Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

Violência fecha 300 fábricas de roupas em Bangladesh

DHAKA, 16 Jun (Reuters) - Donos de 300 fábricas de roupas em Bangladesh fecharam suas portas indefinidamente neste sábado, após dias de protestos salariais violentos por trabalhadores, ameaçando a maior exportação do país, já impactada pela crise global.

A decisão de fechar todas as fábricas em Ashulia, uma das principais zonas industriais do país na periferia de Dhaka, ocorreu depois de as negociações entre trabalhadores e proprietários não conseguirem romper o impasse.

"Fomos obrigados a fechar todas as nossas fábricas em Ashulia", disse Mohammad Shafiul Islam, presidente da Associação de Fabricantes e Exportadores de Vestuário de Bangladesh.

"Tentamos resolver a questão (de aumento salarial e outros benefícios) amigavelmente através de discussões, mas os esforços não deram resultados", disse ele em coletiva de imprensa.

Testemunhas disseram que a polícia disparou gás lacrimogêneo e balas de borracha e usou canhões de água para dispersar os trabalhadores durante cinco dias de confrontos. Cerca de 250 pessoas, incluindo policiais foram feridas e ativistas depredaram dezenas de veículos e barricaram uma importante estrada.

"Tivemos que tomar medidas duras para restaurar a ordem, já que os trabalhadores não iria parariam a violência", disse um policial de Ashulia.

Os trabalhadores estão exigindo salários mais altos após um aumento nos preços dos alimentos e de utilidade. Após violentos protestos em 2010, Bangladesh quase dobrou o salário mínimo para milhões de trabalhadores do setor de vestuário para 3 mil taka (37 dólares) por mês.

No sábado, autoridades reforçaram o policiamento em Ashulia temendo que as fábricas fechadas pudessem ser atacadas e vandalizadas pelos trabalhadores.

(Reportagem de Anis Ahmed e Ruma Paul)

Fonte: UOL http://economia.uol.com.br/ultimas-noticias/reuters/2012/06/16/viol...

Exibições: 657

Responder esta

Respostas a este tópico

37 dólares / mês. Algum confeccionista se habilita a competir???

   Os importadores têxteis do Brasil gostam dese salário.

  Abraços Romildo.

É por isso que eu só compro roupas nacionais, (principalmente Sulfabril).

 

E AQUI ELES RECLAMAR DE 307,00 DOLARES POR MES (SALARIO MINIMO) E LÁ 37,00 AO MES COMO PODE ISSO ?

COM CERTEZA NAO SE COMPETE ASSIM NUNCA. 

E É POR ISSO QUE ESTOU VENDENDO MEU NEGOCIO TOTALMENTE, DEPOIS DE 30ANOS NO MERCADO

ALGUEM SE HABILITA NO TEXTIL ? 

Cada país com sua política. O que não se pode é deixar esses produtos entrar no Brasil! O governo tem que fazer mais pelos empresários! É lamentável saber que nossas empresas estão fechando devido à essas políticas inaceitáveis de outros países. E nós??? Pagamos caro demais pelos U$37 mensais...

U$ 37 é o salário e com certeza eles não tem o Custo de impostos sobre a Folha de pagamento que nós temos que arcar e as empresas de lá tb não tem o perfil de conceder "n" benefícios aos trabalhadores.  Tb não deve haver uma legislação que obrigue o empregador a cumprir os poucos direitos trabalhistas que tem.

Ou seja, o custo de mão de obra TOTAL é muito menor do que só compararmos o salário de U$ 37 contra o salário  de U$ 300 aqui.

Vai muito além.

Pois é meus caros, com todos os custos de um trabalhador em confecção no Brasil de um único mês com certeza dá para pagar por um ano um operário similar em Bangladesh, e nem vamos entrar no mérito da carga horária diária que lá deve ser muito maior do que cá. Também vamos esquecer de todo o peso tributário gigantesco e as demais exigências daqui.

E aí, vem os tais importadores e apontam o dedo para o empresário brasileiro e diz: "Vocês são incompetentes! Não conseguem competir com o produto externo!". 

Excluem de seus "argumentos" toda a opressão e canalhice com que tratam os "colaboradores escravos". Para eles isso não importa. O que importa é enfeitar suas páginas bonitas na internet com textos "reluzentes" tratando sobre "missão", "sustentabilidade", e outras mentiras mais.

Responder à discussão

RSS

© 2021   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço