Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

Aceleração Digital, Decolagem de Marketplaces, Explosão no Cross Border

Aceleração Digital, Decolagem de Marketplaces, Explosão no Cross Border
Os números do varejo digital no Brasil em 2020, publicados no estudo Webshoppers do ebit/ Nielsen, confirmam diversas tendências em aceleração, com intensidades distintas.

Por Alberto Serrentino

As vendas online feitas por empresas brasileiras totalizaram R$ 110,1 bilhões, dos quais R$ 87,4 comprados de sites no Brasil e R$ 22,7 bilhões comprados de sites internacionais via cross border. A penetração digital chegou a 6,3% do varejo brasileiro, o que confirma a forte aceleração digital promovida pelo impacto da pandemia nas jornadas de compra de consumidores e nas modalidades de venda do varejo.

Avaliando o desempenho do varejo em 2020 é possível identificar tendências e desafios para o futuro. O varejo brasileiro como um todo teve crescimento nominal de 6%, enquanto o comércio eletrônico cresceu 41%, o que representa a maior diferença em uma década.

Marketplaces – ao se detalhar o crescimento do comércio eletrônico, as vendas de empresas que operam marketplace aumentaram 52%, alcançando 84% de todo o varejo digital brasileiro. Ou seja, confirma-se a tendência de crescente domínio de marketplaces, plataformas e ecossistemas no varejo digital. Teremos um grande “congestionamento de marketplaces” no mercado brasileiro, com o avanço das grandes plataformas multicategoria (como Mercado Livre, B2W, Amazon, Magalu, GPa, Carrefour, Via Varejo), dos marketplaces verticais especializados (como Dafiti, ZZ Mall, +Soma, Galeria C&A, Renner, Riachuelo, Marisa, Iguatemi 365, Cobasi, Petz, PanVel, RD, Centauro) e os super apps (como ifood, Rappi, Uber Eats, Inter, Dotz). As empresas que não conseguirem implantar e escalar marketplaces terão que aprender a se relacionar com eles.

Cross Border – o Brasil teve crescimento de 76% nas vendas online feitas do exterior diretamente para consumidores brasileiros. O ecommerce cross border chegou à impressionante marca de 21% das compras online feitas por consumidores brasileiros. Quase 50% dos compradores online no Brasil já compraram de marketplaces como AliExpress, Wish, Shopee e Shein. A melhora no nível de serviço – via redução nos prazos de entrega e custos de frete – aumento de comunicação para conquista de clientes e recorrência vem permitindo a operadores internacionais aumento de penetração no mercado brasileiro. O cross border não impõe às empresas tradução de rótulo e embalagens, conformidade ao código de defesa do consumidor, e certificação de produtos. Empresas e marcas brasileiras poderiam intensificar iniciativas de venda ao exterior usando cross border para penetrarem novos mercados – sobretudo na China – e internacionalizarem suas operações.

Os dados do varejo e comércio eletrônico brasileiros confirmam o processo de aceleração digital, aumento de maturidade digital de consumidores e empresas e o desafio de lidar com o peso crescente dos marketplaces e das vendas via cross border no ambiente digital no Brasil.

Alberto Serrentino – fundador da Varese Retail. Consultor, palestrante internacional, autor, conselheiro de empresas e vice presidente da SBVC



Fonte: LinkedIn

http://sbvc.com.br/aceleracao-digital-decolagem-de-marketplaces-exp...

Para participar de nossa Rede Têxtil e do Vestuário - CLIQUE AQUI

Exibições: 42

Comentar

Você precisa ser um membro de Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII para adicionar comentários!

Entrar em Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

© 2021   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço