Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XV

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XV

Rombo comercial cresce 24%, para US$ 1,4 bi. Para Abit, medidas são "paliativas"

O setor têxtil e de confecção brasileiro amargou déficit de US$ 1,45 bilhão no primeiro trimestre, mais 23,7% (excluída a fibra de algodão), em relação ao mesmo período de 2011. Para a Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit), os números evidenciam a importância de fortalecer toda a cadeia têxtil, para reestabelecer a competitividade da indústria brasileira.

"É preciso fazer mudanças contínuas e profundas nas estruturas de produção. As medidas anunciadas pelo governo há alguns dias, mostram uma sensível preocupação com a desindustrialização e redução dos empregos no país, mas são paliativas", destaca o presidente da Abit, Aguinaldo Diniz Filho, que lançou a campanha "Moda Brasileira: Eu uso, Eu assino!"

Segundo a Abit, no primeiro trimestre, as importações cresceram 16%, para US$ 1,76 bilhão. Já as exportações desfiaram 10,5%, para US$ 305 milhões.

De acordo com dados do IBGE, de janeiro a fevereiro, a produção da indústria têxtil recuou 7,76%. Mas no segmento de vestuário, o tombo chegou a 19,55%. Já o varejo, encolheu 0,89%. Apesar da pequena retração deste segmento, o abismo entre a produção negativa e as vendas do varejo mostra o avanço cada vez maior dos importados nas prateleiras, destaca a Abit.

Além disso, no primeiro trimestre, foram gerados 7.808 postos de trabalho, 61% menos que no mesmo período do ano passado quando foram sido criadas 12.779 vagas.

As importações de janeiro até 19 de abril somam R$ 2,190 bilhões, o que, de acordo com o Importômetro, da Abit, mostra que cerca de 247 mil postos de trabalhos deixaram de ser gerados no Brasil.

Fonte:|http://www.monitormercantil.com.br/mostranoticia.php?id=111699

Exibições: 448

Responder esta

Respostas a este tópico

Com a manufatura encolhendo e o consumo vigoroso resulta o aumento de  importações a custo baixo "financiado" pela exportação de  commodities  e  a oferta  de  dinheiro barato e  abundante.

Só não concordo com "dinheiro barato". É relativo! Veja emprestimo consignado(sem risco): os bancos oficiais fazendo propaganda a 1,8% AO MES. Em qq lugar do mundo isso é assalto federal.

225 deputados + 35 senadores .....e continuamos na mesma!!!!! efeitos paliativos, como sempre!!!!!!!!vamos então viver intensamente a desindustrialização!!!!!!!! e parabenizar nosso governo, e a nós que por falta de união simplesmente nao fazemos nada!!!!!!!

Bom dia a todos!

Desculpem, mais em meio a todo este turbilhão de notícias cada vez mais alarmantes e ações paliativas de melhoria , achei interessante o seguinte:

Hoje é "comemorado" o Dia de Tiradentes e todos sabemos como acabou a história para ele... O dia 21 de abril também é comemorado como o Dia do Têxtil.   Será que pretende-se que, como grupo representativo/categoria , tenhamos o mesmo fim que Tiradentes? 

Ás vezes tenho lá minhas dúvidas...

De todo modo, parabéns a todos  que, apesar de lidarem com  dissabores, prejuízos e ás vezes até com incompreensão, ainda continuam apaixonados pelo que fazem. 

Abraços,

Juliana

Do jeito que a coisa vai, só uma anistia vai salvar a industria textil e do vestuario. 

Se salvar.

Responder à discussão

RSS

© 2022   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço