Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIV

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIV

Já pensou em usar roupas festas com microoganismos vivos? A estilista inglesa Suzanne Lee desenvolve um projeto chamado  Biocostura. No lugar de teares, ela utiliza matéria orgânica e bactérias. A base para o tecido é o kombuchá. Os microoganismos criam naturalmente um tecido de celulose graças a um processo de fermentação. A novidade está noModapraler, da nossa blogueira associada Laura Artigas. Quer saber mais? Entre no blog da Laura e veja o vídeo em que Suzanne explica como é o processo de produção das peças. Superinteressante!

 

Jaqueta feita com kombuchá

 

 

Tecidos biológicos são alternativa sustentável para o futuro


Casaco feito por meio da degradação do chá verde
Casaco feito por meio da degradação do chá verde

No lugar do tecido, chá verde. Em vez de linhas, bactérias. Onde deveria haver uma máquina de costura, tubos de ensaio. É nesses ateliês biológicos que começa a nascer a Biocostura, um método inovador na produção de tecidos. A ideia básica é fermentar chá verde com açúcar usando bactérias que degradam a cafeína. Desse caldo, brotam pequenas fibras que se aglomeram, formando finas placas de celulose com textura semelhante a de um papiro. Esse protótipo de tecido biológico (foto) começou a ser desenvolvido nos laboratórios da faculdade de moda mais famosa do planeta, a Central Saint Martins, em Londres, na Inglaterra. Mas não é o único esforço na direção de uma moda mais sustentável.

Teia resistente

Em Seul, capital da Coreia do Sul, outro laboratório testa a produção de fibras de teias de aranha por meio de bactérias. Os fios das teias chegam a ser cinco vezes mais fortes que o aço e três vezes mais fortes que o Kevlar, além de mais finos do que um fio de cabelo humano. Por isso, são muito procurados pela indústria de tecidos especiais. Como é difícil obter os fios das teias na natureza, já que as próprias aranhas acabam digerindo-as, os cientistas coreanos inserem os genes secretores da proteína da teia de aranha em bactérias comuns. Depois de secretadas, as proteínas são transformadas em fios produzidos em laboratório.

Casaco de bactérias

REPRODUÇÃO



Projeto de malha de bactérias que se reproduzem no corpo conforme a temperatura
Projeto de malha de bactérias que se reproduzem no corpo conforme a temperatura

Pensando em desenvolver tecidos que se adaptassem às variações climáticas que acontecem ao longo do dia, a designer austríaca Sonja Bäumel projetou um casaco feito com bactérias que reagem de acordo com a temperatura da pele, formando fibras de tecido. Lugares mais quentes, por exemplo, desaceleram a multiplicação das bactérias fazendo com que a fabricação de tecidos se concentre nas áreas mais frias do corpo e deixe as mais quentes arejadas. O resultado lembra uma malha de crochê. Apesar de as pesquisas já terem atingido um nível avançado na produção de fibras têxteis por bactérias, ainda não há previsão de quando esse tipo de roupa deve chegar ao mercado. Por enquanto, a experiência ainda tem gostinho de ficção científica, mas não deve demorar para que a ideia se torne realidade.

Bactérias tecelãs

Imagina vestir uma roupa feita de microoganismos vivos? A estilista inglesa Suzanne Lee desenvolve um projeto chamado BioCouture, nada de teares, ela utiliza matéria orgânica e bactérias.
Olha o resultado:

Biocouture

Biocouture

Biocouture

A base para o tecido é o kombuchá. Os microoganismos criaram naturalmente um tecido de celulose graças a um processo de fermentação. Não entendeu nada?
Tudo fica mais claro na palestra que a própria designer proferiu no TED em maio deste ano (com legenda em português).

Exibições: 1147

Responder esta

© 2021   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço