Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XVI

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XVI

De janeiro a agosto deste ano, a China vendeu ao Brasil US$ 2,67 bilhões em têxteis e vestuário, de acordo com dados divulgados por Wan Yu, vice presidente da China Chamber of Commerce for Import and Export of Textiles & Apparels. No período, a corrente de comércio total entre os dois países somou US$ 56,1 bilhões, dos quais US$ 31,8 bilhões em exportações brasileiras e US$ 24,3 bilhões em importações.

Segundo Wang Qinguan, conselheiro econômico comercial da China no Brasil, em 2012, a China foi o maior fornecedor de produtos têxteis para o Brasil exportando US$ 3,32 bilhões, aumento de 14,1% ante 2011. “Esse montante equivale a 50,33% das importações de têxteis e vestuário do Brasil”, afirmou. Em contrapartida, no ano passado, a China importou do Brasil US$ 900 milhões, em têxteis naturais e sintéticos.

Foto: Portal Terra

Indústria têxtil brasileira mantém cada vez menos funcionários

E os chineses não querem parar por aí, trabalhando no sentido de aumentar a pauta de exportações de têxteis para o território tupiniquim. A China produz em grande escala, já que abriga 1,3 bilhão de pessoas e investe em crescimento econômico de forma expressiva. Países que também são fortes na produção têxtil necessitam de política agressiva para superar os chineses.

Na última semana, durante a feira GoTex, realizada em São Paulo para a divulgação de produtos fabricados no país asiático, o clima esquentou. Enquanto representantes da indústria têxtil brasileira protestaram contra o evento, conforme mostrado por este Boletim Informativo Interface, questionando a grande perda de postos de trabalho, a Associação Brasileira do Vestuário reagiu. Compradores dos produtos chineses, alegaram que o problema está na grande carga de impostos que incidem sobre a produção nacional, índice que ultrapassa 40%.

A China, definitivamente, é pauta principal do setor têxtil brasileiro.

http://portogente.com.br/colunistas/fabio-campos-fatalla/china-quer...

Exibições: 737

Responder esta

Respostas a este tópico

SE O PRODUTO NACIONAL TEM CARGA DE 40% DE IMPOSTOS, VAMOS TAXAR OS PRODUTOS CHINESES EM 150%, AI EMPATA OS CUSTOS , ENTÃO VAMOS VER QUEM É O MELHOR, QUEM TEM QUALIDADE, PARA COMPETIR, SERÁ QUE OS CHINESES TERAM????

triste realidade politica vivemos.

É uma crise politicamente fraudulenta no nosso país...

Com  a China  fica mais fácil para nosso empresariado ganhar  dinheiro  sem  , digamos, "trabalhar" .  Sem ter que pensar.  Se nossa  indústria  têxtil  é  a quarta do mundo, incluindo a  confecção,  tem muita gente ganhando dinheiro, e  sem interesse  algum que a situação mude. Eles simplesmente  se adaptam. O PC  Farias  extorquía  dinheiro  dos empresários . Eles simplesmente pagavam. Seus advogado  falavam  ,  como solução  perante as  ameaças   "paga". Eles  se adaptam.  Eles   adaptaram-se aos encaminhamentos vi os prisioneiros  da  Papuda.  Ai  daqueles  que caem na desgraça  deste  governo  "democrático". A quadrilha  põe  polícia federal, justiça  e  mídia  em cima  dos infelizes. No  fundo os empresários  são uns pobre coitados com iate. Acontece  que quando a  maré  virar,  e vai virar, anotem,   quem vai  sofrer  não  serão  eles.  Vai  ser o povo.

 

Países que também são fortes na produção têxtil necessitam de política agressiva para superar os chineses.

Ter um povo "BURRO"  quem ganha com isso ? 

quem vcs acham !!!!   que ganham com a importação de produtos vindos da china - são somente os chineses ! os importadores!   AHHHHHH !!!!  tem mais gente que ganha com isso !!! - muito mais interessada nesse negocio !!!!! e tenham certeza são os mesmos que querem o povo "BURRO" 

Associação Brasileira do Vestuário reagiu. Compradores dos produtos chineses, alegaram que o problema está na grande carga de impostos que incidem sobre a produção nacional

Responder à discussão

RSS

© 2022   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço