Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

Camisetas de Algodão Prejudicam Ambiente e Podem Causar Câncer, Diz Livro

Não há quem discuta que camisetas de algodão são cômodas e caem bem para quase qualquer ocasião. Este conforto, no entanto, não está isento de um alto custo para o meio ambiente e, talvez, alguns riscos para a saúde

De acordo com o livro "A História das Coisas" (Zahar, 2011), da cientista ambiental Annie Leonard, as plantações de algodão exigem uma quantidade enorme de água para existirem, ao ponto dos principais países produtores "importarem" cotas hídricas.

Enquanto isso, para a camiseta ficar colorida, macia, resistente e inodora, por vezes, são usados cloro, soda cáustica, bromados e formadeídos. Produtos tóxicos que podem causar câncer, entre outras complicações (veja abaixo). No capítulo destinado à vestimenta, a escritora propõe alternativas ao método de fabricação tradicional.

Com o subtítulo de "Da Natureza ao Lixo, o que Acontece com Tudo que Consumimos", o volume conta a história dos produtos que compramos no mercado e o que sua existência acarreta para a saúde do planeta.

A obra relata detalhes do processo de industrialização, da distribuição para montadoras e lojas, da ida à casa do consumidor e do momento em que as coisas são devolvidas --descartadas, na verdade-- ao meio ambiente.

Como resultado, Annie propõe uma reflexão que nos possibilita pensar nos limites do consumo na forma na qual o realizamos atualmente.

O livro foi baseado em um curta-metragem homônimo ("The Story of Stuff", em inglês) produzido pela escritora e que se tornou um fenômeno na internet. A produção caiu nas graças dos professores e passou a ser usada na educação escolar norte-americana.

Leia dois trechos sobre a camiseta de algodão.

*
Considero a camiseta de algodão uma grande invenção: é confortável, versátil, absorvente e lavável. E, além de barata, posso usá-la em praticamente qualquer ocasião. Como não amar uma camiseta? Bem, vejamos...

A história da minha camiseta abre uma janela para observar toda a indústria têxtil, começando pelas plantações. O slogan do algodão poderia ser: macio, tóxico e sedento por água! Arbusto nativo dos trópicos, ele hoje é cultivado nos Estados Unidos, no Uzbequistão, na Austrália, na China, na Índia e em países africanos como Benin e Burkina Faso. Sua produção global soma mais de 25 milhões de tonelada por ano, o bastante para confeccionar quinze camisetas para cada pessoa do planeta.

Algodoeiros adoram água. E a irrigação desperdiça uma grande quantidade de líquido através da evaporação e de vazamentos. O problema nos remete aos conceitos de água virtual e pegada hídrica apresentados no capítulo anterior; países compradores de algodão consomem enormes quantidades de água fora de suas fronteiras. Por exemplo, metade dos 135 metros cúbicos usados anualmente para o consumo de algodão por pessoa nos Estados Unidos é "importada". Na Europa, 84% da pegada hídrica relativa ao algodão tem origem em outras partes do mundo, o que significa que os consumidores americanos e europeus estão absorvendo a água disponível em outros países. Lembre que a pegada hídrica se refere à utilização de água não apenas durante o cultivo, mas também no processamento do algodão, bem como à poluição causada por ambos os processos.

(...)

Próximo passo: a cor. Já que a minha camiseta é branca, ela receberá uma dose particularmente forte de alvejante - mas até as camisetas coloridas são alvejadas antes do tingimento. Os processos de tingimento muitas vezes utilizam benzeno, metais pesados, agentes fixadores de formaldeído e outros produtos químicos. Como o algodão resiste naturalmente a tintas, um terço delas acaba desperdiçado no esgoto. De volta à minha camiseta: na fase de branqueamento, torço para que tenha sido usado o peróxido de hidrogênio, mas muitas empresas ainda usam o cloro. O cloro, que já é tóxico, caso seja misturado com material orgânico, como costuma acontecer quando é despejado em água reutilizada, torna-se um composto com propriedades neurotóxicas e carcinogênicas.

Antes que o tecido passe pelas máquinas de costura, não raro é tratado para se tornar macio, antiestático e resistente a amassados, manchas e odores, a fogo, a parasitas. Isso tudo com a ajuda de formaldeído. O contato com esse perigoso produto químico pode causar dermatite alérgica, queimação nos olhos, problemas respiratórios e câncer. Outros componentes utilizados nesse estágio são a soda cáustica, o ácido sulfúrico, os bromados, as resinas de ureia, as sulfonamidas e os halógenos. Todos podem gerar complicações de sono, de concentração, de memória... e, mais uma vez, câncer.

Não é preciso dizer que os consumidores de algodão não são os únicos a arriscar a saúde: os operários das fábricas que processam o tecido são especialmente afetados e, por fim, a água contaminada pelas fábricas desequilibra toda a cadeia alimentar.

 

Fonte:|http://www1.folha.uol.com.br/livrariadafolha/1004558-camisetas-de-a...

Exibições: 598

Responder esta

Respostas a este tópico

Para saber mais sobre essa triste realidade acesso o site do Ecotece.



Veja também o vídeo Fibra Ética traduzido para o Português
http://www.youtube.com/watch?v=3NWiE4eDkEU - parte 1
http://www.youtube.com/watch?v=kRXn6-FNtts - parte 2

Para estudar mais alternativas sobre moda sustentável
http://www.ecotece.org.br

Pois é, cada época com seus exageros!

Luiz Bento Pereira disse:

My God, quem será o financiador dessa "desmoralização" da fibra algodão? Seria um complô dos grandes fabricantes mundiais de microfibras e outros sintéticos, sub produtos do petroleo? Ou será que esse sentimentalismo ecológico vai se multiplicar e alguém daqui a pouco vai defender a tese de que o ser humano deve ser regulado e comportado até para ir ao banheiro descarregar suas fezes. Nada de desinteria sem o carimbo dos ecológicos, pois a quantidade de descargas no vaso sanitária, ultrapassaria a carga de consumo tolerável para manter os niveis de sustenção do planeta. Talvez um dia seja proibido ficar velho e babão, pois também seria um desperdicio de liquido e assim teriamos "babodromos" publicos, para reciclar a baba que seria canalizada diretamente para plantações de cana de açucar e produzir combustivel sustentável. Não permitamos que a Annie saiba sobre os terriveis panos de prato, depositos de germes e bacterias que com certeza aniquilariam com o planeta. Agora sei que posso me lembrar com ternura do meu velho livrinho de ciencias fisicas e biológicas que é fichinha perto do terrorismo atual. Estamos ficando tão estranhos que já achamos normal entrar dentro de um "pesque e pague", fisgar um peixe pela boca, ve-lo sangrando, divertir-se com isso e depois devolvê-lo todo machucado, isso sem falar nos rios onde você tem que levar até uma balança e uma fita metrica para não ofender as regras da natureza e obviamente para sustentar o salarios dos delegados que controlam a nossa ansia destruidora e avassaladora da natureza. Mas ... essa da camiseta, foi a gota dágua que faltava no meu copo de gargalhadas. Será que terei que usar de novo camisas de pano de guarda chuva? porque são ou seriam ecologicamente mais corretos? Com a palavra a Hoescht, a Basf e outras mais.

Assisti ao vídeo da Annie Leonard, disponível no youtube http://www.youtube.com/watch?v=3c88_Z0FF4k ). Interessante, porque faz a gente refletir. Vale a pena assistir.

Na verdade, o intuito maior é chamar a atenção para o consumo exacerbado e desnecessário. Para a produção de coisas que já nascem com data marcada para virar lixo.

Já prestou atenção que ao comprar um computador novo todo o seu processamento é rápido e passado um tempo parece que começa a ficar lento, lento, lento, irritantemente lento, até você comprar um novo é começar tudo de novo?

Quantos, como eu, já compraram um guarda-chuva na garoa da manhã (sim, aqueles xing-lings balatinhos da China, já que não restou fabricante nacional) e na chuva da tarde ele já chegou todo torto e quebrado em casa, indo direto para a lata de lixo? Não é só a questão dos irrisórios 5 paus que custou que acabou se tornando caro. É o lixo gerado para tão pouco tempo de uso. Lembro-me que os guarda-chuvas de meus avós ou tios duravam uma eternidade.

Enfim, é um tema que dá muito "pano de algodão pra manga" mas é algo inevitável: Teremos que refletir mais sobre o nosso próprio lar, o Planeta Terra. Ele não suportará por muito mais tempo tanta coisa descartável.

Pense nisso!

Concordo com voce. Quem financiou esse "livro".


Camisa volta ao mundo no povo. Ahhhh vem do petróleo viu. Absurdo.
Luiz Bento Pereira disse:

My God, quem será o financiador dessa "desmoralização" da fibra algodão? Seria um complô dos grandes fabricantes mundiais de microfibras e outros sintéticos, sub produtos do petroleo? Ou será que esse sentimentalismo ecológico vai se multiplicar e alguém daqui a pouco vai defender a tese de que o ser humano deve ser regulado e comportado até para ir ao banheiro descarregar suas fezes. Nada de desinteria sem o carimbo dos ecológicos, pois a quantidade de descargas no vaso sanitária, ultrapassaria a carga de consumo tolerável para manter os niveis de sustenção do planeta. Talvez um dia seja proibido ficar velho e babão, pois também seria um desperdicio de liquido e assim teriamos "babodromos" publicos, para reciclar a baba que seria canalizada diretamente para plantações de cana de açucar e produzir combustivel sustentável. Não permitamos que a Annie saiba sobre os terriveis panos de prato, depositos de germes e bacterias que com certeza aniquilariam com o planeta. Agora sei que posso me lembrar com ternura do meu velho livrinho de ciencias fisicas e biológicas que é fichinha perto do terrorismo atual. Estamos ficando tão estranhos que já achamos normal entrar dentro de um "pesque e pague", fisgar um peixe pela boca, ve-lo sangrando, divertir-se com isso e depois devolvê-lo todo machucado, isso sem falar nos rios onde você tem que levar até uma balança e uma fita metrica para não ofender as regras da natureza e obviamente para sustentar o salarios dos delegados que controlam a nossa ansia destruidora e avassaladora da natureza. Mas ... essa da camiseta, foi a gota dágua que faltava no meu copo de gargalhadas. Será que terei que usar de novo camisas de pano de guarda chuva? porque são ou seriam ecologicamente mais corretos? Com a palavra a Hoescht, a Basf e outras mais.

Sinceramente ? Tenho medo do futuro.


Temos tantas inversões de valores hoje em dia, que dá medo.

Complementando... As malharias hoje, devolvem ao meio ambiente a água usada no processo produtivo, MAIS LIMPA do que recebeu, e o lixo gerado é descartado em local próprio para descarte.

Abraços.

Ednilson


Luiz Bento Pereira disse:



Ednilson Damião Beltrame disse:

Concordo com voce. Quem financiou esse "livro".


Camisa volta ao mundo no povo. Ahhhh vem do petróleo viu. Absurdo.
Luiz Bento Pereira disse:

My God, quem será o financiador dessa "desmoralização" da fibra algodão? ....

 

Obrigado pelo apoio Ednilson, estamos vivendo uma espécie de histerismo coletivo desde os primeiros movimentos do Greenpeace. o que serve principalmente para desviar o foco dos principais problemas sociais que afligem a humanidade. Na verdade a roupa de algodão é super ecologicamente correta. Quanto aos produtos quimicos que ela recebe é um exagero pensar que causam tanto mal assim, perto por exemplo da Coca Cola que faz o ser humano ingerir soda caustica, sem falar em alguma droga que tem naquela porcaria que causa dependencia.



Ednilson Damião Beltrame disse:

Sinceramente ? Tenho medo do futuro.


Temos tantas inversões de valores hoje em dia, que dá medo.

Abraços.

Ednilson


Luiz Bento Pereira disse:



Ednilson Damião Beltrame disse:

Concordo com voce. Quem financiou esse "livro".


Camisa volta ao mundo no povo. Ahhhh vem do petróleo viu. Absurdo.
Luiz Bento Pereira disse:

My God, quem será o financiador dessa "desmoralização" da fibra algodão? ....

 

Obrigado pelo apoio Ednilson, estamos vivendo uma espécie de histerismo coletivo desde os primeiros movimentos do Greenpeace. o que serve principalmente para desviar o foco dos principais problemas sociais que afligem a humanidade. Na verdade a roupa de algodão é super ecologicamente correta. Quanto aos produtos quimicos que ela recebe é um exagero pensar que causam tanto mal assim, perto por exemplo da Coca Cola que faz o ser humano ingerir soda caustica, sem falar em alguma droga que tem naquela porcaria que causa dependencia.

Grato pela resposta !!!

Luiz Bento Pereira disse:

Ednilson, a meu ver, nada se cria e tudo se transforma, aliás, concordando com essa frase pronta, cuja autoria não me ocorre lembrar nesse momento. O planeta terra com parte do universo é um grão de areia insignificante ou praticamente invisivel, se nos fosse possivel conhecer, viajar pelas galaxias, ou seja, somos nada. Tudo que fazemos faz parte desse processo de transformação e nen tão imoral e sujo como muitos de nós rotulamos. Tudo está ai à nossa disposição e o que temos feito é simplesmente misturar tudo, colocar no liquidificar e fazer os nossos "sucos" se sabores variados. levamos seculos para aprender essas combinações e chamamos isso de evolucionismo. A noção de feio, errado, sujo, bonito vem de um conceito desenvolvido ao longo de milhares de anos, mas para a natureza não faz diferença alguma. Existem muitos exageros e atitudes por desconhecimento de causa. Vou te citar um exemplo simples do que fazemos e que de fato é uma inversão: Por exemplo: compramos placas prontas em supermercados que dizem: "Jogue papel higienico no cesto de lixo", quando na verdade deveriamos dizer: "jogue o papel higiênico no vaso e dê descarga". Papel higienico não entope vaso sanitário, o que entope vaso sanitário é jogar lá dentro, palitos, restos de cabelo, biclicletas, elefantes, cotonetes, pois esses elementos sim, podem se aglomerar e impedir a passagem da agua. O medo que nós temos que ter do futuro, são apenas duas coisas: O que pode acontecer depois da morte que eu pessoamente acho que nada e as catastrofes naturais, como deslocamentos de geleiras, de continentes, vulcões gigantescos, cometas e meteoros que podem nos atingir e destruir nosso minusculo planeta. Confie mais no avanço da ciencia que poderá quem sabe no futuro descobrir  e detectar o tempo certo em que poderão ocorrer esses sinistros e nos livrar deles e ai você sempre encontrará alguém que dirá que aquilo já estava escrito por Nostradamus ou em alguma página da Biblia.    

 

Não posso me alongar muito nesse papo, dando aqui minha opinião porque tem muita gente aqui que gosta de falar apenas de teares, pentes, batidas, urdumes, tramas e acham que cultura geral, não interessa ao grupo.

 

Boa noite       

Responder à discussão

RSS

© 2021   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço