Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIV

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIV

A Guararapes, controladora da rede Riachuelo, prevê manter um ritmo forte de investimentos em 2015, a despeito da deterioração do cenário macroeconômico. A companhia tem programados para este ano investimento de R$560 milhões e R$580 milhões, ante R$358,8 milhões aplicados em 2014, o que corresponde a um aumento de 56% a 62%.

Flávio Rocha, presidente da Riachuelo, prevê para este ano a abertura de pelo menos 40 lojas, ante 45 lojas inauguradas em 2014, o que vai demandar recursos entre R$360 milhões e R$380 milhões. Outros R$140 milhões serão usados na compra de equipamentos do centro de distribuição automatizado de Guarulhos (SP). E outros R$60 milhões serão aplicados no centro de distribuição de Natal.

“No Brasil, só pode ser pessimista quem está com os olhos plantados no curto prazo. Acreditamos que os varejistas mais competitivos têm potencial de ganho de participação de mercado. Por isso, ganhar escala neste momento é importante” afirmou Rocha. O executivo acrescentou que o desempenho do Produto Interno Bruto (PIB) é uma variável importante, mas que a companhia espera um bom desempenho com o amadurecimento das lojas abertas há menos de três anos e com o amadurecimento do modelo de negócios, mais voltado à produtos de moda rápida, em lugar de itens básicos.

Do total das vendas da Riachuelo, 55% referem-se a itens de moda rápida e 45%, a linhas de produtos básicos. No passado, segundo Rocha, a parte de itens de moda rápida apresentou um crescimento em vendas de 14%, enquanto as linhas de itens básicos tiveram queda nas vendas. De acordo com Rocha, a empresa sofreu com a falta de produtos básicos nas lojas no ano passado, devido a problemas com a importação de itens, que antes eram fabricados localmente. Como resultado, as vendas no conceito mesmas lojas (unidades abertas há mais de um ano) cresceram 1,4% no ano passado.

No ano de 2014, a Guararapes registrou aumento de 14,2% no lucro líquido, para R$480 milhões. A receita líquida cresceu 16,2% para R$ 4,728 bilhões.

Rocha disse que as vendas melhoraram bastante em janeiro e fevereiro, em comparação ao segundo semestre de 2014. Tulio Queiroz, vice-presidente financeiro da Guararapes, disse que a companhia elevou os estoques de itens básicos no fim do ano, mas que o nível de estoques já foi normalizado no primeiro bimestre de 2015. “Conseguimos equilibrar os estoques sem grandes mudanças em preços. Estamos trabalhando com um cenário de margem bruta estável para 2015” afirmou Queiroz.

A margem bruta consolidada de lucro de 2014 foi de 61,4%, com avanço de 2 pontos percentuais. O lucro bruto consolidado cresceu 20,1% no ano passado para R$2,90 bilhões.

http://www.sindivarejista.com.br/LerNoticia/7402/riachuelo-eleva-in...

Exibições: 346

Responder esta

Respostas a este tópico

Uma empresa do setor têxtil afirmando que:

Este inicio de ano  ( Janeiro e Fevereiro )  foi muito bom;

Que consegue uma margem bruta de lucro de 61%;

Que aumentou em 14% o lucro líquido;

Me deixa um pouco "tonto" ... consegue isso ... aqui no Brasil ?   procuro, procuro, procuro ... mas não consigo encontrar uma explicação ...

Responder à discussão

RSS

© 2022   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço