Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

Em ano de renovação, prêmio concede 11 das 14 corujas para empresas e profissionais estreantes entre os indicados.

https://www.cabore.com.br/wp-content/uploads/sites/4/2020/12/Premiados_cabore_2020-300x191.jpg 300w, https://www.cabore.com.br/wp-content/uploads/sites/4/2020/12/Premia... 376w" sizes="(max-width: 698px) 100vw, 698px" />

Vencedores celebram coruja em ano desafiador para a indústria de comunicação (Crédito: Eduardo Lopes/Imagem Paulista)

Em um ano complexo e desafiador sob o ponto de vista social e econômico e com tantas situações atípicas, uma coisa não mudou. Na noite desta quarta-feira, 2, aconteceu a 41ª cerimônia de entrega do Prêmio Caboré, no Unimed Hall, em São Paulo. Mais uma vez o evento reconheceu os profissionais e empresas de comunicação, marketing e mídia que mais se destacaram ao longo do ano.

Para entregar as 14 corujas para os personagens e organizações que demonstram empenho, resiliência e criatividade acima da média em um período com tantas transformações, o próprio Caboré também precisou se reinventar.  Pela primeira vez a cerimônia de revelação e premiação aos vencedores contou apenas com a presença dos profissionais indicados e representantes das empresas concorrentes. Também de forma inédita, o evento foi transmitido ao vivo pela internet, com acesso liberado a todo o público.

Uma palavra que pode resumir a edição do prêmio deste ano é renovação. A lista dos concorrentes do Caboré 2020 contou com 42 indicados, dos quais 33 disputaram o troféu pela primeira vez. No contexto geral, a premiação concedeu 11 das 14 corujas para empresas e profissionais estreantes entre os indicados.

Entre essas empresas debutantes no Caboré está o Globoplay, que conquistou seu primeiro prêmio como Veículo de Comunicação – Plataforma de Mídia. “Há muitas oportunidades se abrindo para o mercado publicitário. E acho importante dizer que os veículos, anunciantes e agências criaram aqui no Brasil um dos mercados mais vibrantes do mundo. Isso é reconhecido pelos prêmios que a publicidade brasileira ganha e pelo respeito que o todos têm pelo publicitário brasileiro”, disse Erick Bretas, diretor de produtos e serviços digitais da Globo.

Outra questão marcante foi a presença maciça de mulheres que subiram ao palco para receber o troféu. Das oito categorias direcionadas para profissionais do mercado de comunicação, seis das corujas foram femininas. “Eu quero homenagear mulheres de todas as raças. Quando subo aqui, eu trago todas elas comigo. Só a gente sabe o quanto isso é difícil, numa posição como a de dirigente dessa indústria, que ainda é tão masculina”, afirmou a diretora geral do Twitter, Fiamma Zarife, que conquistou a coruja de Dirigente da Indústria da Comunicação.

Seja em termos de representatividade composta por uma nova narrativa estética ou mesmo no quesito diversidade de modelo de negócio, o Caboré deste ano também se mostrou plural. Não à toa, a Kondzilla levou neste ano a coruja de Produtoras. “Estamos há dois anos produzindo conteúdo para o mercado publicitário e sermos reconhecidos num novo segmento é uma alegria muito grande. Queria agradecer a todos os anunciantes, e todas as agências, mas em especial a todos os estagiários que estão nos times de marketing e confiam no nosso trabalho. Queria dedicar esse prêmio a todos os produtores de conteúdo que são de favela. Acreditem nos sonhos de vocês e sintam-se representados. Dessa vez, a favela venceu”, discursou Konrad Dantas, sócio fundador da empresa.

Vale lembrar que os vencedores foram escolhidos em votação aberta aos assinantes do Meio & Mensagem e auditada pela PWC. Como já é tradição, os três indicados em cada categoria do prêmio são selecionados pelos editores do Meio & Mensagem, após um processo de consulta a líderes do mercado e análises editoriais das trajetórias e fatos recentes envolvendo profissionais e empresas dos segmentos contemplados.

Dirigente da Indústria da Comunicação
Fiamma Zarife (Twitter)
(Concorreram Luiz Fernando Musa, do Grupo Ogilvy Brasil, e Marcio Toscani, da Leo Burnett Tailor Made)

Profissional de Veículo
Aline Moda (Google)
(Concorreram Fred Müller, do SBT, e Marcio Garcez, do Facebook)

Serviço de Marketing
Kantar
(Concorreram Altermark e Ana Couto)

Profissional de Inovação
Andre Fatala (Magalu)
(Concorreram Ivan de Souza, da Coca Cola, e Stella Brant, da Liv Up)

Profissional de Atendimento
Carolina Vieira (David)
(Concorreram Elton Longhi, da FCB, e Wilson Negrini, da Lew’Lara\TBWA)

Veículo de Comunicação – Produtor de Conteúdo
CNN Brasil
(Concorreram Folha de S.Paulo e Turner)

Produção
Kondzilla
(Concorreram Boiler e O2 Filmes)

Profissional de Mídia
Mauricio Almeida (Publicis)
(Concorreram Aga Porada, da Wieden + Kennedy, e Carolina Buzetto, da Fbiz)

Veículo de Comunicação – Plataforma de Mídia
Globoplay
(Concorreram Spotify e Verizon Media)

Profissional de Planejamento
Renata Bokel (WMcCann)
(Concorreram João Gabriel Fernandes, da AlmapBBDO, e Stella Pirani, da Wunderman Thompson)

Profissional de Marketing
Ilca Sierra (Via Varejo)
(Concorreram José Cirilo, da Seara, e Marcio Parizotto, da Bradesco)

Profissional de Criação
Sophie Schönburg (Africa)
(Concorreram Hugo Veiga, da AKQA, e Rafael Pitanguy, da Y&R)

Anunciante
Ambev
(Concorreram Itaú e PepsiCo)

Agência de Comunicação
Africa
(Concorreram DPZ&T e Suno United Creators)

No vídeo abaixo, você pode rever a cerimônia de premiação:

 

Exibições: 85

Comentar

Você precisa ser um membro de Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII para adicionar comentários!

Entrar em Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

© 2021   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço