Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIV

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIV

Concurso Miss França é processado por exigências ‘abusivas’ às candidatas

Um formulário de inscrição de 2021 para o concurso de beleza nacional revelou que as candidatas não seriam consideradas se não tivessem pelo menos 1,50 metro, se já tivessem sido casadas ​​ou tivessem filhos




Leah Dolanda CNN

O Miss França, concurso de beleza de 101 anos do país, está sendo processado por um grupo ativista feminista e três candidatas por supostas exigências de entrada discriminatórias.

Um recurso foi apresentado contra a empresa-mãe do concurso, Endemol Production, pelo grupo Osez le féminisme (Ouse ser feminista, em tradução do francês), que em um comunicado divulgado na terça-feira (19) disse que as concorrentes Miss França prestam um serviço de trabalho e, portanto, devem ser protegidas do preconceito sob o francês lei trabalhista.

A discriminação contra funcionários com base em gênero, orientação sexual, situação familiar ou características genéticas é considerada ilegal na França. Um formulário de inscrição de 2021 para o concurso de beleza nacional revelou que as candidatas não seriam consideradas se não tivessem pelo menos 1,50 metro, ou se já tivessem sido casadas ​​ou tivessem filhos.

Outros desqualificadores para competidoras em potencial incluem o uso de mechas ou extensões de cabelo, tatuagens e tabagismo.

O aplicativo também pede o tamanho da roupa e solicita que as futuras rainhas da beleza não sofram grandes mudanças físicas após serem aceitas na competição. O não cumprimento pode resultar na multa de 5.000 euros (R$ 32,4 mil) para a concorrente, de acordo com os termos e condições do Miss França.

Embora a missão da competição seja encontrar “a jovem mais representativa de beleza e elegância”, os rígidos requisitos de registro significam que os candidatos à coroa são um tanto limitados.


Miss Guadeloupe Clemence Botino é coroada como Miss França 2020 / Christophe Simon/AFP/Getty Images

“Além de explorar as mulheres para ganhos econômicos, esta disputa, por meio das violações da lei de que é culpada, tem um impacto negativo e retrógrado em toda a sociedade”, escreveu o Osez le féminisme em seu comunicado. “Já é hora da Endemol Production finalmente remover todas as cláusulas sexistas de seus regulamentos.”

O Miss França e a Endemol Productions não responderam ao pedido de comentários da CNN.

Alyssa Ahrabare, chefe da Osez le féminisme, escreveu nas redes sociais que a Miss França atualmente “alimenta estereótipos que impedem a igualdade”.

“As regras do concurso são discriminatórias: estado civil, idade, atitudes, escolhas de mulheres, tudo está sujeito a liminares de outra época! As candidatas devem ser solteiras e respeitar as regras da ‘elegância’, pare com essas regras sexistas!” ela adicionou.

As três requerentes envolvidas no processo contra a Miss França foram rejeitadas da competição por sua “idade, altura, bebida e fumo em público e tatuagens”, disse Ahrabare à CNN.

Esta não é a primeira vez nos últimos anos que o mundo do concurso é criticado por seus códigos de conduta e cultura desatualizados. Em 2013, a França decidiu proibir competições para crianças menores de 16 anos devido à preocupação sobre promover a hiper-sexualização de menores.


Suzanne Angly, Miss França 1969, posando em um maiô. A competição começou em 1920. / AFP/Getty Images

Poucos países seguiram o exemplo, apesar do número crescente de petições. Em 2018, a modelo Veronika Didusenko teve seu título de Miss Ucrânia revogado quando os organizadores descobriram que ela era mãe.

O Miss Índia também foi examinado em 2019 por perpetuar o colorismo, escolhendo exclusivamente concorrentes de pele clara. E no início deste ano, o Miss Estados Unidos da América ganhou o direito de proibir mulheres transexuais de competir.

Embora tenha havido alguns casos de mudança positiva – em 2019, Zozibini Tunzi se tornou a primeira mulher negra com cabelo natural a ganhar o Miss Universo, e no ano passado a Índia coroou sua terceira Miss Transqueen – o progresso é muitas vezes obscurecido pela história polêmica da pompa.

Ainda assim, o apetite por concursos de beleza, pelo menos na França, parece estar em alta. O Miss França 2021, que foi ao ar em dezembro de 2020, recebeu as melhores avaliações da televisão desde 2006, com 8,6 milhões de telespectadores sintonizados para assistir à coroação, de acordo com relatórios locais. A próxima competição Miss França está marcada para 11 de dezembro.

Texto traduzido. Leia o original em inglês.

https://www.cnnbrasil.com.br/estilo/concurso-miss-franca-e-processa...

Para participar de nossa Rede Têxtil e do Vestuário - CLIQUE AQUI

Exibições: 158

Responder esta

© 2021   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço