Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

São os conhecimentos utilizados na cadeia produtiva têxtil, desde a fabricação de fios até a comercialização do produto final. O bacharel em Têxtil e Moda concebe e desenvolve projetos e pesquisas tecnológicas ligados à produção têxtil. Atua na criação de fios e tecidos, nos processos de tingimento e na definição de cores, além de poder participar do planejamento da produção e também cuidar da manutenção dos equipamentos industriais. Está habilitado ainda a desenvolver coleções de moda, analisando tendências e preferências dos consumidores. Responsabiliza-se pela produção de desfiles e catálogos de moda. Com conhecimentos de gestão, o profissional pode atuar na comercialização do produto final. O tecnólogo em Produção Têxtil gerencia a fabricação de fios, tecidos malhas e acompanha as atividades de fiação, tecelagem, padronagem e tinturaria. Algumas escolas formam profissionais para atuar especificamente em modelagem e acabamento das coleções.

Qual é a diferença entre têxtil e moda e engenharia têxtil?

O profissional de Têxtil e Moda está focado na criação de fios, tecidos, processos de tingimento e definição de cores. O curso integra tecnologia, gestão, marketing, design e moda. Já o engenheiro têxtil projeta as instalações, os equipamentos e as linhas de produção de tecelagens e indústrias de confecção de roupas. Possui uma formação voltada para a tecnologia têxtil com uma visão econômica, organizacional e empresarial de toda a cadeia têxtil.

Mercado De Trabalho

O Brasil possui o sexto maior parque têxtil do mundo e é o terceiro maior produtor de malhas. Mas a concorrência com os produtos da China tem feito com que a indústria nacional patine e não apresente crescimento. Apesar desse cenário pouco favorável, há, sim, chance de trabalho para o tecnólogo. "A demanda maior é por especialistas dedicados à produção de novos tecidos sintéticos e técnicos voltados para esporte, medicina e outros setores", diz Silvana Stefanel de Quadros, do Senai-Blumenau, em Santa Catarina. Apesar de ainda ser pouco conhecido no mercado - apenas a USP oferece o curso -, o bacharel em Têxtil e Moda tem boa aceitação. O Sul concentra o melhor mercado para esses profissionais, principalmente no Vale do Itajaí, em Santa Catarina. No Sudeste, há empregos nas cidades do polo têxtil paulista, nas cidades de Americana, Santa Bárbara D’Oeste, Nova Odessa, Sumaré e Hortolândia. No Nordeste, a procura é maior pelo especialista em roupas de banho, cama e mesa.

Curso

A Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH) da Universidade de São Paulo (USP), no campus da Zona Leste, oferece o único bacharelado do país. O curso está organizado em três grandes pilares: tecnologia de material e de produção; gestão; e design e moda. São ministradas matérias básicas, como matemática, química e física, disciplinas específicas da área e outras voltadas para aspectos culturais e de negócios. Entre as específicas, o aluno estuda desenvolvimento de produtos têxteis, materiais, fibras e fios sintéticos. Já nas voltadas para fundamentos culturais há disciplinas como história da moda, sociologia da moda e antropologia. Na área de negócios, são ministradas aulas de gestão de produto, estatísticas e tendências, marketing têxtil, logística e economia. O estágio e o trabalho de conclusão do curso são obrigatórios.

Duração média: quatro anos.

O objetivo do curso tecnológico é oferecer formação prática na fabricação de tecidos. Para isso, o aluno tem aulas de fiação, fibras têxteis, tecelagem, malharia e beneficiamento de tecidos (tingimento e estamparia). Há, também, disciplinas teóricas que ajudarão o futuro profissional a exercer funções gerenciais na indústria. O intercâmbio com empresas e indústrias é essencial e ocorre com palestras, workshops e visitas técnicas. As faculdades exigem dos formandos a realização de estágio ou a apresentação de um trabalho de conclusão de curso.

Duração média: três anos.

O que você pode fazer

Automação industrial têxtil

Projetar equipamentos e dar manutenção a máquinas de fiação, tecelagem, malharia e confecção.

Coordenação

Gerenciar a compra de coleções em grandes magazines.

Gerenciamento

Desenvolver produtos e supervisionar a compra de matéria-prima, bem como a produção e a comercialização do produto.

Pesquisa e desenvolvimento

Criar fibras e fios sintéticos ou analisar fios naturais para compor novos tecidos. Elaborar cartela de cores.

Produção

Produzir desfiles e catálogos de moda.

Marketing

Definir estratégia de vendas e distribuição e analisar a aceitação do novo produto pelo consumidor, com base em pesquisas de mercado.

http://guiadoestudante.abril.com.br/profissoes/engenharia-producao/...

Exibições: 1627

Responder esta

Respostas a este tópico

Com todo respeito ao romildo de paula leite devo acrescentar que o Engenheiro Têxtil, conforme entendo é aquele profissional que tem espaço amplo em TODOS os processos e atividades humanas.

 

Da maneira apresentada pelo Romildo, tenho a impressão que por alguma razão ele não se refere aos TEXTILIANS, aquele profissional completo que preenche o desconhecimento de outras formações que nunca contemplaram ou se familiarizaram com  os conhecimentos Têxteis que o mundo atual exige,

PV

 

Textile DNA

Abstract-
a Question concerning technology

STEM (Science, Technology, Engineering and Mathematics) is omnipresent in contemporary life. Not only do we rely upon it as a tool for greater efficiency but also it increasingly mediates our life style and our methods of communication.

Throughout the 20th century till present day the integration of STEM disciplines into textiles have been at the heart of the industry. A great deal of research has gone into the development of polymers,[1] composites,[2] and sensory elements[3] – all aiming at embedment into textiles in later stages of the design process.[4] Yet, very little attention has been given to the use of design methodologies as the main instigator for the creation of new material systems.[5] That is to say that the potential for exploration and investigation of weaving techniques and its possible adaptations have yet to be fully explored with regard to the design and creation of novel technological woven surfaces.[6]

The aims of this research is to provide a process tool for mapping and applying materials related data for the creation of new woven materials, and through processes of ‘Design as Research’ investigate and explore D:STEM interactions for the creation of counterintuitive woven materials.

BA Textiles – Central Saint Martins
MA Constructed Textiles – Royal College of Art
PhD (ongoing) – P3i research lab, Islington, London
Northumbria University, Newcastle
”Textile DNA’: combining hierarchical design principles with weaving technology as a design tool for the creation of a new generation of woven materials

Prezados, com todas as informações acima pelo Romildo e o PV, volto a concluir a necessidade de adequação dos conteúdos programáticos e grades curriculares dos Cursos Superiores, Técnicos e outros específicos para a formação Profissional em Têxtil aqui no Brasil. Nota-se uma carência, uma dificuldade muito grande nas especificações das áreas de atuação, atividades, responsabilidade, desenvolvimento e perspectivas profissionais. Concordo com o manifesto do Paulo Valentim.
Ed.

Resumo-
uma pergunta sobre a tecnologia

STEM ( Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática ) é onipresente na vida contemporânea . Não só dependem -lo como uma ferramenta para uma maior eficiência , mas também cada vez mais medeia o nosso estilo de vida e os nossos métodos de comunicação.

Ao longo do século 20 até hoje a integração de disciplinas -tronco em tecidos têm estado no coração da indústria . Um grande número de pesquisas tem ido para o desenvolvimento de polímeros [1], compósitos, [2] e elementos sensoriais [3] - . Tudo com o objetivo de embebimento em têxteis em fases posteriores do processo de projeto [4] No entanto , pouca atenção tem sido dada ao uso de metodologias de projeto como o principal instigador para a criação de novos sistemas de material . [5] isso quer dizer que o potencial para a exploração e investigação de técnicas de tecelagem e suas possíveis adaptações ainda precisam ser totalmente explorado no que diz respeito para a concepção e criação de novas superfícies de tecidos tecnológicos [6] .

Os objetivos desta pesquisa é fornecer uma ferramenta para o mapeamento de processo e materiais aplicando os dados relacionados para a criação de novos materiais , tecidos, e através de processos de 'Design como investigação " investigar e explorar D: interações -tronco para a criação de materiais contraditório tecidos .

BA Têxteis - Central Saint Martins
Têxteis MA Construído - Royal College of Art
PhD (em curso) - laboratório de pesquisa p3I , Islington, Londres
Northumbria University , Newcastle
" Têxtil DNA ': combinando os princípios de design hierárquicos com tecnologia de tecelagem como uma ferramenta de design para a criação de uma nova geração de tecidos materialsSay algo mais aboui

Responder à discussão

RSS

© 2021   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço