Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIV

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIV

Ação das substâncias auxiliares sobre a goma nos fios de fibras

Mesmo que tenhamos o cuidado de fazer com que a goma tenha a penetração correta, e o nível de sólidos aglutinantes adequados, em função dos fios, fibra e construção do tecido previsto é necessária a utilização de um determinado percentual de substâncias auxiliares que funcionem como penetrantes, lubrificantes, amaciantes, higroscópicos, antissépticos, plastificantes, etc., e mesmo de alguns outros aditivos, com a finalidade de melhorar as características de adesividade e de elasticidade da substância ou substâncias que

formem a base da fórmula. Estas substâncias dão à goma algumas características muito importantes ao bom desempenho da mesma. Em alguns casos estas substâncias amenizam algumas características não aconselháveis cedidas obrigatoriamente ao fio, pela base da fórmula de goma, principalmente quando

estas bases são de origem amilácea.

As substâncias amaciantes quebram a asperidade e rijeza do fio, tornandoo mais plástico, mais maleável, mais flexível. As substâncias lubrificantes dão ao fio condições de melhor suportar os atritos entre fio e fio, nas lamelas, nos liços, no pente, etc.

As substâncias higroscópicas tornam tanto a película quanto o fio mais absorvente, com respeito à umidade relativa existente na sala de tecelagem, o que o torna mais elástico, mais flexível, mais maleável e também mais resistente.

As substâncias antissépticas tornam os fios de urdimento imunes ao ataque dos fungos e mofos,etc. As substâncias auxiliares se usadas em excesso trazem, da mesma maneira, que a sua carência, problemas à película de goma formada. Se usarmos substâncias amaciantes e lubrificantes em excesso, teremos a película de goma enfraquecida, excessivamente plástica, muito embora suave e lubrificada.

O excesso de substâncias higroscópicas traz também problema, dado a avidez de umidade que a película adquire, tornando-se excessivamente úmida, mesmo quando a Umidade Relativa da sala de tecelagem está na sua faixa normal. Uma película excessivamente úmida se rompe durante a solicitação do fio,

pois não o acompanha em termos de elasticidade.

Também os penetrantes, ou quebradores de tensão superficial, se usados em dosagem excessiva, tornam a goma excessivamente molhante, o que poderá vir a provocar impregnação excessiva, película muito fina, fraca, etc.

Aditivos adesivos

As construções de tecidos em que entram altas densidades de fios de urdume, ou de fios de trama ou de ambos, torna bastante difícil a sua tecelagem. Daí a necessidade de se adicionar à goma de base convencional, aditivos adesivos para que se melhore o comportamento dos fios engomados no tear.

Estes aditivos, normalmente de origem sintética, são adicionados à goma em percentuais que variam de 10 a 70%.

Fonte:

PESSANHA, D. R.; Tecnologia da Engomagem. Rio de Janeiro, SENAI – CETIQT, 1986.

Exibições: 270

Comentar

Você precisa ser um membro de Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIV para adicionar comentários!

Entrar em Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIV

Comentário de Lourival Fadiga em 17 julho 2010 às 15:36
Oi Gilcilene:

Valeu.Espero que voce continue com a série pois ela presta grande serviço na formação de técnicos em engomagem e, porque não, presta também uma homenagem ao Daltro que foi um eterno "apóstolo da engomagem".

Parabéns, continue o belo trabalho

© 2021   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço