Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

Autoridades no Bangladesh fecham edifício fabril com fissuras nas paredes


26 de Junho de 2013

Um edifício fabril de oito andares, perto de Daca, no Bangladesh, foi hoje fechado, depois de terem surgido fissuras nas paredes que desencadearam o pânico entre os trabalhadores, anunciaram a polícia e as autoridades locais.

De acordo com os responsáveis, as fissuras do "Razzaq Plaza" são idênticas às que foram assinaladas no "Rana Plaza", edifício que ruiu a 24 de abril em Savar, nos arredores de Daca, e causou a morte de 1.229 operários.


O acidente no Rana Plaza foi considerado o pior da história industrial do Bangladesh. Foto: AFP
As fissuras nas paredes do Rana Plaza foram registradas na véspera do acidente, mas os responsáveis pelas fábricas têxteis garantiram aos trabalhadores não existir qualquer perigo.

De acordo com Kamrul Hasan Molla, representante do governo local de Savar, os proprietários do Razzaq Plaza, um complexo próximo das ruínas do Rana Plaza, suspenderam a produção e os inspetores fecharam o edifício por medida de precaução. "Visitámos o complexo e proíbimos a entrada até que seja inspecionado por peritos", disse Molla à agência noticiosa francesa AFP. "Trata-se de uma medida de precaução porque não podemos correr nenhum risco depois da tragédia do Rana Plaza, acrescentou.

No Razzaq Plaza funcionam, pelo menos, duas fábricas têxteis, que empregam cerca de cinco mil operários, disse à AFP o chefe da polícia local, Mostafa Kamal.

A tragédia do Rana Plaza tornou evidentes a falta de condições de trabalho e de segurança de milhões de operários têxteis no Bangladesh, denunciadas há anos por organizações de defesa dos trabalhadores desta atividade fundamental da economia do país.

Depois do acidente, as autoridades fecharam duas dezenas de fábricas por questões de segurança. Pelo menos 17 reabriram ao receberem "luz verde" dos peritos.

As grandes marcas de vestuário ocidentais assinaram um novo protocolo, no qual se comprometeram a garantir melhores condições de trabalho e inspeções independentes.

Com 4.500 fábricas, o Bangladesh é o segundo maior exportador de vestuário do mundo, fornecendo, entre outras, para marcas como a norte-americana Walmart, a francesa Carrefour e a sueca H&M.
Copyright © 2013 Agência LUSA. All rights reserved

Exibições: 139

Comentar

Você precisa ser um membro de Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII para adicionar comentários!

Entrar em Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

© 2021   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço