Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII


Os fios de urdume que necessitam ser engomados, objetivando atender as necessidades do urdimento, podem ser assim classificados:

- Fios de fibra singelos;

- Fios de fibra retorcidos;

- Fios de filamento.

Fios de Fibra Singelos

Estes fios só existem devido à torção. Ao rompermos um fio de fibras singelo desengomado, verificamos rupturas de fibras no ponto de quebra, mas se efetuarmos uma observação mais detida e cuidadosa, poderemos ver que nem todas as fibras se romperam e que uma boa porcentagem delas deslizou umas

sobre as outras.

É, no entanto, importante ressaltar que tal porcentagem será maior na medida em que a torção aplicada ao fio for menor.

As fibras que deslizam não somam suas resistências à resistência do fio no ponto de ruptura.

Poderíamos, então, pensar que quanto maior a torção do fio, melhor será o seu trabalho na tecelagem, porém isto não acontece na realidade, pois, como sabemos, outras características, também importantes para a tecelagem, como a flexibilidade, a elasticidade, a capacidade de alongamento, a suavidade e outras, diminuem seus valores com a torção.

Fios de Fibra Retorcidos

Os fios retorcidos poderiam ser tecidos sem a necessidade de aplicação de uma carga de goma.

Todavia, está absolutamente comprovado que uma carga de goma, ainda que relativamente baixa, torna-os menos peludos e confere-lhes uma proteção externa capaz de tornar mais fácil a tecelagem. No entanto, é necessário que se tomem alguns cuidados uma vez que fios retorcidos podem formar “rabos de porco”, laçadas, etc.

No caso de os fios apresentarem tais características de comportamento, é aconselhável um trabalho de vaporização antes do seu efetivo uso, objetivando o controle desta tendência de distorcer.

No entanto, se não houver essa possibilidade de tomarmos essa medida, deveremos ter o máximo cuidado, tanto na urdição, como na engomagem, para não deixar o fio sem a tensão mínima capaz de evitar o seu comportamento rebelde.

As posições críticas, durante o processamento da engomagem, são as da passagem dos fios por dentro da goma, onde a viscosidade e a temperatura provocam o reforço das tendências de distorção dos fios e as da saída da caixa para o setor de secagem.

Fios de Filamento

Os fios de filamentos, se comparados, de modo grosseiro, a fios de fibra singelos equivalentes possuirão em termos, maior resistência, pois não são constituídos de fibras que possam deslizar.

Por outro lado, estes fios têm a tendência de se abrirem, isto é, os filamentos tendem a se separar, principalmente se o fio possuir torção zero ou baixa torção.

Esta tendência natural que os fios de filamentos possuem causa grandes problemas à operação de tecimento.

Portanto, a engomagem propiciará a aglutinação dos filamentos no corpo do fio, a fim de ensejar como resultado, um urdimento com características melhores para o tecimento.

É oportuno frisar, no entanto, que dependendo da grossura dos filamentos individuais e de um bom valor de torção, os fios de filamentos podem ser tecidos sem maiores tropeços, com ausência de goma.

Fonte:

PESSANHA, D. R.; Tecnologia da Engomagem. Rio de Janeiro, SENAI – CETIQT, 1986.

Exibições: 986

Comentar

Você precisa ser um membro de Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII para adicionar comentários!

Entrar em Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

© 2021   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço