Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIV

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIV

Ajuda - Qual é o Percentual Considerado Normal em 2ºqualidade produzido na Estamparia Rotativa?

  Pessoal boa tarde, gostaria novamente da ajuda de todos para essa questão que estou levantando sobre 2° qualidade.

  Estamos procurando acertar um número coerênte  para 2° qualidade, por isso preciso das informações e experiências como da outra vez.

 

 

   Agradeço desde já a ajuda de todos,

 

  Abraço  

Exibições: 646

Responder esta

Respostas a este tópico

Costumo avaliar não por um percentual, prefiro pensar que nos primeiros 40 metros de cada variante, é possivel ajustar a viscosidade da pasta junto com a reologia. Neste espaço é possivel conferir o registro dos cilindros e as réguas adequadas para cada aplicação, porém o tipo de desenho será fundamental pois o cilindro diferentemente do quadro trabalha com molhado sobre molhado, se a sequência dos cilindros não for lógica, pode comprometer a qualidade final do estampado. O maquinário e os técnicos que operam o trabalho são fundamentais, por exemplo se você trabalhar com uma Stork ou Zimmer nova, e técnicos treinados e conhecedores do processo de estamparia para acompanhar e minimizar eventuais possibilidade de erros, você vai gerando um controle da qualidade que dará um excelente resultado.

 O substrato tem que ser muito bem avaliado, caso já conheça os pontos fracos e fortes do mesmo, fica ainda mais facil de trabalhar.

Penso que em 10.000 metros de estampado você não pode ter um percentual acima de 2 %, pois deprecia muito o produto final.

Está é a minha opinião, espero ter ajudado.

 

Abcs.

Marcelo.

Um tecido estampado de R$ 20,00/m, significa que um cliente comprador gasta R$ 4.000,00 para levar nada. Alguém pode me indicar este cliente?

Acredito que uma metragem expressiva,como é de princípio da estanparia rotativa.Técnicamente com equipamento e equipe ajustados 0,2 á 0,5% é um número bem real.

Eduardo , trabalho com estampas a anos e quero lhe dizer que tudo depende de maquinário,pessoas bem treinadas e que gostem de estamparia, uma boa cozinha com bons preparadores de tinta, onde a tinta já seja preparada com viscosidade ideal de cada estampa,quantidade de cilindros tambem é muito importante, não sei qual seu maquinário, Stork,Regiana, Santa clara, Zimmer, e outras, mas mesmo com maquinas usadas existe o Retrofit,que diminuir e muito um percentual, mas acredito  que sabendo que as fabricas brasileiras  são de maquinas velhas , usadas  e um percentual de 2% é muito bom.

Principais Fatores de 2ª qualidade em estamparia rotativa

1 – Preparação do tecido
      Tecido chamuscado livre de fibrilas, bem alvejado e com largura bem acertada.

2 - Tipo de equipamento
      Rotativas  antigas – 2% é um bom número
      Rotativas modernas com ajuste de rapport automático – menos de 1%

3 – Tipo de desenho
      Desenhos leves, médios ou pesados, com detalhes de filetes ou não.

4 – Qualidade dos cilindros
      Controle do mesh dos cilindros (se vc não controla o fabricante te manda cilindros com    diferenças maiores que 10% entre extremidades e meio)

Reaproveitamento de cilindros (regravação)     

5 – Desenvolvimento do desenho
      O departamento de CAD deve ser cuidadoso no desenvolvimento dos desenhos, muitos defeitos são originados no desenvolvimento e gravação dos desenhos.

6 – Colorimetria e Reologia aplicada ás receitas
     Desenvolvimento de receitas via espectrofotômetro e controle de viscosidade evita parada de máquina para acerto de cores e viscosidade.

7 - Mão de Obra - colaboradores bem treinados e com avaliação periódica de tonalidades (teste de tonalidades de Farnsworth Munsell 100)

Existem outros fatores secundários, mas estes são os principais.

Realmente Antonio , temos uma linha de pensamento parecida. Podemos trocar qualquer dia desses alguns feed backs.

Abcs,

Marcelo.

Fernando Antonio Lima disse:

Principais Fatores de 2ª qualidade em estamparia rotativa

1 – Preparação do tecido
      Tecido chamuscado livre de fibrilas, bem alvejado e com largura bem acertada.

2 - Tipo de equipamento
      Rotativas  antigas – 2% é um bom número
      Rotativas modernas com ajuste de rapport automático – menos de 1%

3 – Tipo de desenho
      Desenhos leves, médios ou pesados, com detalhes de filetes ou não.

4 – Qualidade dos cilindros
      Controle do mesh dos cilindros (se vc não controla o fabricante te manda cilindros com    diferenças maiores que 10% entre extremidades e meio)

Reaproveitamento de cilindros (regravação)     

5 – Desenvolvimento do desenho
      O departamento de CAD deve ser cuidadoso no desenvolvimento dos desenhos, muitos defeitos são originados no desenvolvimento e gravação dos desenhos.

6 – Colorimetria e Reologia aplicada ás receitas
     Desenvolvimento de receitas via espectrofotômetro e controle de viscosidade evita parada de máquina para acerto de cores e viscosidade.

7 - Mão de Obra - colaboradores bem treinados e com avaliação periódica de tonalidades (teste de tonalidades de Farnsworth Munsell 100)

Existem outros fatores secundários, mas estes são os principais.

Estou à disposição Marcelo e será um prazer.

Bom dia !

Nós temos como percentual 2% mas não conseguimos alcançar esta meta,

Por que temos Desenhos muito complexos de 7 e 8 cores  os  meshs a maioria e  155.

com encaixes mais precisos e bases mais delicadas e os Lotes Medio são de 150 Kg,

e tem a falta de mão de obra com experiencia isso me afeta diretamente,

Pontos Positivos  a maquina e uma regianne, e nova e a minha preparação de tinta tem um padrão muito bom.

Mas o meu Ld sobe sempre fica em torno de 3 % a 4 % e muito alto..Teria alguma dica, em que ponto eu poderia ir diretamente para começar a mudar ou com estes indices seria um % razoavel ?

Att,

Jorge

Responder à discussão

RSS

© 2021   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço