Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

Algodão: 55% do produto estadual está negociado

Fonte:|sonoticias.com.br|

A 40 dias do término da colheita do algodão em Mato Grosso, cerca de 55% da pluma mato-grossense, safra 09/10, já está negociado pelos produtores, sendo a maior parte para o mercado interno. A cotação média registrada para 30% da produção comercializada variou de R$ 1,61 a R$ 1,65 por libra peso, segundo informações do presidente da Associação Brasileira de Produtores de Algodão (Abrapa), Haroldo Cunha.

De acordo com o indicador Cepea/Esalq, a intensificação da colheita de algodão em pluma pressionou as cotações do produto nos últimos dias. Com necessidade de caixa, alguns vendedores negociaram a valores mais baixos. Compradores, por outro lado, agiram com mais cautela. Entre 13 e 20 de julho, o Indicador Cepea/Esalq com pagamento em oito dias caiu 1,22%, fechando a última terça-feira, por exemplo, a R$ 1,6530/libra peso. Os produtores vinham registrando altas consecutivas desde o início de maio e, mesmo com a leve queda, os preços ainda continuam sendo os melhores dos últimos sete anos. Em meados de julho de 2009, por exemplo, a cotação não passava de R$ 1,20/libra peso.

Segundo Haroldo Cunha, os preços do algodão tendem a se manter firmes por mais algumas semanas, pois somente agora a colheita entra na reta final. “Enquanto o mercado não estiver abarrotado de estoque, os preços continuarão firmes e o produtor terá a oportunidade de recuperar parte da sua renda”.

No Brasil, apenas 20% da safra está colhido. “A colheita está um pouco atrasada”, diz, acrescentando que a safra nacional de pluma deverá chegar a 1,2 milhão de toneladas na atual safra.

Mato Grosso continuará respondendo por mais de 50% da produção brasileira.

De acordo com a Associação Mato-grossense dos Produtores de Algodão (Ampa), a safra estadual alcançará 650 mil toneladas, o equivalente a 54,16% de tudo que será produzido no Brasil.

COLHEITA – Denancil Martins Filho, da área de Fibras do Imea (Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária), confirma o atraso na colheita do algodão no Estado.

Ele diz que o atraso se deve ao aumento do plantio da safrinha, que este ano superou o volume da safra normal. “O algodão primeira safra, que historicamente sempre rendeu uma safra maior, este ano foi ultrapassado pelo segundo ciclo (safrinha)”, explica.

Na safra anterior, por exemplo, a proporção foi de 45% para a safrinha e 55% para a safra normal, plantada entre os meses de novembro e dezembro. Este ano (safra 09/10), os números foram inversos, com a safrinha – plantada em abril - respondendo por 55% do total a ser colhido.

Segundo Denancil Filho, no último levantamento realizado pelo Imea o volume colhido correspondia a 30% da safra, contra 35% na mesma época do ano passado. Ele acredita, entretanto, que o próximo levantamento, a ser divulgado hoje, deverá apontar colheita de 35%. Na média, o atraso é de 5% em relação a 2009.

Uma das causas do atraso na colheita, na avaliação do Imea, é o longo período de estiagem verificado nos meses de abril e maio, época em que o algodão estava em fase de “maturação do capulho” (formação do caroço da pluma).

“Como a safrinha este ano foi plantada mais tarde, o período de maturação dos capulhos acabou coincidindo com o período da estiagem, retardando o desenvolvimento da planta”.

Exibições: 44

Comentar

Você precisa ser um membro de Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII para adicionar comentários!

Entrar em Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

© 2021   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço