem coladas ao corpo, em tamanhos grandes, como na Sara Nika, a opção é pelo denim elastizado de maior power. Para o público mais velho, de 30 a 40 anos de idade, que prefere a modelagem reta, a sugestão é investir em tecido de power médio, apenas para proporcionar conforto. “Algumas gostam do jeans colado, outras não”, diz Márcia, da Kauê Modas. A composição indicada por ela é de, no máximo, 2% de elastano.
Das marcas consultadas, duas atendem também o público plus size masculino. São elas: a Kauê Modas e a Valença Jeans. Para os homens, as modelagens são tradicionais: calças retas, de cós alto, e a five pockets, apontado por Márcia como uma das favoritas desse público.
Para os tops, como as jaquetas jeans, a Kauê Modas ajusta os ombros, desenvolvendo um corte mais largo, para melhorar o caimento. Já a Carlota Rio, investe em modelos acinturados, para garantir o formato da silhueta feminina.
Fonte:|http://gbljeans.com.br/noticias_view.php?cod_noticia=3652&utm_s...

Exibições: 1782

Responder esta

Respostas a este tópico

Onde achar a calça vermelha? Linda!

Olá Camarena, vi um livro seu recentemente. Creio que estudamos na Sta Marcelina mais ou menos na mesma epoca mas não éramos da mesma turma. Um abraço. Boa sorte ai com a calça vermelha, esta linda mesmo.

Oi! Me formei em 1992! Depois fui professora lá! Gostou do livro? Você desenha? Beijo!

Gostei do livro sim,  mas estou atuando como docente na area de modelagem e costura. Eu me formei em 1994 mas na verdade minha turma terminou em 1993. Vc confirma minha teoria de que a Sta Marcelina formou turma de moda primeiro que a Anhembi Morumbi. Estou na belas Artes e FMU. Tem formandos da A.M de 1994 que teimam em dizer que foi a primeira turma de moda formada no Brasil.  rs

Mas parabens pela iniciativa. Estamos cada vez mais necessitados de bibliografias nacionais.

Ps: Fizemos um encontro de turma já umas 3 vezes e duas delas levamos a MITI, lembra dela? Professora de Historia da moda. Foi muito bacana.

Bj

 

 

Sim, claro que me lembro dela! Estive com ela um ano e meio lá na Santa Marcelina!

Hj me lembrei pq te conheço. Vc foi assistente do Carlos Mauro não foi? Acho que já estavamos no ultimo ano.

Um abraço e sucesso pra vc.
 
Elá Camarena disse:

Sim, claro que me lembro dela! Estive com ela um ano e meio lá na Santa Marcelina!

Responder à discussão

RSS

© 2021   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço