Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

 

Quando há algo de errado acontecendo e que precisa ser resolvido, qual a melhor maneira de fazê-lo? Fazer de conta que está tudo bem e ir empurrando com a barriga, até o momento em que não tiver mais jeito de esconder, ou discutir o problema e tentar achar a melhor solução?

Pois é isso o que vem acontecendo com o setor confeccionista brasileiro. Mau das pernas? Sim. Empresários lutando para sobreviver da maneira que podem? Sim. Mobilizações de entidades do setor? Algumas. Apelos sendo ouvidos pelo governo? Não. Luz no fim do túnel? Agora só depende da lucidez governamental. Pois pedir mais criatividade e diferencial competitivo às confecções nacionais já não está sendo suficiente para mantê-las saudáveis.

Um exemplo é a atual política econômica brasileira, que não oferece condições favoráveis ao desenvolvimento e mesmo à manutenção das empresas, muito menos perspectivas futuras, para que possam planejar seus passos. O que falta para essa situação melhorar e se tornar uma página virada para o setor está realmente nas mãos dos governantes, porém, se nada mudar, mais do que urgente, a produção na confecção brasileira poderá se tornar apenas uma lembrança do passado na história do país.

Então, vamos deixar de tapar o sol com a peneira e nos ajudar a mudar o curso? Pois viver de aparência pode até funcionar por algum período, mas não para sempre, e aí pode ser tarde demais.E ninguém aqui quer isso, não é mesmo? Afinal, trata-se de uma cadeia produtiva, formada por elos, e, se um deles faltar, comprometerá os demais.

O papel da Costura Perfeita como veículo de informação do setor é fazer com que haja reflexão para uma melhora, e não o contrário. Cabe a nós tirar esse véu que embaça a percepção e mostrar ações e sugestões que contribuam de forma positiva para o setor.

Nesta edição especial sobre a Feira Brasileira para a Indústria Têxtil (Febratex), que acontece no mês de agosto em Blumenau (SC), falamos sobre o assunto acima, além de adiantar alguns lançamentos que vocês poderão conferir de perto nos estandes. Também abordamos uma nova forma de trabalho no dia a dia das confecções: o Método de Trabalho Participativo (MTP), desenvolvido por Luiz Cláudio de Almeida Leão e GladisMalizia Leda, do Senai/Cetiqt,e que você confere em primeiríssima mão e com exclusividade na Costura Perfeita, na seção Produção. Para nós, é muito gratificante saber que existem pessoas,como eles, que pensam na valorização do profissional, e que pequenas mudanças fazem uma diferença e tanto!

Para mostrar exemplos de empreendedorismo, em Mercado apresentamosJuruaia, cidade mineira que encontrouna lingerieuma oportunidade de desenvolvimento. No Especial, mostramos como o jeanswear brasileiro se mantém firme e forte na batalha, investindo em tecnologia para ganhar o mundo.

Então, avante, Brasil, salve a confecção!

 

SILVIA BORIELLO É EDITORA DA REVISTA COSTURA PERFEITA.

editora@costuraperfeita.com.br

Foto: Yuri Mine

http://www.costuraperfeita.com.br/edicao/27/materia/editorial.html

Exibições: 684

Responder esta

Respostas a este tópico

Ninguém quer perceber e aceitar o que está ai há um bom tempo " a China e os asiáticos estão dominando o nosso mercado" deitando e rolando e o governo fazendo de conta que não vê . Pois o que interessa é que eles compram bastante comódites brasileira e isso é que importa, deixa quebrar a nossa segunda maior concentração de M. O. do país pois o que importa é o que entra de divisas e não empregos para os brasileiros.

  No Especial, mostramos como o jeanswear brasileiro se mantém firme e forte na batalha, investindo em tecnologia para ganhar o mundo.

Afinal, trata-se de uma cadeia produtiva, formada por elos, e, se um deles faltar, comprometerá os demais.

Responder à discussão

RSS

© 2021   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço