Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

Funcionalidade, excentricidade, glamour e circularidade dominam as propostas do WGSN para o guarda-roupa feminino da primavera-verão 2022, tanto na oferta tecida como na tricotada.

[©WGSN]

À semelhança do género masculino, as tendências para mulher na estação quente do próximo ano seguem as três direções desenvolvidas pelo WGSN – Connected, Euphoric e Resourceful.

Em Connected, a consumidora pós-pandemia vai valorizar o design ergonómico que dá prioridade à função juntamente com a proteção adicional. Máscaras integradas e matérias-primas antimicrobianas fazem parte desta direção.

O vestuário que se adapta em termos de forma será essencial para criar designs inclusivos para um público mais vasto. As peças de vestuário modulares permitem uma utilização que ultrapassa as estações, proporcionando uma maior longevidade.

O loungewear ganha propriedades de bem-estar e silhuetas mais adaptadas à vida mais caseira das mulheres. Desde padrões que reagem às câmaras a vestuário criado em 3D, o design digital tem a possibilidade de oferecer tempos de produção mais curtos, melhorar as amostras e ser uma ferramenta de expressão para gamas mais inclusivas.

Os têxteis protetores fazem parte desta direção, nomeadamente com fibras enriquecidas com prata e acabamentos antivirais para vestuário de performance e vestuário exterior.

Os tecidos de moda vão trazer uma sensação de calma e minimalismo, com versatilidade para serem usados em peças que dão para o dia e para a noite.

As expectativas das consumidoras estão a estimular a inovação, com revestimentos bioativos à prova do clima e acabamentos para limpeza fácil e as novas tecnologias hápticas permitem criar estéticas que cruzam realidades no vestuário casual e cores ombré, padrões difusos e superfícies de alta definição que funcionam bem para looks casuais, técnicos e de noite.


Connected – Bennett Silks [©WGSN]

As malhas, em particular, além das propriedades antimicrobianas e termorreguladoras, ganham toques esponjosos e são de dupla face para maior conforto em casa, mantendo, contudo, o seu lado utilitário. Texturas mate com toque e tonalidades suaves com uma estética minimalista fazem também parte deste lado de bem-estar e padrões xadrezes e geométricos em fios penteados e de algodão orgânico permitem a trans-sazonalidade das peças.

Fios transluzentes e leves surgem em branco mas também noutras cores, com foco em tonalidades que melhoram o humor e em pontos compactos.

Euphoric, por seu lado, traz cores ousadas e vivas para o vestuário de senhora da primavera-verão 2022. Esta tendência ultrapassa o minimalismo do vestuário do quotidiano, focando-se no glamouroso e excêntrico. Longe de apoiar o desperdício, no entanto, oferece formas sustentáveis de conseguir o maximalismo através de têxteis, decorações e matérias-primas amigas do ambiente.

A circularidade, de resto, está no topo da agenda, com uma estética que encoraja a reutilização, a reparação e o redesign para a consumidora individualista.

Os têxteis refletem um otimismo emergente com cores e padrões psicadélicos, incluindo em xadrezes e riscas. Padrões e técnicas antigas com bordados, ondas e tingimentos exóticos têm também lugar nesta tendência.


Euphoric – Canepa SpA [©WGSN]

A estética nostálgica dos anos 60 e 70 promove xadrezes históricos e florais vintage para guarda-roupas contemporâneos, em peças casuais ou apenas em apontamentos.

Algodões e fibras celulósicas recicladas em casualwear e a biodegradabilidade das peças são importantes em Euphoric, assim como o upcycling, incluindo têxteis tecidos manualmente e bordados caseiros.

Nas malhas, os jerseys usam fios sustentáveis, na peugada de marcas como a Pangaia e a Everybody.world. A viscose certificada FSC (que não coloca em risco a sustentabilidade das florestas) cria um toque luxuoso para jacquards e estampados florais e para malhas com padrões retro.

O crochet e o patchwork geram visuais customizados, inspirados no mercado de segunda-mão para um toque retro.

Já Resourceful explora materiais e cores naturais, nomeadamente corantes derivados de resíduos da indústria agroalimentar e matérias-primas ancestrais como o linho e a urtiga para criar produtos sustentáveis. Os produtores e as marcas devem também analisar o seu consumo de água e serem transparentes no que diz respeito ao processo produtivo e de design para servir uma consumidora mais consciente.

As mulheres vão continuar a procurar silhuetas confortáveis que possibilitam uma transição fácil entre o trabalho, o lazer e o descanso e peças que ofereçam longevidade, tendo como prioridade silhuetas intemporais em matérias-primas duráveis.

Os têxteis desta tendência baseiam-se em fibras naturais e ancestrais capazes de mimetizar seda, algodão e lã através de diferentes processos de fiação e acabamentos.

O WGSN aconselha os produtores e marcas a reduzir o perigo de excesso de stock e resíduos ao dar prioridade a tecidos menos sazonais e mais duradouros, com investimento a longo prazo para envolver as consumidoras mais conscientes. O foco deverá estar em xadrezes e riscas clássicas, jacquards e tecidos com performance para outdoor.


Resourceful – Somelos Tecidos [©WGSN]

A criatividade artesanal regional vai reemergir, com técnicas e têxteis locais autênticos, com bordados e jacquards que vão atrair os consumidores que valorizam compras com significado. É uma oportunidade para trabalhar com artesãos locais.

As malhas ganham também valor com técnicas artesanais nesta tendência, nomeadamente o recurso a macramé, croché e pontos abertos, em algodão orgânico e fibras liberianas.

As malhas podem ainda simular os xadrezes típicos das toalhas de mesa e as riscas francesas, enquanto os visuais mais enrugados são inspirados por produtos de fácil manutenção que exigem menos lavagens, usando fibras de lã ou fios com toque papel de base biológica.

Os cabos de pescador e pontos e ribs de inspiração costeira invadem as malhas de verão, utilizando fios ecológicos que mantêm as suas características rústicas, como o cânhamo, a juta, a urtiga e o linho.

https://www.portugaltextil.com/mulheres-na-vanguarda-da-moda/

Para participar de nossa Rede Têxtil e do Vestuário - CLIQUE AQUI

Exibições: 255

Responder esta

© 2021   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço