Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIV

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIV

Nova fábrica da Invista Têxtil no Brasil vai exigir US$ 100 milhões

Burmeister, vice-presidente, avalia que o Brasil apresenta um mercado amplo e diversificado, que deixa espaço para inovações que geram valor agregado
Dentro da estratégia de fortalecimento dos negócios nos mercados de alto crescimento e para fazer frente à competição dos importados no setor têxtil, a Invista, subsidiária do grupo americano Koch, planeja investir cerca de US$ 100 milhões para a construção de uma nova fábrica, no município de Paulínia, no interior de São Paulo.

Prevista para ser concluída em 2012, a nova unidade fará parte de um complexo industrial que já abriga duas outras fábricas. O foco do complexo é a produção do fio Lycra. "Estamos fazendo uma aposta no Brasil. Nossa estratégia é a expansão e a modernização da produção no país", afirmou ao Valor o vice-presidente executivo global da área de vestuário da Invista, Don Burich.

Sem informar o aumento de capacidade que a nova fábrica promoverá, o executivo afirma que a unidade abrigará novas tecnologias desenvolvidas pela companhia em seus dois centros de pesquisa e desenvolvimento nos Estados Unidos e na China. "O setor têxtil está ficando mais complexo e tem surgido uma demanda por produtos diferenciados por parte de nossos clientes", explicou o executivo.

Segundo o vice-presidente, o Brasil apresenta um mercado amplo e diversificado, que deixa espaço para inovações que geram valor agregado e se diferenciam frente à alta concorrência dos baratos produtos asiáticos.

Além do complexo em Paulínia, os negócios têxteis do grupo também têm produção em Americana, também no interior paulista, onde são produzidos os fios Tactel e Supplex. A estrutura da área no país é a maior da América do Latina, superando o México e a Argentina, onde a empresa também tem fábricas.

A expansão produtiva no Brasil acompanha uma estratégia global da companhia, de fortalecimento nos países de alto potencial de mercado. No mês passado, a empresa multinacional anunciou investimentos de mais de US$ 200 milhões na expansão de uma fábrica na China.

Fonte:|valoronline.com.br|

Exibições: 236

Responder esta

Respostas a este tópico

gostaria de entender porque nenhum grupo textil se interessa em produzir   tecidos de seda muito diferentes do que China e Índia fazem considerando que temos a melhor matéria -prima do mundo.

 

Boa pregunta.

eliane gamal mesquita disse:

gostaria de entender porque nenhum grupo textil se interessa em produzir   tecidos de seda muito diferentes do que China e Índia fazem considerando que temos a melhor matéria -prima do mundo.

 

curriculo
Anexos

Responder à discussão

RSS

© 2021   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço