Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XV

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XV

Comitê Texbrasil Decor da ABIT Reúne empresas preocupadas com a sustentabilidade

Entre os dias 09 e 12 de agosto o Comitê realiza mostra de tecidos para decoração na Brasil Móveis.

Apoiar a produção brasileira e acima de tudo adquirir produtos com diferenciais de qualidade. Quem compra tecidos das 22 empresas integrantes do Comitê TexBrasil Decor da ABIT tem a garantia de levar produtos com tecnologia de ponta, alta qualidade, e muitos deles produzidos de forma sustentável e ecologicamente correta, a partir de processos que respeitam o meio ambiente, como tratamento de água e esgoto, reuso de água e utilização de madeira de reflorestamento para abastecer as caldeiras.

A água não é um bem inesgotável no planeta, e é extremamente importante no processo de fabricação dos tecidos, por isso as empresas do Comitê estão cada vez mais empenhadas em sua preservação. Para Ailton Nicoletti, da empresa Bruno Nicoletti, que utiliza madeira certificada, tem poço artesiano na área da empresa e reaproveita a água no processo de tinturaria dos tecidos, "ações como essas garantem o equilíbrio ecológico", ressalta o empresário.

Outra empresa bastante preocupada com essas questões é a Hudtelfa. "Há seis anos fazemos o tratamento de água e esgoto da empresa numa estação em Americana, e a madeira que usamos em nossas caldeiras é 100% de reflorestamento", destaca Sandro Zabani, Presidente da Hudtelfa.

De acordo com Ramiro Sanchez Palma, Coordenador do Comitê TexBrasil Decor, "os investimentos em produção e na criação cresceram muito nos últimos anos, estimulado pela concorrência e pelo impulso empreendedor das empresas, porém os consumidores estão mais exigentes e conscientes da importância do uso de produtos que respeitem o meio ambiente".

Ramiro explica ainda que os processos de produção no Brasil são supervisionados com rigor pelos órgãos públicos e que existe uma consciência generalizada da importância com o meio ambiente, desde a produção do fio, passando pela tecelagem e acabamento. "Posso garantir que o Brasil avançou muito nestas questões, diferentemente de certos países que ainda não deram a devida importância a este tema".

Conscientes do seu papel na preservação dos recursos naturais, algumas empresas do Comitê vão além dos processos de produção, e tem em suas coleções tecidos desenvolvidos com fios reciclados que substituem os fios de poliéster virgem mantendo o desempenho do fio e qualidade dos tecidos, como é o caso do Ecosilk, desenvolvida exclusivamente para utilização deste fio agregando as tendências de mercado e design diferenciado, preocupando-se com o desenvolvimento sustentável, uma pratica cada vez mais comum em todos os setores. Outro exemplo é o Eco Leslie fabricado pela Leslie, que tem como base o fio de linho que é produzido a partir do resíduo da fibra que sobra no processo de fiação dos tecidos.

Além de preservar o meio ambiente, a Textil Irineu Meneghel acredita que tecidos com apelos ecológicos estão cada vez mais em alta, por isso aposta neste nicho como uma nova oportunidade de negócios. "Lançamos o Lona um novo tecido produzido a partir das sobras de fios e tecidos do segmento de confecção, que são reprocessados, retornam como matéria prima (fios desfibrados) e posteriormente são utilizados novamente no processo produtivo. Este tecido pode ser utilizado na fabricação de sacolas retornáveis, e em outros produtos onde utilizam fios de algodão cru ou tintos no processo produtivo", explica José Wagner Meneghel.

A empresa também faz o tratamento de água e esgoto e realiza outras ações para aproveitar ao máximo todo o material de descarte. "As aparas de persianas são vendidas para serem utilizadas com percintas de estofados. Todo descarte de nossa estopa é comercializada para enchimento de travesseiros. O material que não é aprovado pelo controle de qualidade é vendido para pequenas empresas de artesanato e até mesmo pequenas empresas de estofados, até o nosso papelão é todo comercializado", destaca Meneghel.

O Comitê de Tecidos para Decoração da ABIT trabalha com o objetivo de proporcionar maior visibilidade aos tecidos de decoração das empresas brasileiras, demonstrando o quanto é indiscutível a qualidade dos tecidos. Juntas as empresas do Comitê tem uma produção estimada em 4,5 milhões de metros de tecidos por mês, em jacquards, chenille, maquinetados, rústicos, rendas, voil, organzas, matelassê, estampados e black-out, entre outros.

Os tecidos produzidos a partir de matérias-primas naturais como: seda, linho, rami e algodão; artificiais: raiom, viscose e acetato; sintéticas: poliéster, acrílico, polipropileno e pele sintética, entre outras fibras mistas, são utilizados na confecção de cortinas, estofados, revestimentos, tapeçaria, persianas e artigos de cama e mesa.

O Comitê da ABIT trabalha de modo a aproximar fabricantes e mercado da indústria moveleira, criando oportunidades para que pequenos e médios empresários de cada região tenham acesso às informações sobre os principais lançamentos e tendências. Também organiza feiras e encontros de negócios que proporcionam maior visibilidade aos produtos brasileiros.

Entre os dias 09 e 12 de agosto, as empresas integrantes do Comitê estarão apresentando seus lançamentos na mostra de tecidos para decoração na Brasil Móveis 2011, que acontece no Pavilhão de Exposições do Anhembi, em São Paulo. [www.texbrasildecor.com.br].

Fonte:|revistafator.com.br|

Exibições: 367

Responder esta

© 2022   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço