Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

Dona Zélia faz o quinto empréstimo para a sua lojinha

Divulgação / DivulgaçãoDona Zélia: "Compro roupas, pago o banco e fico com um pouco de dinheiro"

Beneficiária do Bolsa Família, Zélia Inácio Taboza, viúva, mãe de três filhos e avó de dois netos, é moradora e presidente da Associação dos Moradores da Favela do Marrocos, em Fortaleza (CE). Graças ao microcrédito ela está conseguindo tocar sua pequena loja de roupas, que fica parte da frente da casa dela. Com os recursos, Zélia compra algumas peças prontas e também adquire tecidos para costurar blusas, calças e vestidos para vender para a vizinhança.

Ela decidiu apostar no negócio a partir de 2011, com um empréstimo de R$ 400 no Banco do Nordeste. Depois de quatro financiamentos quitados, os resultados começam a aparecer. Recentemente, ela solicitou o quinto, mais R$ 1,9 mil em seis vezes. A primeira parcela, de R$ 300 foi paga em novembro. Com as vendas na lojinha, ela tem conseguido obter pequena renda complementar. "Compro roupas e tecidos, pago o banco e fico com um pouco de dinheiro", diz. O saldo ainda é pequeno, varia de R$ 300 a R$ 400, mas segundo ela, já ajuda no dia a dia. Ela diz que os agentes do banco a auxiliam a conduzir os negócios. "Quero ir crescendo devagarzinho. Faço roupas novas, mas, agora, também estou remontando e consertando roupas usadas."

Ela obteve os financiamentos do Banco do Nordeste dentro do Programa Crescer, com subvenção do governo, com taxa de 5% ao ano. Para tal, ela formou um grupo com uma cabeleireira e uma sacoleira que vende roupas de porta em porta, no qual um é avalista do outro, assumindo solidariamente a responsabilidade palas quitações.

A vendedora de produtos de beleza, Teresa de Jesus Rodrigues, divorciada e mãe de um filho, moradora de Caruaru (PE), teve acesso ao microcrédito pelo Santander. No início, há oito anos, ela conseguiu R$ 400. A clientela foi aumentando e trazendo resultados ao negócio ao longo dos anos. Outros valores de microcrédito foram obtidos e pagos em dia nesse percurso. Atualmente, ela teve acesso a uma linha de R$ 10 mil, com taxa de 2% ao mês, para ser paga em cinco meses. "Uso o dinheiro para comprar mercadorias e vender no meu bairro e no centro da Caruaru. Mas muita gente compra comigo para revender nas cidades vizinhas", ressalta Teresa. (DR)

 

http://www.valor.com.br/financas/3356612/dona-zelia-faz-o-quinto-em...

Exibições: 93

Comentar

Você precisa ser um membro de Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII para adicionar comentários!

Entrar em Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

© 2021   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço